ARKit para o iOS 11 pode afetar a estratégia de realidade mista da Microsoft?

0

O HoloLens é realmente algo bem futurista… o computador holográfico da Microsoft traz algo extraordinário em suas estranhas que são os hologramas junto com o que chamamos de realidade mista, em que a realidade virtual (VR) e aumentada (RA) são exploradas em um único ambiente. Sem dúvida o HoloLens ditará tendência em um futuro próximo quando óculos preparados para isso possam ser amplamente comercializados, porém, será que novo kit de desenvolvimento para tecnologia de realidade aumentada da Apple pode “roubar” o papel do HoloLens nesse futuro virtual?

O  ARKit para o iOS 11 é realmente algo sensacional, pois, ele não foi pensando para o futuro, mas sim, para o presente. De posse de suas ferramentas, os mais de 16 milhões de desenvolvedores cadastrado poderão criar centenas de milhares de aplicações que explorem o poder da Realidade Aumentada no iOS (AR).

O vídeo acima é um trecho do Keynote da Apple durante o WWDC 2017 e mostra como a empresa quer adentrar um pouco mais nesse universo de RA, ou AR no idioma nativo deles.

Tudo é muito promissor, já que se apenas 5% de todos os desenvolvedores cadastrados resolvessem criar algo usando o ARKit da Apple, teríamos cerca de 800.000 Apps ou jogos disponíveis na App Store com algum efeito de realidade aumentada. Isso é muito coisa, ainda mais se comparado aos menos de 200 aplicativos atualmente disponíveis para o HoloLens na loja que aproveitam suas capacidades de realidade mista.

Além disso, a ferramenta da Apple poderá ser explorada nos mais recentes devices da companhia, como o iPhone 6 e 7 e em alguns iPads. Isto é, não vai demorar até que usuários do iOS 11 comecem a aproveitar as inovações proporcionados pelo ARKit.

Então, é o fim do HoloLens e do Windows Holographic? De forma alguma…

O grande dilema é conceitual, já que a solução da Apple não é uma solução de realidade mista, mas sim, apenas de AR, isto é, de realidade aumentada. Para quem não sabe, realidade aumentada é diferente de realidade virtual, chamada por nós de VR.

A principal diferença entre estas duas tecnologias está no fato de que enquanto a Realidade Virtual permite a imersão do usuário em um ambiente 3D, a Realidade Aumentada traz elementos do mundo virtual para o real. Ao fazer uso da VR, a pessoa encontrará uma experiência multissensorial e com interação em tempo real, pois ela estará dentro de uma interface tridimensional, podendo simular ações e movimentos. Já no caso da RA não se trata de uma nova realidade criada. O que ocorre é que elementos 3D são inseridos em ambientes reais. Um exemplo da aplicação desta tecnologia é o jogo Pokémon Go, em que os monstrinhos de bolso podem ser vistos em diversos locais reais, por meio da câmera do smartphone. Ou seja, ao invés de entrarmos em um ambiente tridimensional como na VR, é o 3D que imerge em nosso mundo.

Além disso, na Windows Store ainda há poucos poucos aplicativos especialmente desenhados para o HoloLens, por outro lado, por ser compatível com os UWP, há milhares deles que podem rodar no ambiente de realidade mista sem problemas.

A tecnologia da Apple tem uma finalidade diferente da proposta do Windows Holographic e do HoloLens, pois, tudo é “amarrado” ao fato do usuário ficar preso a tela do seu iDevice para poder interagir com os objetos virtuais. Tudo depende e acontece na tela de um pequeno dispositivo. Então, imagine brincar de AR com um iPhone SE… sem graça demais. Na melhor das hipóteses a pessoa poderia usar um iPad para obter uma experiência um pouco melhor, no entanto, não é algo imersivo.

O PC holográfico da Microsoft vai muito mais além do que a tecnologia AR tem a oferecer. A Realidade Mista proporcionada pelo HoloLens é algo sem precedentes, pois, ela juntou tudo o que o AR já havia inserido, somou isso ao que a Realidade Virtual já vinha fomentando e ainda adicionou os hologramas nessa sopa toda, o que resultou num dispositivo de Realidade Mista ultra avançado.

E tem mais… empresas tem investido no melhoramento da tecnologia do Windows Holographic, como por exemplo, a Ultrahaptics, que criou uma forma do usuário “tocar” nos hologramas gerados pela plataforma de Realidade Mista da Microsoft (veja mais informações sobre isso aqui). A Microsoft Research também tem investido tempo e dinheiro em soluções mais “comerciais” para dispositivos de Realidade Mista como você pode conferir aqui. E olha que nem vamos adentrar no assunto “acessórios”, pois, coisas como os motion controllers voltados para dispositivos Windows focados em Realidade Mista (Windows Mixed Reality devices), são uma coisa de louco.

Esses Motion Controllers parecem um objeto que veio do futuro

A plataforma VR/AR da Microsoft ainda vai longe, pois, com o avanço da tecnologia o HoloLens ficará mais fino, mais leve, mais poderoso e mais funcional, com maior campo de visão e por ai vai. Sem falar na integração com os serviços cognitivos da Microsoft por meio da Intelligence Edge (Nuvem inteligente).

Então, a tecnologia da Apple explora algo já conhecido e voltado para o mercado atual e tem sua relevância, enquanto o projeto da Microsoft foi pensado para um futuro próximo e ainda tem muito o que ser explorado. São coisas diferentes com finalidades diferentes.

Share.

About Author

Funcionário Público Federal, formado em Licenciatura em Química, Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta do Windows Phone. Carpe Diem