A Quarta Transformação: como a realidade mista irá substituir os smartphones

0

Hoje trago para vocês uma entrevista com o evangelista de tecnologia Robert Scoble, ele prevê que dispositivos de realidade mista em grande medida substituirão os smartphones. Robert Scoble, é co-autor do livro “A quarta a transformação” e utiliza o Microsoft HoloLens.

A tecnologia de realidade virtual e mista está se desenvolvendo ainda mais rapidamente do que muitos imaginavam. Para alguns, isso é um cenário de pesadelo, um prenúncio de um futuro distópico e uma perda de conexão humana. Para outros, é uma imensa oportunidade. Robert Scoble, distintamente cai na segunda categoria. Um blogger e tech evangelista, Scoble tem sido um defensor ferrenho da realidade virtual e mista, explicando as implicações destas tecnologias no novo livro que foi escrito com o co-autor Shel Israel, “a quarta transformação: como realidade aumentada e a Inteligência Artificial vão mudar tudo.” Em um recente episódio do podcast GeekWire, Scoble falou com o editor Todd Bishop e repórter Taylor Soper sobre sua visão para esta tecnologia e ele diz que o futuro está mais perto do que pensamos.

“Eu prevejo que dentro de três anos, eu não estarei usando um telefone muito frequentemente,” ele disse. “Eu estou usando principalmente óculos [realidade mista], porque com os óculos você tem monitores virtuais, a quantidade que eu quiser e isso o smartphone nunca poderá oferecer.” Scoble também previu que a Apple irá anunciar uma nova linha de dispositivos habilitados para realidade mista este ano e observou que plataformas como o HoloLens da Microsoft e o Magic Leap apoiado pelo Google, tem avançado com o talento de engenharia e financiamento para seus dispositivos de realidade mista.
“Você está começando a ver um monte de empresas gastando muito dinheiro com este novo mundo que está chegando para nós”, disse Scoble.

E enquanto a tecnologia relativamente desajeitada do passado deu a realidade mista um pouco de má reputação — alguém se lembra do fracasso do Google Glass? — Scoble disse que a próxima tecnologia vai ser incrivelmente realista e fácil de usar. “Esses óculos que estão chegando, vão colocar as coisas virtuais no topo do mundo real. O Google Glass não fez isso, e isso é parte do problema com o Google Glass.

Leia trechos editados da entrevista abaixo:

Todd Bishop: Então este livro é chamado “A quarta transformação”.  Quais foram as três primeiras brevemente e então, o que é a quarta e como ela vai mudar o mundo?

Robert Scoble: Para mim, esta é a quarta transformação da nossa idade de computador pessoal. Certo? Começamos nossa jornada por este caminho, se você tem idade suficiente, com o Apple 2, com uma interface de modo de caractere. E você teria que digitar comandos para falar com o computador e fazer com que o computador faça algo. DOS é outro exemplo disso. E então, a segunda transformação foi quando o Macintosh apresentou a GUI (Interface Gráfica de Usuário) para nós no seu lançamento em 89 e usamos um mouse para clicar nos ícones. E a terceira são os celulares, particularmente quando a Apple, novamente, mostrou o “touch” no iPhone. E, isso significava que você está carregando o computador com você e você está tocando nele. E escrevemos um livro chamado “A idade do contexto” desse mundo. E a quarta é essa, a realidade mista (mixed reality), ou a próxima geração da realidade aumentada, onde você vai usar um óculos, que então irá sobrepor a interface no topo do mundo real. Então você poderá usar suas mãos, seus olhos, sua voz para controlar o computador. E tudo o que vamos fazer para classificar essas coisas estranhas, como realidade virtual.

Bishop: As pessoas foram um pouco céticos com isto desde que o Google Glass fracassou e não fez bem o que muitos pensavam.

Scoble: Sim.

Bishop: Mas você está dizendo, que eventualmente. Pode demorar algumas décadas, até que as pessoas decidam usar seus óculos e experimentar esse mundo.

Scoble: Não acho que também irá demorar duas décadas.

Bishop: Então, cada vez mais as pessoas vão fazer mais coisas através dos seus óculos ao invés de seus telefones. Defenda esse caso, porque eu acho que existem muitas pessoas que não acreditam nisso.

Scoble: Bem, é difícil imaginar ou falar do futuro, quando você ainda não o vê. E felizmente, eu tenho andado em laboratórios de pesquisas e desenvolvimento em empresas como Lumus, que fazem os novos tipos de óptica e entendimento onde óculos são provenientes. Eu entrevistei o fundador da PrimeSense que a Apple comprou.

Bishop: Vamos falar da Apple, porque acho que essa conversa irá levar ao mundo interessante. Eu acredito que em junho, na WWDC a Apple vai apresentar a mais nova tecnologia jamais anunciada na sua história.

Scoble: Não, eles estão abrindo uma nova sede, que é uma cidade enorme. É o edifício mais moderno do mundo. Foi projetado e construído com mais tecnologia do que qualquer outro edifício, pelo que me disseram as pessoas que o construíram. E eles disseram que quando você entra, já poderá controlar a sala usando gestos. Então cada sala tem um sensor 3D. Cada ambiente está pronto para a próxima realidade. Então, já podemos imaginar o que vem por aí. Eles vão nos trazer para a nova sede em junho e setembro, porque eles já estão se mudando para isso. Em junho, você será convidado para conhecer este novo edifício primeiro. Segundo, é o 10º aniversário do iPhone. E, há uma lição aqui. Porque a primeira versão do iPhone foi anunciada em janeiro, mas só recebemos em junho. E que será o caso com estes produtos. Eles estão sendo guardados em segredo, muito reservado, porque não querem fotos dessas coisas vazando. Por isso que teremos 2 eventos.

Juntamente com isso, eles vão anunciar um novo iPad, três novos iPhones, um novo produto de TV, um novo relógio, um novo mapa 3D e uma nova Siri. E a grande novidade, novos óculos, tudo sobre realidade aumentada. E Tim Cook tem sinalizado para isso — desde junho do ano passado. E toda semana ele esteve na imprensa falando sobre a importância da realidade aumentada para o mundo. E ele está sinalizando que algo grande está vindo. Ele gastou mais que 10 bilhões de dólares fazendo isso e passou 7 anos da sua vida fazendo isso. Então, o que vai acontecer este ano, será um grande negócio. E isso vai acordar todo mundo. E então nós vamos ver: Será o HoloLens melhor do que um Apple? O Magic Leap é melhor? O Facebook? O Snapchat?

Bishop: Então você acha que a Apple vai revolucionar o mundo da realidade mista, do mesmo jeito que aconteceu quando o iPhone foi lançado e mudou completamente este mercado.

Scoble: Sim, sim.

Bishop: Wow! E você acha que os óculos serão anunciados?

Scoble: Bem, eles vão mostrar um novo iPhone, claro. Então, os três iPhones vão fazer realidade mista. Todos eles têm um sensor 3D da PrimeSense, têm 600 engenheiros em Tel Aviv trabalhando em cima desse sensor. E há quatro anos atrás, quando eu vi esse sensor, poderia contar como era grande e pesado. Isso é cheio de detalhes, certo. E você verá um novo reino de AI. Porque esse sensor vai ver coisas na sua mesa bem na sua frente, separá-lo em objetos e em seguida começar a melhorar as coisas. Então, você pode fazer a Shakira sair desta lata de Coca-Cola e fazer uma performance bem na sua mesa. Isso não vai demorar décadas, vamos ver isso ainda este ano. Mas, acho que ainda tem muita coisa boa para chegar este ano, porque não é só Apple. A Microsoft tem 1800 pessoas trabalhando no Hololens e ela está apostando sua empresa inteira na interface de usuário de realidade mista. Snapchat fez muitas, muitas contratações, certo? O Google comprou uma empresa chamada Eyefluence que está no meu livro, para rastreamento de olho e óculos, e isso me diz que o Google está construindo os óculos que são separados do Magic Leap, que eles também investiram meio bilhão de dólares lá, certo? E então, bum, bum, bum, bum. Você está começando a ver um monte de empresas gastando muito dinheiro com este novo mundo que está chegando para nós, o mundo da realidade mista.

Bishop: Então, o que dizer para os céticos que dizem: ‘Olha, sim, todas estas empresas estão fazendo estas apostas, mas no final os usuários não vão querer mergulhar em um outro mundo’? Eu acho que para as pessoas, é um salto um pouco avançado entrar em realidades alternativas. O que você diz para os incrédulos?

Scoble: Bem, o mercado local está gastando centenas de bilhões de dólares para trazer essas coisas para você, e eles terão benefícios reais. Esqueça todo o material holográfico que o HoloLens está fazendo. Só o fato de receber tantas telas em torno de você como você quiser. Então, digamos que você é, por exemplo, um analista financeiro. Agora você está trabalhando na frente de cinco telas. Qual o custo? Aproximadamente 2500 por cinco monitores ao seu redor. Bem, e se você quiser fazer isso, enquanto você está andando por aí, ou no metrô, ou numa praia ou numa festa? Bem, agora pode usar aqueles óculos da Apple que chegarão ou da Microsoft e você pode ter esses mesmos cinco monitores e ter o seu negócio onde você estiver.?

??Eu espero que estes óculos custe menos de 500 dólares e isso é um fator muito importante. Estou vendo lotes de óculos que serão anunciados este ano, com lentes de Lumus, Vuzix e outras. Estou ouvindo que a Apple está colocando tudo isso no telefone, no seu bolso ou bolsa e você vai usar óculos que terão um poder pequeno de computação, deverá trabalhar em conjunto com o iPhone. E então, vemos diferentes filosofias, certo? Microsoft HoloLens pode ir em uma direção um pouco diferente, já que o poder computacional do HoloLens está contido nele. Magic Leap vai em outra direção, então vamos ver, vamos ver.
Bishop: Então, eu sei que há toneladas de coisas para se falar. O que mais te anima neste tema que está em sua mente?

Scoble: Sabe na CES — depois que voltei da CES e Sundance estudei este novo mundo — e eu vi essas lentes Lumus, uma empresa de Israel pouco conhecida, focada em ótica. Elas estão presentes no meu telefone e nos óculos Spectacles do Snap. Agora, estes óculos do Snapchat, não tem quaisquer telas e as lentes Lumus neles têm um monitor 720p sobre essas lentes e são do mesmo tamanho. É por isso que eu acredito que este material irá bombar este ano. Não vem só da Apple, vem de todos os tipos de lugares.

Bishop: Então é um minúsculo display incorporado nos óculos. Será que veremos isso em lentes de contato também.

Scoble: Sim, as pessoas me perguntam isso o tempo todo — quando é que teremos isso em lentes de contato, ou quando é que vamos conectar o cérebro. Veja um exemplo, se você é cego, já pode conectar o seu cérebro. Custa USD $150.000 dólares para ter uma cirurgia assim. E ele vem com algumas desvantagens, porque você vai tocar o nervo óptico. Se errarem, bem, isso vai estragar as coisas, mas se você já está cego, vale a pena correr os riscos, porque você vai recuperar a visão talvez, onde você não tem qualquer visão hoje. E essas técnicas conduzirão pelo caminho para descobrir como fazer isso custando muito menos dinheiro. Mas, isso ainda é bem futuro.

Bishop: Quanto tempo?

Scoble: São 15, 20, 25 anos. Eu não posso ver tão longe. Todos nós sabemos que está vindo. Mas, você sabe — quando? Na próxima década vai ser sobre óculos. Não vejo como você vai fazer de maneira alguma, nada, além de óculos, em um mercado de massa.

Bishop: Acho que ainda sou um dos céticos. Vamos falar sobre o Google Glass um pouco, porque estávamos falando sobre isso ontem. E você já tentou o Google Glass. Há uma foto famosa de você no chuveiro com eles. O que deu errado e como agora será diferente?

Scoble: Em primeiro lugar, o que está chegando no mercado é completamente diferente do Google Glass. Google Glass era apenas uma pequena tela acima no canto do seu olho que mostrava notificações. Tipo, “Ei sua esposa escreveu algo no Facebook Messenger”. Não é o que estamos tratando aqui. O que falamos de realidade mista é que você verá alienígenas saindo de dentro das suas paredes. Que tudo está pronto e acontece com o meu HoloLens.

Estes óculos vão colocar as coisas virtuais no topo do mundo real. O Google Glass não fez isso, e isso é parte do problema com Google Glass. A expectativa é que isso vai sobrepor informações sobre as coisas e as pessoas que você está olhando. E os óculos vão fazer isso, já estão fazendo, mas não o Google Glass, ele veio muito cedo. A vida de massa só durou 45 minutos. A câmera estava comprimida no software, então ficava enevoada. Não era tão afiada quanto uma GoPro, por exemplo — blá, blá, blá. Esses problemas estão todos indo embora em algum nível, ou eles vão ser evitados. Eu continuo ouvindo rumores de que os óculos da Apple não têm nenhuma câmera neles além do sensor 3D, que é uma forma de uma câmera. Porque a Apple está tentando evitar os problemas de privacidade com isso, entendeu? Então, serão filosofias diferentes. O Snap vai colocar duas câmeras nessas coisas e vai te entregar 3D.

Bishop: O que você acha sobre Snapchat, para quem não sabe, Scoble é o pai do SnapChat. Eles redefiniram sua marca como basicamente uma empresa de câmera. Que parece um pouco duvidoso, para mim, mas você acha — eles são um jogador legítimo neste espaço? Porque parece uma novidade.

Scoble: Os óculos são a melhor maneira de criar meios para snaps. Então, se você se importa em ser cool aos 20 anos de idade, você vai querer receber isso.

Bishop: Não realmente.

Scoble: Bem, você não se importa, mas há um monte de gente lá fora que se importam. Há um monte de marcas que querem este público de 20 anos de idade e convencê-los a usar sua pasta de dentes ou coisas assim.

Bishop: Eu me importo com os nossos leitores de 20 anos de idade.

Scoble: Entendeu então? A maioria das pessoas estão no Snapchat ou Instagram, ao invés do Facebook ou Twitter. Então, se queremos alcançá-los, precisamos começar a iniciar canais e conteúdo de mídia para eles. E se você vai fazer isso, então, provavelmente vai comprar um óculos do Snapchat, porque eles vão criar a melhor mídia para esse canal. E isso é uma ótima maneira de olhar para ele: esta é a câmera para esse canal. E se você quiser usar o Facebook, você vai usar um canal diferente.

Bishop: Bem, é interessante — você vê um lugar para smartphones neste novo mundo? Porque você sabe, muito das experiências inicias com VR (realidade virtual) são baseadas no smartphone, onde você apenas o encaixa no headset.

Scoble: Prevejo que dentro de três anos, eu não estarei usando um telefone muito frequentemente. Eu estou usando principalmente óculos [realidade mista], porque com os óculos você tem monitores virtuais, a quantidade que eu quiser e isso o smartphone nunca poderá oferecer. Em casa eu tenho cinco monitores sentado na minha mesa — monitores virtuais que parecem reais — quando estou usando os óculos parecem monitores reais, e eles são verdadeiros monitores.

Bishop: O que você está usando um Vive ou algo assim?

Scoble: HoloLens.

Bishop: A edição de desenvolvedor.

Scoble: Sim eu tenho ele aqui. Dizem que é uma edição de desenvolvedor, é muito caro para os consumidores e muito pesado e muito escuro.

É perfeito, todo mundo que tem agora um HoloLens, sente-se como um geek. Mas logo as coisas grandes vão ser pequenas. E então, vamos descobrir onde está a diversão realmente. Porque eu vou usar uns óculos muito leve, por muito tempo. HoloLens é muito difícil de usar por mais de uma hora.

Bishop: Os fatores de forma ainda me incomoda. Em um jantar ontem à noite, duas pessoas trouxeram seus óculos do Snap junto com eles. Mas para mim, não quero ter que trazer meus óculos ou colocar óculos quando estou jantando, eu só quero apreciá-lo, ou usar meu smartphone para fazer algumas coisas.

Scoble: Vamos falar sobre games. Porque acabei de falar com as equipes esportivas. Eles já estão colocando os sensores ao redor do estádio para controlar todos os jogadores em tempo real. E você vai usar os óculos e você vai olhar, você sabe, quem é seu jogador favorito?

Bishop: Damian Lillard, dos Blazers.

Scoble: Tudo bem, então você vai olhar Damiam Lillard, e como ele está jogando, você vai ver as estatísticas em cima dele, o quão rápido ele está correndo. Se ele for atingido, onde foi a pancada, sabe. Podemos prever quando a bola saiu da mão dele e o arremesso foi feito, certo? Porque já temos mísseis — e tecnologia para descobrir se um míssil não vai bater em nada, ok.

No futebol, vão colocar um sensor na bola para assistir sua taxa de rotação automaticamente, quando o quarterback solta a bola. Quer dizer, isso é o que está para acontecer. Então você vai usar esses óculos na NASCAR ou na Fórmula 1, ir a um jogo de futebol, ver um jogo de futebol com muito mais detalhes. Outra coisa, você pode se cansar dos assentos de arquibancada, mas é o que você pode pagar. Então, você poderá clicar no óculos do Bill Gates e ver o jogo do ponto de vista dele?  Possivelmente. E certamente, se houver uma câmera Nokia 360 ao lado dele, você pode escolher essa câmera e sentar ao lado de Bill Gates por um tempo.

Bishop: Onde a Amazon está neste mundo?

Scoble: Eles estão trabalhando nisso, conheço pessoas que estão trabalhando nisso. E é um negócio muito grande para a Amazon ignorar de qualquer maneira, porque isto vai mudar shoppings e lojas. Uma concorrente sua está trabalhando nisso, então é claro, a Amazon está trabalhando nisso, para não mencionar que eles têm algumas vantagens reais neste mundo. Porque já estamos comprando tudo da Amazon. Meu livro é publicado pela Amazon, então.

Bishop: Bem, você mencionou que se eu tivesse com meus óculos agora e eu estou olhando para seu livro aqui, olhando sua jaqueta, eu poderia apenas instantaneamente comprá-lo. Só de olhar para ele. Tenho certeza de que a Amazon está pensando isso, certo?

Scoble: Sim. Essa mesma coisa foi mostrada para mim pelo fundador da Eyefluence que foi vendida para o Google. Então vamos ver o que a Amazon está tramando. Amazon não precisa mover-se tão rápido porque não temos essa expectativa dela — que eles vão ser o computador que vamos usar. Temos essa expectativa com Google, Android, Apple, Microsoft. Mas a Amazon poderia ser um disruptor aqui. Vai ser divertido de assistir, como a Amazon entra neste mercado.

