O dispositivo móvel definitivo

0

Satya Nadella, CEO da Microsoft, disse há algumas semanas atrás sobre a estratégia da empresa quanto ao setor de smartphones.

Leia abaixo:

Não queremos ser conduzidos apenas pela inveja do que os outros têm”

Disse Nadella, fazendo uma referência aos esforços anteriores com o Windows Phone (Lumias) para imitar a experiência de um iPhone ou de um Android.

Permaneceremos no mercado de telefonia, mas não nos mesmo moldes definidos pelos atuais líderes desse mercado, isso por que nós podemos fazer algo mais exclusivo, um dispositivo móvel definitivo ou final“, Completou ele.

“…Estamos focando em um conjunto específico de clientes que precisam de um conjunto específico de recursos que são diferenciados nos quais podemos fazer um bom trabalho”. Depois ele completou dizendo: “Veja o exemplo do Surface…  três anos atrás ninguém precisava de um 2-em-1, agora, muitos afirmam que precisam de um.”

winhec

Depois da bomba lançada na quinta-feira, dia 08/12 pela Microsoft na China, eu poderia encerrar aqui este post e tudo já estaria dito. Vamos apenas aguardar o anúncio oficial deste “dispositivo definitivo”, ok? Não é bem assim.

Surgiram muitas dúvidas e questões ainda não reveladas totalmente pela Microsoft, então vamos tentar traçar o caminho até o “Surface Mobile” (o dispositivo definitivo), sim, eu vou chama-lo assim daqui pra frente.

O anúncio da Microsoft foi um abalo sísmico no mundo da tecnologia, e um dia memorável. O caminho para um Surface Mobile está mais claro do que nunca com o Windows 10 no ARM. Existem rumores desde 2012 que a Apple estaria tentando trazer o MacOS para ARM, no entanto, a Microsoft é quem largou na frente, e é a primeira a fazê-lo de verdade, e não apenas para uma Touch Bar.

A demo do Windows 10 completo, rodando em um Snapdragon 820 da Qualcomm, utilizando o mesmo processador do HP Elite X3 e o Alcatel Idol 4S, é basicamente para OEMs disponibilizarem através de uma variedade de categorias, dispositivos com telas de 6, 10 e 14 polegadas, chamadas de ultramobiles premium ou básico e telefones utilitários que tenham o Continuum. Terry ainda reforçou que o Windows 10 pode rodar em todos os tamanhos de telas, e até em dispositivos sem tela.

De um lado, temos a novidade: o Windows 10 completo, rodando em processador de smartphone. Do outro, temos o Windows 10 Mobile, presentes nos atuais dispositivos, rodando uma versão mobile do Windows 10. A perspectiva de que esses dois sistemas se unirão é totalmente viável e aí está o verdadeiro dispositivo definitivo.

Windows10-Qualcomm-Snapdragon-1024x576

ARM x X86

O ARM é a arquitetura usada em smartphones modernos. Pode ser o A10 da Apple ou a linha Snapdragon da Qualcomm, estes processadores são baseados na arquitetura ARM, que é muito diferente da X86 e X64, que são baseadas nos chips Intel ATOM, Core M e Core, assim como os processadores da AMD.

Windows 10 Mobile é executado no ARM, já o Windows 10 para PCs, roda em x86-64. Ambos compartilham o OneCore e UWP (Universal Windows Platform). A diferença entre eles, é que você não pode executar apps x86 Win32 no seu telefone, por exemplo, rodar o Photoshop ou o AutoCad completo no seu telefone, por questões de arquitetura.

O ARM foi feito para ser eficiente em baterias pequenas e reduzir as cargas térmicas, ou seja, não precisa estar conectado na tomada o tempo todo e nem de cooler para resfriar; é ideal para smartphones e tablets, finos e leves.

Historicamente, os chips ARM eram significativamente menos potentes do que processadores de classe desktop x86. Isso tem mudado nos últimos anos. O Chip A10 da Apple, encontrado no iPhone 7, é muitas vezes comparado em desempenho com o MacBook Air de 2013 — que ostentou um processador de 1,3 GHz dual-core Intel Core i5.

Então, se o ARM está tão fantástico, porque não colocar o MacOS no iPhone?

A tarefa requer uma quantidade enorme de engenharia e trabalho, e a Microsoft, evidentemente, terminou e conseguiu, já a Apple, é provável ainda esteja trabalhando em algo.

Por que é um grande negócio?

A capacidade de executar um sistema operacional completo para PC em um tablet, 2-em-1 ou um portátil alimentado por um chip ARM, tem sido o sonho. A vida da bateria neste dispositivo ganha algumas horas com a excelente visão noturna. O PC agora está sempre conectado à internet. Também pode ser mais fino e mais leve do que qualquer sistema x86-64, sempre tem bateria necessária para uma vida útil aceitável e não esquenta tanto ao ponto de precisar de um cooler na sua mão.

Já temos isso com os smartphones, mas agora você pode executar um sistema operacional completo para apps e jogos com requisitos mínimos.

Tal cenário muda os conceitos em torno de jogos, caneta digital, produtividade, leitura, trocando informações e criatividade. É o poder de um PC, mas com menos limites.

Para realizar este sonho de tecnologia, o desempenho dos chips ARM tinha que melhorar, baterias tinham que melhorar, e alguém tinha que portar o seu sistema operacional. Bem, isso tudo aconteceu e nenhum de nós está sonhando mais. Esta é a próxima realidade.

Custos

Um processador x86-64 de alto desempenho também é muito mais caro do que o ARM. Este preço é importante para as empresas tentando criar novas categorias de dispositivos com maior capacidade. Por exemplo, um chip Intel ATOM custa cerca de US $37, um Qualcomm Snapdragon 820, custa cerca de USD $70. Mas um processador Intel Core M começa em USD $281 e um Core i7 pode custar mais de USD $600 dólares.

Esse problema das várias versões do Core M  para PC serem fantásticas, mas caríssimas, agora desaparece.

Chips Snapdragon da Qualcomm, também já vem com tudo incluído no pacote: Wi-Fi, LTE, GSM, Quick Charge, Bluetooth e câmera, tudo por um custo fixo. Os fabricantes é quem escolhe quais recursos eles querem licenciar. Daí porque o seu telefone com chip da Qualcomm pode não ter o Quick Charge 3.0, e sua bateria levam um tempão para carregar.

No seu PC, o chip x86-64 é apenas o processador. Qualquer suporte de modem LTE é extra, assim como todas as outras comunicações por ondas e recursos. Os componentes adicionais, fazem do sistemas x86-64, mais quente, mais caro, maior e mais difíceis de lidar com a bateria, do que qualquer outro dispositivo ARM, é um trambolho na verdade.

O problema da Microsoft é que eles precisavam de algo mais forte que um chip ATOM, porém, mais barato e menor do que um Intel Core M. Um processador baseado no ARM faz tudo isso, e ainda mais, adiciona suporte a 4G LTE, comunicação por ondas e é significativamente mais eficiente do que um sistema x86-64. Bingo!

Próximo passo: smartphone

Toda essa notícia e conversa de componentes de smartphone e PC gera a próxima pergunta:

Por que não podemos rodar o Windows 10 ARM em um smartphone?

Em teoria, agora você pode. A realidade, porém, é mais complicada. No entanto, você pode apostar que Microsoft está trabalhando neste cenário, para uma experiência de smartphone ‘Pro’, o dispositivo definitivo; que deverá ser o Surface Mobile, ou o nome que você gostar mais.

Abaixo, algumas razões porque Microsoft não pôs o Windows 10 ARM no telefone… ainda:

  • Preços: Um celular será mais caro. RAM adicional, um grande SSD para ter significativamente mais espaço de armazenamento, a licença SKU para Windows 10 completo, fará este “telefone” mais caro. O Windows 10 Full, ocupa cerca de 20GB de armazenamento, contra 4GB para celular. Completo, o Windows 10 também, idealmente, precisa de pelo menos 8GB de RAM, em comparação com os 2GB para celular. Smartphones mais modernos tem 4GB de RAM, com alguns telefones Android ostentando 6GB.
  • Continuum ao contrário: A experiência da interface não existe, até mesmo o design do Windows 10 completo touch, não vai trabalhar em uma tela muito menor do que 6 ou 7 polegadas. A Microsoft precisa de um escudo móvel, uma UI (interface de usuário), para quando o dispositivo está atuando como um telefone, mas, irá mostrar o desktop quando encaixado no Display Dock. É o Windows 10 Mobile com o Continuum, mas invertido.
  • Suporte por telefone: Enquanto o Windows 10 ARM suporta dados LTE, faltam as habilidades de telefonia adequadas, como: chamadas de telefone, correio de voz, SMS e afins. É claro, as características do sistema móvel, serão incorporadas no Windows 10 ARM, mas que ainda precisam acontecer. E não podemos esquecer do Skype, que já pode ser definido como o aplicativo padrão de SMS, além de fazer chamadas de áudio e vídeo.
  • O tempo é implacável: Microsoft quer entrar com o Windows 10 ARM para dispositivos como, tablets e 2-em-1 primeiro, reforçar mais a transição de apps para UWP e aperfeiçoar toda a experiência. Com a emulação melhorada e a expansão e implementação dos novos dispositivos, os custos de hardware vão cair, um melhor gerenciamento e eficiência de energia do Windows 10, os processadores serão ainda mais rápido e então um telefone que pode executar o Windows 10 no ARM faz todo o sentido.

Há também a ideia de uma GPU externa (eGPU). Essa tecnologia torna-se uma interessante extensão para o Continuum quando encaixado no Display Dock usando o Windows 10 no ARM. Essa tecnologia, no entanto, não foi desenvolvida ainda para a arquitetura ARM.

Windows Mobile 10

Apesar de algumas barreiras, deve ser evidente agora, que a Microsoft vê o Windows 10 e o Windows 10 Mobile em um cenário de colisão e sobreposição.

Um dispositivo que executa o Windows completo 10 no ARM pode ser posicionado como um dispositivo ‘Pro’ para aqueles que precisam de tudo.

O Windows 10 Mobile, através do Continuum e mesmo com a emulação x86, torna-se mais como um PC desktop. Enquanto isso, o PC desktop torna-se mais como o móvel.

O dispositivo definitivo é um híbrido, um 2-em-1, mobile; como disse, Nadella. O Windows 10 Mobile pode ser ainda mais barato e entregar uma experiência semelhante, em comparação com um dispositivo rodando o Windows 10 completo.

Colocado dessa forma, o Windows 10 Mobile faz todo o sentido e está mais vivo do que nunca! Será a versão “light” do Windows 10, tanto em recursos e custo. Um dispositivo que executa o Windows 10 completo no ARM, no entanto, pode ser posicionado como um dispositivo ‘Pro’ para aqueles que precisam de tudo, e claro, será mais caro. Talvez algum dia, em um futuro distante, quando nem os processadores ARM serão poderosos o suficiente, o Windows 10 Mobile não faça mais sentido, mas agora e por muito tempo ainda, ele está vivíssimo.

O futuro é móvel

O Surface Mobile ou o nome que a Microsoft dará ao dispositivo definitivo, será um dispositivo “Pro” com hardware de última geração, que poderá ser um PC completo, quando encaixado em um Display Dock via Continuum.

O Windows 10 Mobile, pode ser usado como hardware de entrada e um telefone mid-range, onde o usuário não precisa de um Windows 10 completo ou não deseja pagar o preço. Ele pode atender também, mercados como o Brasil e a Índia, onde aparelhos low e mid, por questões de preço, são os mais comprados.

Há muitos pontos ainda desconectados entre a realidade das tecnologias atuais e o Surface Mobile, e torna-se óbvio como a Microsoft vai preencher essas lacunas: Ink, realidade mista, UWP, OneCore, Windows Hello, Windows 10 ARM, linguagem natural, Cortana, Continuum e mais todas as promessa de um mundo onde o dispositivo no seu bolso pode executar muito mais do que apenas ligações telefônicas. Você está vendo este mundo novo sendo criado bem diante dos seus olhos.

Windows 10 no ARM, é um mais uma carta na manga da Microsoft neste novo mercado. Não se engane: o caminho para o dispositivo final se tornou muito mais claro.

