Domingo, 18 de Novembro de 2018
Home Notícias

8 motivos pelos quais o iPad Pro ainda não pode substituir seu Notebook

06/11/2018 1217 0
8 motivos pelos quais o iPad Pro ainda não pode substituir seu Notebook

Recentemente, a Apple lançou a nova versão do iPad Pro, seu tablet com o sistema operacional iOS, que é proprietário da empresa em questão e que também roda no iPhone. O aparelho é realmente lindo e roda fluidamente a versão 12 do iOS.

Usar um tablet quase sem bordas que tem uma tela de 11 ou 12,9 polegadas realmente parece ser algo “mágico” e inovador. A experiência de uso é realmente incrível, mas será que a proposta da Apple em substituir seu PC tradicional, em específico os portáteis como os Notebook é, de fato, viável? Ou estamos falando de um dispositivo que por enquanto só serve como complemento de um PC?

O iPad Pro já está pronto para substituir os PCs tradicionais?

A resposta é não. O iPad Pro da Apple ainda não está pronto para substituir seu PC tradicional e você concordará conosco quando ler os pontos abaixo.

1 – A nova porta USB-C não reconhece pendrives ou qualquer outra unidade flash

Diferentemente de qualquer PC tradicional da vida, o iPad Pro não reconhece nenhum tipo de unidade flash conectada a sua nova portas USB-C. A adoção desse padrão foi comemorada por muitos, porém, o tablet reconhece praticamente qualquer acessório que você possa imaginar, desde aqueles pequenos ventiladores até microfones e coisas do tipo, mas não reconhece um HD Externo, nem um pendrive nem um smartphone.

Como substituir seu PC por um aparelho que sequer consegue conceder acesso a um simples pendrive? Impensável uma coisa dessas, mesmo em tempos de Nuvem. O vídeo abaixo do pessoal do The Verge descreve bem o que estamos falando:

2 – O iPad e seu sistema operacional ficam defasados mais rapidamente

Resultado de imagem para iPad Pro

Se você, assim como a maioria de nós, está acostumado a passar mais de 5 anos com um PC com Windows, o mesmo não vai funcionar com um iPad. Você até pode ficar com seu tablet por esse tempo, porém, depois de 3 ou no máximo 4 anos, o novo iOS que é lançado todos os anos começará a pesar nas costas do aparelho e forçará um upgrade para um modelo mais novo, assim como já acontece hoje com a maioria dos smartphones e tablets disponíveis no mercado, inclusive os da Apple.

E se você quiser ter acesso a novidades precisa trocar de aparelho. Basta ver o exemplo da salada que é a questão de entradas de fones de ouvido do iPhone e agora da Apple Pencil. A segunda geração da Apple Pencil simplesmente não funciona no iPad Pro de primeira geração, assim como a caneta digital de primeira geração não funciona no iPad Pro de segunda geração. Ou seja, quem comprou um iPad Pro de primeira geração e quer usufruir as novidades da nova Apple Pencil, vai precisar fazer o upgrade para o iPad Pro 2018 + a nova Apple Pencil.

Também é bom lembrar que não é possível fazer qualquer tipo de upgrade no hardware do iPad Pro, enquanto que muitos laptops mais modernos possuem slots já pensados para upgrades de hardware, o que aumenta bastante a vida útil do aparelho.

3 – Memória interna pode ser um problema

Como não é possível usar um HD externo no iPad Pro, a memória interna do tablet pode ser um problema para você que não tem muita grana para gastar em um aparelho desses, já que a versão mais básica dele custa no Brasil a bagatela de R$ 6799.

São R$ 6799 por apenas 64 GB de memória interna. E como já sabemos, desse total ainda é preciso entender que só o sistema operacional consome uns 5 – 10 GB de espaço. Ou seja, você terá cerca de 55 GB para guardar tudo o que precisa no aparelho e aqui podemos incluir aplicativos, arquivos pessoais, jogos e tudo mais. Lembrando que estamos falando da versão de 11 polegadas, pois se for escolher o modelo de tela maior o preço sobe ainda mais.

Caso queira compra a versão com 256 GB, o que consideramos um espaço razoável, dado o aporte das soluções em nuvem disponíveis atualmente, será preciso desembolsar nada mais nada menos do que R$ 7999. E se quiser espaço de sobra basta dividir em 12x sem juros os R$ 12799 da versão com 1 TB de armazenamento interno.

4 – Seu mundo é restrito a App Store

Enquanto os usuários de qualquer PC com Windows podem explorar a web a fora em busca de programas diversos (mais de 8 milhões só contabilizando os win32), usuários do iPad Pro dependem exclusivamente da App Store para instalação de aplicativos e jogos.

Aqui é bom lembrar que nem todos aplicativos compatíveis com o iPhone são também com o iPad, ou seja, não contabilize todos os apps da App Store para fins de comparação.