Bishop: Eles tem a Alexa, então parece que vai haver uma confluência natural entre tecnologias de voz, máquina de aprendizagem, inteligência artificial e este novo mundo de realidade mista.

Scoble: Sim. Poderia, e eles têm um monte de mídia, também, que você vai querer jogar neste novo mundo, porque isto vai ser como assistir TV. Isto é, a TV personalizada, certo? Quando você está usando os óculos você pode ver apenas uma coisa que está assistindo, e você receberá uma tela tão grande como você deseja. Então, agora eu estou assistindo em uma tela de 60 polegadas bem na minha frente. Por que não posso só pegá-la com minhas mãos, torná-la maior e colocar a tela onde eu quiser perto de mim. E é o que vem com realidade mista. É por isso que o produto de TV vai ser interessante. Porque você vai ter que comprar uma TV nova, o novo iPad, o novo iPhone, o novo relógio e os novos óculos. Isto significa mais de USD $3000 dólares de coisas da Apple chegando para nós.

Bishop: Bem, talvez não precise comprar uma TV nova.

Scoble: Não precisa na sua TV atual, mas nesta, você vai querer porque ela tem o sensor PrimeSense nela. Agora, para que um sensor 3D na sua TV? Porque ele pode apontar para o seu corpo e agora você pode fazer VR com o corpo todo. Você pode fazer kickboxing ou ioga ou qualquer coisa que requer a utilização de suas pernas e mãos. Hoje, todas as ferramentas VR usam apenas as mãos, no HTC Vibe e no Oculos Rift que eu tenho em minha casa, estes sensores “assistem” seu headset e suas mãos e sabem onde essas coisas estão no espaço. Mas, em breve, você vai usar o corpo inteiro como VR (Realidade Virtual).

Bishop: Sua descrição parece meio equivalente ao Kinect?

Scoble: De onde veio o Kinect? Ele foi licenciado da PrimeSense, agora comprado pela Apple.

Bishop: Embora a Microsoft — e as pessoas que estavam naquele time com Alex Kipman iria entrar em uma discussão com você sobre isso.

Scoble: Eu sei. Mas sabe, eles licenciaram sua tecnologia da PrimeSense.

Bishop: Sim. Sim.

Bishop: Sim, eu sou curioso — Robert, obviamente você está um pouco animado para esse futuro, mas está preocupado com alguma coisa? Você tem medo?

Scoble: Duração da bateria. Estou preocupado com a vida da bateria, porque estas baterias vão ser muito pequenas e os processadores são realmente pequenos — tudo é realmente pequeno.

Bishop: Carregamento sem fio?

Scoble: Carregamento sem fio vai ser uma grande parte disto, certo? E soube que a Apple tem algumas coisas legais, chegando, uma próxima geração de carregamento sem fio. Vamos ver se aparece.

Bishop: Nathan Myhrvold e intelectual Ventures, eles mostraram umas coisas novas.

Scoble: Vamos lá. Então, eu continuo ouvindo esse tipo de coisa. Esse carregamento sem fio está vindo. Broadcom na CES há dois anos me mostrou carregamento sem fio em almofadas, onde você pode segurar um relógio ou um telefone sobre ele e até mesmo um metro longe dela e ainda vai carregar. Então, ouvi que lá está vindo tecnologia mais recente do que isso. Então, vamos ver.

Bishop: Mas, privacidade e perda de conexão humana seriam duas das principais preocupações que as pessoas teriam.

Scoble: Porque com a realidade mista se aproximando, pode-se fazer qualquer coisa visual que você inventar. Qualquer coisa!

Bishop: Isso é bom ou ruim? Nesse ponto eu não vou querer ser experiência do mundo real, se posso fazer tudo o que quiser no mundo virtual.

Scoble: Bem, primeiro de tudo, este mundo é AR (Realidade Aumentada). Há coisas no topo do mundo real, então você está recebendo a mistura, é por isso que chamamos de realidade mista.

Bishop: Sim, vocês usam essa frase. A Apple vai inventar algum comércio, tipo: iWorld.

Scoble: Mundo Apple, sim. Mas há muita verdade nisso. Melhor falarmos sobre estes novos mapas 3D que estão saindo. No meu HoloLens, jogo um jogo chamado fragmentos. Onde você mapeia para fora de seu quarto com os óculos e depois coloca um assassinato em seu quarto e você tem que resolver o assassinato com pistas que estão em todas as paredes. E há até mesmo pequenos ratos virtuais correndo trás dos seus pés. E é assustador como o inferno. Mas isto mostra, que quando você se mete numa encrenca como realidade mista, você vai misturar a realidade. Algumas coisas vão ser virtuais e algumas coisas vão ser físicas, e em 10 anos vai ser realmente difícil dizer a diferença. Talvez menos, certo?