Dúvidas

Depois do meu cérebro entrar em loop da pancada que foi esse anúncio da Microsoft, ficaram muitas dúvidas, vamos tentar responder algumas delas:

A emulação irá funcionar em dispositivos com o Snapdragon 820, como o HP Elite X3 e o Alcatel Idol 4s, como foi demonstrado?

Apesar de mostrar o Windows 10 completo em ARM rodando em um processador Snapdragon 820, a Microsoft deixou bem claro que o Windows 10 ARM funcionará apenas no Snapdragon 835 e que estará disponível somente em 2017 para novos dispositivos.

O que é Win32 ? E UWP?

São aquele aplicativos clássicos, que só funcionam no desktop, com a extensão  .exe, que você já baixou alguma vez na vida e instalou no seu computador Windows. Estes programas usam linguagens diferentes para a uma única arquitetura, a x86, que só funciona no desktop. Para resolver o problema e você ter o mesmo app funcionando no PC desktop (x86) e no seu Lumia (ARM), por exemplo, a Microsoft criou o UWP (Universal Windows Plataform).  Win32 pode funcionar em um sistema operacional de 64-bit, como foi apresentado pela Microsoft.

Então é uma virtualização?

Não, isso é uma emulação. Os aplicativos x86 Win32 estão rodando sem qualquer alteração em um processador ARM. Terry Myerson, disse que a Microsoft está utilizando JIT.

O que é JIT?

A compilação JIT (just-in-time) é uma combinação de duas abordagens tradicionais de tradução para código de máquina: anterior à execução e durante a execução (interpretação), portanto, combina algumas vantagens e desvantagens de ambas. A grosso modo, a compilação JIT combina a velocidade do código compilado à flexibilidade da interpretação, com o gargalo do interpretador e da compilação. Esse mecanismo de execução apresenta um desempenho significativamente superior ao processo clássico de interpretação. Isto porque o código de máquina resultante da compilação JIT é armazenado na memória, garantindo que o trecho de código em questão não será mais recompilado ou reinterpretado sempre que, durante a execução do programa, for novamente acionado. Além disso, muitos compiladores JIT possuem mecanismos para realizar otimizações adicionais nos trechos de código do programa que são executados com maior freqüência.

Por que o Windows 10 ARM vai rodar programas em Win32?

Programas escritos em Win32 são complexos , portanto, fica mais barato e cômodo para o desenvolvedor e a Microsoft, rodar esses apps diretamente, sem precisar converter para UWP, já que o trabalho para readaptar custa tempo e dinheiro.

Qual é a intenção aqui?

A fim de avançar a plataforma Windows  e o projeto OneCore, em ARM, e ajudar a nascer as próximas gerações de ótimas aplicações UWP, há uma necessidade de temperar esse futuro com a realidade do passado, os aplicativos legados do desktop.  Assim, vamos agora ver o início do suporte x86 sobre os processadores ARM, e uma marca unificada do Windows, que pode ser assim: ‘Como isso funciona?’ Para os consumidores, não existirá nenhuma confusão. Compre este PC ultramobile ou um Surface Mobile, e você terá um grande tablet completo quando você quiser um tablet, ou um “telefone” quando você quiser um; com um plus, você também irá executar todos os apps antigos, se precisar.

Por que não usar o projeto Centennial e recompilar esses aplicativos de desktop antigos para UWP?

Primeiro, para que isso tenha êxito, ele deve ser fácil, tipo 1 clique e está pronto, sem reembalagem. Nenhum certificado ou script estranho do PowerShell. Nenhuma recompilação. Leve meu antigo driver de impressora, e ele simplesmente funcionará, por exemplo. Do lado do consumidor, ele não irá perder o seu tempo, quer tudo funcionando, apenas. No lado dos negócios, provavelmente a mesma coisa, existe ainda muita resistência em “mexer em time que está ganhando”. Centennial é uma ótima ideia, mas portar 8 milhões de apps, leva tempo e vontade dos desenvolvedores. Deverá ser assim: Apps existentes em Win32, se o desenvolvedor quiser, serão empacotados com o Centennial. Novos Apps serão desenvolvidos em UWP.

Então, posso pegar um ransomware também?