5 – O teclado/capa do iPad Pro não tem touchpad

Resultado de imagem para iPad PRo 2018 keyboard

Você pode até não considerar isso importante, porém, muito provavelmente é porque você esteja tão acostumado a usar o mouse ou um touchpad que nem se deu conta ainda de como eles são importantes e auxiliam bastante na sua produtividade.

Pois bem… no iPad Pro tudo é feito diretamente na tela do aparelho, exceto a digitação, que pode ser executada num teclado externo (smartkeyboard – vendido separadamente) que também serve como capa para o tablet, assim como na linha Surface Pro da Microsoft. A diferença é que na type cover, que é a capa/teclado do Surface Pro e Surface Go, existe um touchpad de precisão disponível. E como o iPad Pro também não reconhece mouses enquanto periféricos, a produtividade é ainda mais afetada.

6 – Definitivamente ele não é a melhor opção para editar documentos diversos

Resultado de imagem para Office for iPad

De uma forma em geral, o iPad não é a melhor opção para editar documentos em geral, mesmo sabendo que a maioria dos programa já foram adaptados para telas sensíveis ao toque.

Além do motivo que já falamos acima, que é ausência de um touchpad no smartkeyboard, existem dezenas de outras limitações na hora de editar documentos diversos no tablet, inclusive do Microsoft Office. Um bom exemplo disso é que o Excel para o iPad não conta com suporte a Macros, comandos como Ctrl-C – Ctrl-V simplesmente não funcionam e trabalhar com grandes planilhas ou documentos Word pode se tornar um pesadelo.

7 – Ele é frágil 

A espessura de apenas 5,9 mm impressiona, porém, imagina uma tela de 12,9 polegadas em um corpo de apenas 5,9 mm de espessura despencando da sua mão ou da mesa… muito provavelmente tal queda quebraria a tela, especialmente se o aparelho não estiver protegido por uma capa.

Resultado de imagem para iPad Pro side

Não que os Notebooks mais modernos não sejam frágeis também, porém, olhando para as medidas da nova máquina da Apple não é difícil perceber que não estamos falando de um aparelho robusto, como é o caso do Macbook Pro. Então, é notório que ele aparenta ser bem mais frágil que um Notebook comum, mesmo comparando com os mais finos do mercado.

8 – O iPad Pro é um produto caro e seus acessórios são vendidos separadamente

Se você achou o preço do iPad Pro no Brasil caro, saiba que não é só isso. Quando falamos que a versão mais básica do tablet da Apple custa R$ 6799, saiba que não estão inclusos nesse preço nenhum dos acessórios que tanto mencionamos aqui e que tentam transformar o aparelho numa espécie de laptop.

R$ 6799 é o preço apenas do tablet. Se você quiser a smartkeyboard vai precisar de mais R$ 1199 (para o modelo de 11 polegadas). Se quiser a Apple Pencil de segunda geração para compor o seu “substituto” de Notebook de última geração vai precisar de mais R$ 979. Somando tudo temos:

  • 1 iPad Pro com tela de 11 polegadas e 64 GB de memória interna apenas com wi-fi por R$ 6799
  • 1 smartkeyboard por R$ 1199
  • 1 Apple Pencil de segunda geração por R$ 979
  • Total = R$ 8977
  • O frete é grátis!

A título de comparação, no Brasil, com esse valor você compra um Notebook Dell i15-7567 com um Intel Core i7 de 7 geração tela de 15,6″ Full HD, 16GB de RAM, HD 1 TB + um SSD 256 GB + uma GeForce GTX 1050 e ainda sobra mais de R$ 1000 para comprar acessórios.

Compra ainda um Ultrabook Asus Q325 com Intel Core i7 de 8ª geração com tela de 13,3″, 16GB de RAM, SSD de 500 GB que pode ser usado tanto como tablet ou como Notebook. Tem várias outras opções por menos de R$ 8000.

Conclusão

Se você precisa de algo verdadeiramente portátil, mas a finalidade é substituir seu atual Notebook, o iPad Pro não é alternativa mais indicada. Ele está mais para uma super central multimídia do que uma central de produtividade, como é o caso do seu PC convencional. Então, opte por um híbrido ou Notebook conversível com Windows ou por um Macbook Pro com MacOS.

Agora, se o seu objetivo é apenas ter um portátil para fazer apresentações, assistir vídeos e filmes, usar aplicativos móveis, fazer edições mais simples em documentos, jogar e tem dinheiro suficiente para isso, ai sim você pode ir de iPad Pro sem medo de ser feliz.

E tome aqui um conselho de amigo… se você quer mesmo comprar um iPad, quem sabe seja melhor optar pelas versões anteriores que estão mais em conta agora e sem dúvida ainda oferecem praticamente a mesma experiências.

Compartilhe:

Comentários: