Arca de Noé

0

A todos é um prazer revê-los!

Agradeço bastante os pedidos que recebi de leitores requisitando o retorno de minha coluna. Obrigado. Alexandre, não deu para escrever essa coluna como você tinha solicitado na última semana, mas como esse é um final de semana prolongado, tempo não me faltou.

Recebi muitos pedidos de leitores solicitando uma análise do Windows 10, suas perspectivas, propostas e consequências. Seus pedidos é uma ordem…

Logo de início deixo claro que essa análise não irá agradar a todos, mas é uma análise realizada a partir do estudo da proposta da Microsoft, de suas ações práticas e dos eventuais erros que possa vir a cometer. Mãos à obra.

Quem já teve a oportunidade de participar de algum evento oficial da Microsoft esse ano após a apresentação do Windows 10 percebeu claramente essa proposta: a universalização do Windows como sistema operacional de uma vasta gama de produtos e serviços. Sim, é assustador e empolgante, mas irá funcionar?

Universalizar o Windows materializa o desejo de Bill Gates, que remonta a 1999, de levar seu sistema operacional a todos os produtos da humanidade. A partir de sua implantação, o sistema das janelas flutuantes não terá mais fronteira que não possa romper e apenas nossa criatividade irá determinar seu limite.

Sim, é assustador! É um novo horizonte e uma inovadora perspectiva. Lá vem a tormenta…

arca-de-noe

Representa a quebra de paradigma que possuímos atualmente de relacionar nossos equipamentos a suas possibilidades e funcionalidades, pois não haverá mais essa divisão. Tudo será compatível com o Windows. Todos poderão realizar a função que seu proprietário desejar. Qualquer equipamento ao adotar a winRT como plataforma de desenvolvimento, qualquer produto ou serviço imaterial ao adotar o Microsoft Azure como plataforma de hospedagem e distribuição em rede de dados. Não… não há mais limite!

O novo Windows será tão semelhante à Arca de Noé quanto possa parecer. Ele coloca todos na mesma embarcação. Todos mesmos. Programadores, usuários, equipamentos, produtos, serviços, aplicativos, games, músicas, filmes, vídeos. WinRT + Azure levará todos a uma nova experiência tecnológica: a computação total.

Ih… essa inovação irá afundar de vez! Dizem os pessimistas…

Barca Afundando

Sinto muito pessimistas, profetas do apocalipse, mas a tormenta que poderia afundar essa embarcação já passou e vocês não terão o prazer de presenciar a imagem acima.

Márcio, então, esse Windows 10 será fantástico!

Não… também não é bem assim.

Nós últimos anos a Microsoft colocou sua principal equipe de engenheiros para trabalhar nessa perspectiva. A equipe formada por Steven Sinofsky em 2010 conseguiu apresentar seu resultado final dois anos depois, ao apresentar o Windows 8. Muito criticado à época de seu lançamento, o fato é que o sistema chegou ao mercado ainda muito basilar, sem suporte a diversas tecnologias de seu tempo e… pagou o preço!

“Chutar cachorro morto é fácil.” nos ensina um ditado bastante popular e foi isso que toda a imprensa e a concorrência tem feito desde então. Porém, com toda a sorte e crítica o fato é que a concorrência não aproveitou sua oportunidade de atacar a base de desenvolvimento do Windows, que é a programação empresarial e profissional. O tempo passou e é chegada o início da virada!

O Windows 10 é ponto de virada no ecossistema da Microsoft. O momento crucial do início da transição entre as plataformas win32 para winRT, muito embora tal declaração não possa ser oficialmente revelada e tampouco será pelo menos entre os próximos 3 a 5 anos, ao revés de sua prática com suas suítes desktops sendo reescritas para aplicativos universais. Quando o Apple Macintosh alterou sua plataforma, a transição durou 4 anos, para um sistema operacional que há época não era utilizado sequer por 2% em escala global. Imagina só realizar o mesmo ato na plataforma presente em 92% da computação profissional mundial. Ela atinge diversos ramos profissionais, notadamente TI e sistemas governamentais que necessitam de tempo, bastante tempo, para sua readaptação a uma nova era. Há um longo caminho a percorrer e ao considerar as soluções de programação anunciadas em dezembro do último – interface gráfica adaptável UX, programação de complementos e Shell, novas API de câmera, sistemas de inserção de dados, ferramenta unificada de programação, SDK e DDK – e já apresentadas na WinHEC da China e confirmadas sua liberação na Build daqui à duas semanas! – eu particularmente previa uns 8 meses para as realizações e eles a disponibilizarão por completo em 4 meses! – sim, senhores, a a barca está a todo vapor!

Barca Aprumando

Então, já posso sair por aí bradando aos ventos que a partir do inverno de 2015 só dará Windows?

Quer mesmo saber a resposta?

Então não perca nossa próxima conversa onde abordaremos as perspectivas do Windows para os próximos anos numa análise bem acurada de todos os dados de mercado disponíveis.

Espero por vocês.

Adiante!

 

Share.

About Author

Apaixonado por computação.