Bishop: Porque os objetos físicos terão endereços IP, eles serão cidadãos naturais do mundo virtual.

Scoble: Sem mencionar, pense agora sobre o que os comerciantes vão fazer com isso. Você vai entrar em um hotel e ver um hotel aumentado. Você vai ver uma coca-cola que pode ser aumentada, e a Shakira vai saltar da lata de Coca-Cola e fazer uma performance bem na sua frente e pular então, de volta para a lata de Coca-Cola. As empresas automotivas estão todas pensando sobre isso. Mercedes Benz já está pensando em dar-lhe que um par de óculos de realidade mista no porta luvas, para que quando você furar o pneu, você vai colocar os óculos e ele vai te ensinar um passo a passo, a trocar o pneu. E você terá a garantia que você fez seu trabalho corretamente. Você apertou os parafusos o suficiente na roda e ele pode ver isso, e te dar pontos no Pokemon quando você fizer isso direito, se eles quiserem.

Por que você acha que gosto tanto de VR? Porque VR resolve a dor física e emocional. Exemplo: você está brincando de tiros com seu amigo em um paintball e esquece seus problemas. É por isso que entrei no VR.  A Bowing, no fim da rua, têm centenas de HoloLenses e eles estão ensinando as pessoas como consertar motores a jato com essas coisas. Esta é a melhor tecnologia de educação e os humanos já inventaram, e ensina em tempo real quando você está fazendo alguma coisa— você não precisa ir para uma sala de aula por uma semana. Vá, pegue os óculos e você já sai para trabalhar. Então, ele te mostra na parte superior do motor a jato — as etapas que você precisa saber como para corrigir esse motor a jato. E ele verifica seu trabalho, como você está fazendo, então ele se certifica de que você não cometa nenhuma asneira com determinado parafuso e solte em pleno voo, certo?

Bishop: Uma das minhas demos favoritas do HoloLens no início era a do eletricista, ou a demo do encanador, onde o encanador está sentado em seu escritório com um tablet e o consumidor em casa com um HoloLens, literalmente vendo e anotando na frente dele, como consertar o encanamento. Há muitas aplicações de diferentes negócios aqui também.

Scoble: Absolutamente. O novo parque temático da Disney em Xangai, China. Eu fui a ele, é lindo. Tudo foi construído em VR. Novos carros da Ford, você vai para os laboratórios de P&D, eles usam VR para construir carros agora. Não se constroem modelos de argila mais tão frequentemente, porque eles são muito caros. E se você quiser mudar o projeto do para-choque em um modelo de argila leva uma semana para refazer uma rebarba do para-choque. Agora demora alguns segundos, em VR. Apenas aponte para ele e você alterar a forma.

Bishop: Então você está dizendo, basicamente, que os benefícios vão pesar qualquer ponto negativo.

Scoble: Sim. De longe. E é por isso que eu sei que isto vai acontecer rápido. Quando as pessoas usam o HoloLens em seu rosto e percebem o que realidade mista pode fazer por eles, eles ficam sem palavras. Meu filho chama de “seu super poderes”.

Bishop: E você acha que, falando do Hololens, você disse que Satya Nadella, CEO da Microsoft está apostando, você disse algo como apostar todo o futuro da empresa no Hololens?

Scoble: Sim, quando eu estava no Gitech, tudo o que você via na porta da frente foi Microsoft Hololens. Eles estão apostando muito nisso. Porque eles sabem que essa interface de usuário vai ser utilizável por muito mais pessoas, mesmo analfabetos podem usar realidade mista, porque ele funciona da mesma forma como o mundo real funciona. Como uma criança de dois anos, você aprende a pegar uma lata ou um lápis muito cedo na vida, e está é a habilidade que você precisa para trabalhar em VR ou AR.  É zero instrução, aprendizagem. Vi uma criança de uns quatro anos de idade, entrar em minha casa, só pegar o headset, um HTC Vibe e os controladores e foi para a cidade sem ninguém dizer o que fazer. Ela sabia como funcionava porque é assim que o mundo real funciona.

Bishop: Se você fosse alguém querendo entrar na realidade virtual, qual dispositivo você escolheria?

Scoble: Hoje?

Bishop: Sim, hoje.

Scoble: Eu provavelmente iria de HTC Vive, porque tem a melhor tecnologia de escala de quarto, onde ele define a caixinha que você pode andar em torno dele. E os jogos e as experiências, estão mais maduras no HTC Vive, do que o Sony Play Station VR ou o Oculus Rift. Agora Oculus, é difícil. Seis meses atrás eu recomendaria fortemente o HTC. Agora, eu não sei, porque os controladores de toque do “Oculus Rift” são melhores que os controladores do HTC Vibe. Mas o HTC tem novos controladores, então, agora é uma guerra. Espere seis meses e tudo sobre este mercado já mudou. E certamente, quando a Apple estrear neste mercado, vai fazer muito mais do que faz o HTC Vibe, porque vai completar os seis graus de liberdade VR, bem como a realidade mista. Então, vai ser um ano divertido em ver como todas essas empresas competem uns com os outros. Acho que a HTC está bem, a propósito. Mesmo que a Apple tenha muito, muito sucesso. Porque eu acho que o HTC vai ser a escolha para colocar em muitas destes arcades VR. E só na China, dizem que já há 1000 arcades VR, onde você pode entrar e alugar um HTC Vibe ou um Oculus Rift e jogar com seus amigos, certo.

Bishop: Agora a Microsoft tem o Windows Holographic, que essencialmente se estende a tecnologia que está na Hololens para dispositivos de terceiros. Um discurso muito geralmente lá.

Scoble: Sim.

Bishop: E eles estão saindo com dispositivos de terceiros neste ano, alguns dos seus parceiros. Será que o Windows vai a dominar com o OS aqui? Como é que funciona?

Scoble: Tanto quanto eu amo meu HoloLens — acho que a Microsoft tem feito o melhor trabalho — eles ainda estão nadando contra a corrente. Todo mundo tem um Android ou um iPhone em seu bolso, e como a Microsoft vai conseguir te convencer a comprar uma coisa de 1000 dólares em cima disso? Isso é muito difícil. Não percebo como é que eles vão chegar lá. Mas, eles foram os primeiros neste novo espaço. E espero um novo HoloLens 2.0 e espero grandes melhorias. E vamos ver, vai ser uma guerra sobre estas coisas. E não sei como se desenrola. Sabe, ainda não vimos os jogadores. Mesmo com o tanto que eu sei sobre o que Apple está aprontando, não faço ideia de quão boa é a sua inteligência artificial. Espero que seja, já que eles têm 600 pessoas trabalhando nisso. Mas eu não sei. Você sabe, há um monte de “se”. E, não sei bem como Microsoft é. Claramente, o primeiro HoloLens foi muito bom. Isso foi uma boa primeira tentativa em um novo mercado. Mas eles precisam melhorar muita coisa para ser um produto de consumo de mercado de massa e um dispositivo que vai roubar os usuários do Google e da Apple. Bem, isso é uma coisa difícil.

Bishop: E outras empresas atuando neste mercado?

Scoble: Quando visitamos a Sephora, um grande varejista de cosmético, eles já têm realidade aumentada na maquiagem, você já pode experimentá-la em seu iPhone. Para que você tenha o app da Sephora, aponta para seu rosto, experimentar um batom rosa em seu rosto. E o produto que você experimentou em seu iPhone é a cor que corresponde ao produto físico. Isso facilita as coisas. E estão construindo — Eles estão pensando sobre esse mundo de realidade mista onde, Apple e outras pessoas vão andar em suas lojas e querem experimentar a loja de uma maneira diferente. Eles já estão aumentando sinais quando você entra na loja com seu telefone. Então eles já estão pensando sobre quando você está andando na loja com os óculos, e você tem este app da Sephora, você pode testar várias coisas sem colocar na sua pele.

Bishop: Esta é apenas a Sephora e ainda mencionamos as equipes esportivas. Quer dizer, isso estará em todos os lugares.

Scoble: Sim, por isso dizemos que vai mudar tudo. Quando começamos a fazer esse trabalho, visitando empresas e realmente pensando bastante nisto, o que aconteceria se a Apple realmente vender óculos para todos os usuários de iPhone? Você sabe, só no último trimestre eles venderam 78 milhões dos iPhone do 7 e 7 Plus, e este é um produto que não é realmente, tão inspirador. É iterativo. Comparado a um iPhone 6S, tem uma câmera um pouco melhor. Okey, legal, mas, isso é realmente uma razão para comprar um telefone novo? Mesmo assim, eles venderam 78 milhões. Imagine no próximo ano, quando eles tiverem realmente produtos incríveis e novas tecnologias. Quantas pessoas vão comprá-lo — 100 milhões, 150 milhões, 200 milhões? Não acho que eles conseguiram produzir o suficiente. Isso vai ser um problema para a Apple, certo. Então, acho que este é o motivo de abrir uma fábrica na Índia recentemente. Se a Apple vai realmente expandir o mercado visivelmente nos próximos três anos, ela vai ter que construir um monte de produtos.

Bishop: Então, quando você está falando de Apple, está se baseando em pistas públicas ou conhecimento?

Scoble: Ambos. Quando você visita tantos laboratórios de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) e tem tantas relações com pessoas do alto escalão na indústria eletrônica de consumidor, você descobre essas coisas. E eu entrevistei o fundador da PrimeSense e fundador e CTO da Metaio por volta de 2011, que me levaram a este livro. E essas empresas foram compradas pela Apple. Veja, se você voltar para essas entrevistas, eles dizem o que vão fazer com suas vidas. E presumo que eles vão entregar esse ano. Em 2011, o CTO da Metaio me mostrou monstros nas laterais de arranha-céus. Ele nos levou lá fora e ele disse para olhar, colocamos monstros nas laterais dos edifícios. Agora, quando eu pego os óculos, estou esperando explodir toda a cidade com alienígenas. E isso será visto da sua posição. E se ele não fizer, a Leap Magic faz, ou o HoloLens vai fazer isso. Porque eu já tenho alienígenas saindo de minhas paredes com o meu Hololens, então, o que virá para o entretenimento? Muito. Na verdade, acabei de jantar com Ted Schilowitz o futurista da 20th Century Fox, a companhia de cinema. E ele está muito otimista sobre essa tecnologia. Ele disse que este é um grande negócio para a indústria de entretenimento, porque nós vamos ser capazes de ver uma tela enorme na frente de nós, mesmo sentado no saguão do aeroporto, aguardando um voo ou pegando um metrô. Agora, de repente, podemos ver um filme na mesma glória que você teria indo a uma sala de cinema.

Bishop: O que vamos dizer sobre sexo?

Scoble: Ah, isso não poderia faltar.

Bishop: Isso é show a parte. Sexo com “robôs aumentada”? Isso?

Scoble: Eu acho que vai mudar profundamente, porque minha esposa será capaz de me vestir como o Brad Pitt.

Bishop: Disse o suficiente. Robert Scoble! Obrigado por se juntar a nós nesta semana! Oh, isso é bom. Todas as outras grandes áreas que você está cobrindo?

Scoble: Relógio com indústria de auto-condução estão fazendo com realidade mista, porque as tecnologias são muito semelhantes. Os LiDARs são focalizáveis é uma das coisas mais recentes que estão chegando, de empresas como Quanergy. Há um novo motor AI em para carros conectados de condução suave, vindo de uma empresa chamada DeepScale e outros. E há um novo mapa 3D, vindo de uma empresa chamada Luminar Technologies, que também está construindo sensores para o para-choque dianteiro. E estas, são todas as empresas de modo invisível, que ainda não vimos os seus produtos. Mas eles estão chegando. E eles trabalham de um jeito similar a estes óculos de realidade mista, que têm um sensor que pode ver o mundo em 3D. Ele tem um cérebro de inteligência artificial e vai precisar de um mapa 3D. Porque quando você anda em um determinado quarto no Hotel Ritz, por exemplo, vai saber que está naquela quarto, porque cada quarto é diferente. Se você pensar sobre isso e tem prestado atenção nisso por mais de um ano, nunca esteve em um quarto que é exatamente igual a outro. Mesmo em um hotel, onde os quartos são praticamente o mesmo, mas cada quarto tem algo um pouco diferente de qualquer outro quarto no mundo. Então, seus óculos podem ver essas diferenças — e eles vão, vai saber exatamente que você está agora na sala 318 do Ritz, e você está olhando para fora em direção a janela — e assim pode fazer coisas, em todas as superfícies e colocar Mick Jagger em seu quarto de hotel, se você quiser.

Bishop: Descreva sobre a aplicação de realidade mista que você mais está animado no futuro?

Scoble: Eu vou te dar um que eu quero e a Microsoft tem e já nos mostrou. Eu quero dizer “Ei Cortana” — se eu estou usando as classes Microsoft — mostre-me a visão do telescópio Hubble no céu. Porque eu nunca posso ver o céu porque temos poluição luminosa nas cidades mais modernas. E você sabe, muitas outras poluições. E a Microsoft tem uma coisa chamada de “Word Wide Telescope” (o telescópio amplo do mundo), onde eles têm 30 telescópios diferentes e você pode ver e se encantar, desde a visão do telescópio Hubble ou a exibição do telescópio Keck. E eu quero ver em cima do céu quando estou lá fora com os meus filhos e eu quero mostrar-lhes o universo da maneira que o Hubble vê, não do jeito que os meus olhos vêem.

Bishop: Brad Pitt e sexo, eu ainda estou pensando sobre isso.

Scoble: Mas é sério, você tocou em alguma coisa. Esta é a melhor tecnologia de educação, os humanos já a inventaram.

 

Fonte: GeekWire

 

Share.

About Author