Eu teria que assumir a resposta para isso é … sim. No entanto, é importante notar que Terry mostrou a versão do Windows 10 Enterprise na demo. Por que isso importa? Porque lá, você tem a opção de usar o DeviceGuard para travar o dispositivo nestes PCs ultramobiles distribuídos pelas OEMs com Windows. Isso é um passo, para as organizações dispostas a pagar pela Enterprise. Também deverá existir a opção de desativar a camada Win32 através de configuração.

Então isso é como o Virtual PC em Macs PowerPC ?

Não exatamente. Isso parece ser, como deveria ser, uma emulação mais lado a lado. Executar um aplicativo UWP, e todos os seus recursos estão sendo executados no lado ARM nativamente. Executar um aplicativo legado e todos os seus recursos estão sendo executados no lado x86. Novamente, a experiência deve ser muito parecida com a execução de aplicativos de 32 bits no Windows de 64 bits, sem truques, simplesmente funciona. Isso é certamente o que Terry demonstrou. Importante, isso não é uma VM, e não requer etapas adicionais para atendê-lo.

Então o UWP está morto?

Não. Isso ajuda o UWP no longo prazo, restabelecendo o que é o Windows. O UWP ainda é o que os desenvolvedores devem segmentar se eles se preocupam em vender algo novo, projetar para touch ou alcançar a coleção de dispositivos que a Microsoft está impulsionando com o UWP. Podemos entender que no Surface Mobile, essa funcionalidade só funciona quando um dispositivo está no modo Continuum, ou seja, quando você plugou no Display Dock ou via Miracast e está pronto para trabalhar em sua mesa. Aí então você poderá rodar o seu app de desktop.

Então os processadores da Intel estão mortos?

Claro que não. Este é um processador ARM que executa o software x86. Sem suporte a x64. Desempenho pode até ser ótimo, mas um sistema ARM dificilmente substituirá um PC Gamer, ou servidores, onde ARM ainda tem uma enorme batalha.

Ah, então o Windows 10 Mobile está morto?

Não. Ainda deve levar muito tempo para isso acontecer. O Surface Mobile ou o dispositivo definitivo, irá rodar o Windows 10 Mobile, mas quando estiver no Continuum, via Display Dock ou sem fio, via Miracast, ou até em um Lap Dock, como o da HP, se transformará em um Windows 10 completo, assim, você poderá usar os Apps legados do Win32 em uma tela grande, com teclado e mouse, confortavelmente. Perceba que o Continuum é fundamental nesta estratégia. Nadella avisou que o Continuum era um diferencial do Windows Phone frente aos outros.

E o Xbox?

O Projeto Scorpio é a resposta. Lembrando que o Xbox ficou de fora da UUP, (Unified Update Platform) Plataforma de Atualizações Unificadas, a mais nova tecnologia da Microsoft para “entregar” atualizações de forma mais rápida, consolidada e usando menos recursos do que o atual método usado, com isso já se conclui a transição. Xbox Anywhere é a chave para os jogos continuarem rodando nos consoles atuais e no Scorpio; novamente o UWP está aí, mas como não temos tantas informações do projeto Scorpio, a emulação também não pode ser descartada.

E os Apps?

A Microsoft irá atingir facilmente a meta de 1 bilhão de usuários até 2020, eu acredito que será antes, e nenhum desenvolvedor poderá ignorar o tamanho da plataforma Windows. Com todos os investimentos da Microsoft em desenvolvimento, UWP, e uma gigantesca base instalada, teremos um mar de aplicativos.

Por que ainda não foi lançado o Surface Mobile ou Surface Phone?

Porque a Microsoft jamais iria lançar o dispositivo móvel definitivo em outro lugar que não seja os EUA, o maior mercado do mundo. Além de fazer um evento exclusivo e com toda a imprensa convidada, Panos Panay, o responsável pela linha Surface, é quem irá apresentar ao mundo este dispositivo. Outro fator determinante, é o lançamento da Redstone 3, que está prevista para o segundo semestre do ano que vem, e que virá recheada de vários recursos e por fim, o lançamento do Snapdragon 835, que dará suporte ao Windows completo em ARM.

2017 promete!

 

Fonte: Windows Central

Share.

About Author