Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018
Home Destaque

A Microsoft vai migrar o navegador Edge para a plataforma aberta Chromium

06/12/2018 2059 0
A Microsoft vai migrar o navegador Edge para a plataforma aberta Chromium

Os rumores eram verdadeiros: A Microsoft está migrando o navegador Microsoft Edge para a plataforma Chromium de código aberto, a mesma plataforma que alimenta o navegador Google Chrome. E uma vez feito isso, a Microsoft está trazendo o Edge para o macOS também. Além disso, a Microsoft está separando o Edge do processo de atualização do Windows para oferecer uma cadência de atualização mais rápida – e com isso, ela também trará o novo Edge para usuários do Windows 7 e 8.

Vai demorar um pouco até que tudo isso aconteça, no entanto. Não há uma versão de testes para baixar hoje e os primeiros previews ainda estão a meses de distância. Mas, em algum momento de 2019, o EdgeHTML e o Chakra da Microsoft desaparecerão e o Blink e o V8 tomarão o seu lugar. A empresa espera lançar uma primeira prévia para desenvolvedores no início do próximo ano.

Obviamente, essa é uma grande notícia. O que é claro, porém, é que a Microsoft está reconhecendo que o navegador Chrome e o Chromium são o padrão de fato hoje, tanto para usuários, quanto para desenvolvedores.

Ao longo dos anos, especialmente depois que a Microsoft deixou a marca do Internet Explorer para trás, o Edge, na maior parte, tornou-se um navegador perfeitamente utilizável, mas, a Microsoft reconhece que sempre houve problemas de compatibilidade. Enquanto estava investindo pesado em consertá-lo, a nova Microsoft, que é muito mais pragmática, reconheceu que: [O Edge] simplesmente não valeria mais o investimento em recursos de engenharia. O que a Microsoft tinha que fazer, afinal de contas, era fazer engenharia reversa em torno de problemas em certos sites.

Em parte, isso é porque Edge nunca ganhou a quota de mercado onde os desenvolvedores se importavam o suficiente para testar seu código na plataforma. E com a web tão grande quanto é, a cauda longa de sites incompatíveis continua grande.

Como muitos desenvolvedores da Web trabalham em Macs, onde eles não têm acesso ao Edge, o teste tornou-se ainda mais uma reflexão tardia. Daí os esforços da Microsoft para trazer o Edge para o Mac, 15 anos após ter abandonado o Internet Explorer para Mac . A empresa não espera que o Edge no Mac ganhe uma participação significativa no mercado, mas, acredita que tê-lo disponível em todas as plataformas significará que mais desenvolvedores também testarão seus aplicativos da Web com o Edge.

A Microsoft também admite que não ajudou o Edge a funcionar apenas no Windows 10 – e que as atualizações do Edge estavam ligadas às atualizações do Windows. Não sabíamos, mas, como a Microsoft agora reconhecerá, isso significa que milhões de usuários em versões mais antigas do Windows foram deixados para trás, e mesmo àqueles no Windows 10 muitas vezes não receberam a versão mais recente e compatível do Edge, porque suas empresas permaneceram em algumas atualizações antigas do Windows 10 e como o Edge só atualiza se o sistema for atualizado…

Para melhor ou pior, o Chrome tornou-se o padrão e a Microsoft está seguindo o fluxo. A empresa poderia ter optado pelo EdgeHTML de código aberto e seu mecanismo JavaScript. Essa opção estava na mesa, mas, no final, optou por não fazê-lo. A empresa diz que é devido ao fato de que a versão atual do Edge tem tantos ganchos no Windows 10 que simplesmente não faria muito sentido fazer isso se a Microsoft quiser usar o novo Edge para o Windows 7 e o Mac. Para ser justo, isso provavelmente teria sido um trabalho desnecessário, já que é difícil imaginar que uma comunidade de código aberto em torno do Edge tivesse feito muita diferença na solução dos problemas práticos de qualquer maneira.

Com esse movimento, a Microsoft também planeja aumentar seu envolvimento na comunidade Chromium. Isso significa que ela trará para o Chromium parte do trabalho feito para fazer o Edge funcionar muito bem com telas sensíveis ao toque, por exemplo. Mas também, como publicado anteriormente, a empresa agora observa publicamente que está trabalhando com o Google e a Qualcomm para levar uma implementação nativa do navegador Chrome ao Windows 10 em ARM, tornando-a mais rápida e mais amigável à bateria do que a versão atual que depende muito de emulação.

A Microsoft espera que, se puder fazer com que os problemas de compatibilidade sejam uma coisa do passado, os usuários ainda gravitarão para o navegador por causa do que o diferencia. Talvez seja a integração da Cortana ou novas integrações com o Windows e o Office. Ou talvez esses sejam novos serviços ao consumidor ou, para os usuários corporativos, recursos específicos que facilitam um pouco a vida dos gerentes de TI.

Quando os rumores dessa mudança apareceram pela primeira vez há alguns dias, vários especialistas argumentaram que isso não é ótimo para a Web, pois dá ainda mais poder sobre os padrões da Web ao projeto Chromium.

Essa é uma preocupação sensata, mas, a Microsoft está fazendo um argumento muito pragmático para esse movimento e observa que a pequena participação de mercado do Edge não permitiu que isso afetasse de qualquer maneira esse processo. Ao se tornar mais ativa na comunidade do Chromium, ela terá mais voz (ou pelo menos é o que se espera) e poderá defender os padrões da Web e trazer suas próprias inovações para o Chromium.

A troca de motores dentro do Edge é tudo, menos trivial. A empresa não está detalhando como será o processo de desenvolvimento e como isso será feito, mas, a empresa está analisando quais partes da experiência do Edge devem ser mantidas e, em seguida, trabalhará com a comunidade do Chromium para trazê-los para o motor Chromium também.

A Microsoft ressalta que não está desistindo do Edge, a propósito. O navegador não vai a lugar nenhum. Se você é um usuário feliz do Edge hoje, é provável que esse movimento faça de você um usuário Edge ainda mais feliz a longo prazo. Se você não for, a Microsoft espera que você dê uma outra chance quando a nova versão baseada no Chromium for lançada. Está com a Microsoft agora a chance de construir um navegador que seja diferenciado e novo (?) o suficiente para levar as pessoas a darem outra chance.

Fonte: Techcrunch

Compartilhe:

Comentários: