AnálisesAplicativos

[Análise] Microsoft Edge no Android

Testamos o Microsoft Edge no Android e hoje você vai saber o que achamos da experiência de usar o browser da Microsoft no S.O. da Google, mas lembre-se, no Android, o Edge ainda está em versão Preview e nem tudo está 100%, então, vamos levar isso em consideração nessa análise.

A primeira coisa a se fazer ao usar o Microsoft Edge pela primeira vez no Android é fazer login em sua conta Microsoft. Recomendamos fortemente que você faça isso para que sua experiência seja completa. Essa parte é bem simples, então, vamos adiante. Feito o login, se quiser, você pode escolher colaborar ou não enviando dados do seu uso enquanto navega pela internet. Se seu intuito também é ajudar na evolução deste aplicativo, concorde com os termos.

A home do App é bem simples e limpa. Nela você encontrará alguns atalhos para seus sites prediletos, a barra de pesquisa do Bing, inclusive com direito a busca por comando de voz integrada e leitor de QR Code, tal como acontece com o aplicativo do Bing. Por falar nele, veja aqui algumas dicas que demos sobre o Bing no Android. Além desses atalhos e da barra de pesquisa, temos os botões para acessar outras abas, as setas de navegação, o botão de “Continuar a experiência no PC” (só funcionará a partir da Fall Creators Update do Windows 10) e um que fica no alto da tela do lado direito, que dá acesso aos favoritos, a lista de leitura, livros, histórico e downloads.

Tem também os “…” na parte de baixo das páginas pelo qual é possível acessar a cartela de opções. Aqui tem opção para adicionar uma nova aba, abrir uma aba para navegação anônima, encontrar um termo na página, opção para adicionar a página a home do APP, configurações, feedback e uma outra chamada de “View Full Site”, que nada mais é do que um atalho para alternar entre a versão Mobile do site e a desktop. É uma boa opção, já que na maioria dos navegadores é preciso ir até as configurações e escolher a opção “Modo de visualização para desktops” para alternar entre as visualizações. Claro que também não poderia faltar o botão para compartilhar suas páginas e textos favoritos por meio da Central de Compartilhamento do Android, que alias, dependendo da versão do Android e do aparelhos, tem até integração com impressoras.

Até aqui o Edge demonstrou contar com praticamente todo tipo de apetrecho que seus concorrentes tem, sem deixar nada a desejar em funcionalidades, exceto pelo fato de ainda não ser possível integrar um tradutor automático, como o Google Translator ou o próprio Bing Tradutor. Infelizmente ao acessar uma página em outro idioma será preciso copiar o texto para traduzi-lo em outra aplicação. Quem sabe no futuro eles integrem o Bing Tradutor nele.

Nas configurações é possível personalizar algumas coisas, inclusive o buscador padrão. E possível escolher o Bing, o Yahoo! Brasil, o Google e o Ask Brasil. Tem opção para salvar senhas, editar as permissões dos sites, entre outras coisas. Dentro das opções de acessibilidade, temos a opção para aumentar a fonte até 200% ou ainda para executar o “Zoom Forçado”, já que alguns sites não permitem o pinch zoom, porém, com essa opção marcada, o zoom poderá ser executado em qualquer site.

Quando dissemos que seria muito bom fazer login com sua conta Microsoft era porque valia a pena mesmo. O Edge no Android pode sincronizar seus favoritos e itens pesquisados com base nos dados da sua Microsoft ID. Isso é muito bom e integrado.

Outra funcionalidade bem útil é o botão dedicado a fechar todas as abas abertas de uma só vez, que pode ser acessado nas opções da tela de gerenciamento de abas. Claro que também é possível fechar uma a uma, mas, se a necessidade é fechar tudo de uma só vez, basta escolher a opção “Fechar todas as abas”. Aqui temos mais uma pequena crítica, pois, o modo de visualização é demasiadamente simples. Faltou algum capricho aqui.

Finalmente chegamos ao que mais interessa a todos… a velocidade do browser. Comparativamente falando, testamos dois browsers, o Google Chrome, que é o mais usado pelos usuários do Android, e o Microsoft Edge, e o Chrome se mostrou ser ligeiramente mais rápido no carregamento de páginas e na inicialização.

Enfim, na prática, a experiência de navegação é muito semelhante e dificilmente o usuário perceberá uma grande diferença no carregamento de qualquer site. Sendo assim, a decisão de usar ou não o Edge vai muito do gosto de cada. Tem o quesito interface e integração, praticidade e também o fato de que para aproveitar melhor o Edge é preciso uma conta Microsoft, enquanto para usufruir das benefes do Chrome é preciso uma conta Google. Acredito que sabe quem está vindo do Windows 10 Mobile se sinta mais a vontade com o Egde, ou mesmo quem já está habituado a usar o browser no Windows 10 Desktop terá a mesma sensação. O fato é que usar o Edge pela primeira vez no Android foi uma experiência muito boa.

A grande novidade e diferencial do Edge chegará apenas com a Fall Creators Update do Windows 10, que é a experiência de continuar de onde você parou por meio da integração entre seu PC e seu smartphone com Android. Quem sabe tal opção faça com que mais pessoas optem pelo Edge.

Ficou interessado? Qualquer um já pode baixar a versão Preview do Microsoft Edge na Play Store. Clique aqui para fazer o download.

Alexandre Lima
Microsoft MVP Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!