Notícias

Bill Gates: maior erro da Microsoft foi ter perdido no mercado de smartphones

Um dos grandes fundadores da Microsoft, Bill Gates, admitiu durante uma entrevista ao Techcrunch que o maior erro que sua empresa já cometeu foi ter perdido para o Android do Google no mercado de smartphones. 

Vamos dar uma olha no trecho da entrevista em que o antigo CEO da empresa afirmou isso:

Você sabe, no mundo dos softwares, em particular das plataformas, esses são mercados que definem o vencedor. Então, você sabe, o maior erro de todos é o erro que eu cometi que fez com que a Microsoft não fosse o que o Android é hoje, [ou seja] o Android é a plataforma elementar para telefones que não é da Apple nem da Microsoft. Isso deveria ter sido algo natural para a Microsoft vencer (mas, não foi o que aconteceu, né? – grifo nosso).

É realmente o caso do vencedor leva tudo. Se você estiver lá com metade dos aplicativos ou 90% de muitos aplicativos, estará no caminho certo para concluir a desgraça. Há espaço para exatamente um sistema operacional não-Apple e o que isso vale? Quem sabe US $ 400 bilhões que seriam transferidos da empresa G [Google] para a empresa M [Microsoft].

E é incrível para mim, ter cometido um dos maiores erros de todos os tempos – e houve esse processo antitruste e várias coisas que, você sabe, nossos outros ativos, Windows, Office, ainda são muito fortes. Então somos uma empresa líder. Se conseguíssemos acertar, seríamos a empresa. Mas, tudo bem.

Portanto, essa ideia de que apenas pequenas diferenças podem se ampliar não existe para muitas empresas. Você sabe, se você é uma empresa de serviços, ela não existe. Mas, para plataformas de software, é absolutamente gigantesco. E então é em parte que você tem a mentalidade de todas as noites em que pensa: ‘Estou transando com isso?’ E eventualmente, nós estragamos um super importante.

São palavras poderosos e verdadeiras que saíram da boca de uma das mentes mais geniais da nossa geração. O fato dele enxergar todo esse processo dessa maneira, mostra que de fato houve uma guerra e que durante a batalha a Microsoft não jogou com as peças certas e perdeu uma das maiores oportunidades da sua existência. Como ele falou, perdeu a oportunidade de ser “A empresa”. Até brigas internas influenciaram em tudo isso…

Não é que a empresa não tentou, que não se esforçou, basta lembrar do Windows Mobile 5.X, do Windows Phone 7 e 8 e do Windows 10 Mobile para ver que eles tentaram, só não foi o suficiente para barrar o estrondoso crescimento do Android. Além disso, a impressão que ficou é que eles nunca deram a devida atenção ao mercado mobile, especialmente no momento do famoso “boom”, lá por meados de 2009… 2012. Esse mercado merecia “mais”, muito mais atenção.

windows phone
Esses dois aparelhos fizeram muito sucesso no Brasil entre os anos de 2012 e 2013 – Lumia 710 e 800. Se tivessem sido lançamento 3 anos antes com tudo que tinha a história atual poderia ser bem diferente…

Por falar em Android, não vamos de forma alguma tirar o mérito do Google, que foi um gigante nesse aspecto e investiu com precisão nas arestas que as demais plataformas foram deixando, como por exemplo, o Symbian da Nokia, que dominou o mercado por anos, mas que demorou demais para evoluir e subestimou o Android. O mesmo pode ser dito da BlackBerry e da própria Microsoft. Podemos dizer isso até mesmo da Apple e seu iPhone, que foram um dos pioneiros em algumas características importantes desse segmento, que mesmo ainda sendo bastante revelante, poderia ser ainda mais se não tivesse subestimado o “poder” do Android.

Android
Já na versão 9.0 o Android evoluíu muito desde seu nascimento é hoje oferece o que há de mais moderno em mobilidade

Gates observou ainda que ele está surpreso que a Microsoft tenha sobrevivido a este erro – algo que eu acho que muitos na primeira metade desta década duvidaram também, com muitos especialistas prevendo, por exemplo, que os iPads substituiriam os PCs e que a natureza do trabalho mudaria para que fosse possível fazer tudo em um smartphone. Nenhuma dessas coisas aconteceu, mas também não podemos  simplesmente afirmar que isso não ocorreu devido a ações corretivas da Microsoft. É algo muito mais complexo do que ações de uma empresa isolada. 

O que podemos afirmar é que a ascensão de Satya Nadella a presidência da empresa fez toda a diferença nesse processo de “sobrevivência”, pois, foi ele o responsável pelo processo de reinvenção da empresa que a levaram de volta ao topo das empresas mais valiosas do mundo, mesmo depois de ter ficado de fora do mercado de smartphones.

O gráfico acima mostra a valorização das ações da Microsoft nos últimos 3 anos, ou seja, pouco tempo depois de Nadella assumir a liderança da empresa as coisas voltaram a melhorar, porém, foram necessárias mudanças de paradigma diversas e profundas.

O que também ajudou foi a lentidão na evolução das relações de trabalho e em suas formas de execução. Previsões iniciais diziam que não demoraria para que as pessoas trocariam seus PCs por smartphones e tablets, porém, isso não se cumpriu e levaria um livro inteiro para tentar explicar por que isso não aconteceu ainda e outro para tentar prever se um dia isso acontecerá.

Enfim, é uma pena hoje sermos tão dependentes do Android, já que ele cobre quase 90% do mercado de smartphones, quando poderíamos ter ao menos três ou quatro sistemas operacionais digladiando entre em si.

Hoje, a presença da Microsoft no mercado mobile se resume a aplicativos. Quem sabe no futuro veremos um smartphone ou tablet rodando um Android personalizado pela Microsoft, mas não deixa de ser o Android por baixo.

Quem sabe a Nuvem seja o grande divisor de águas  daqui uns anos e é aqui onde a Microsoft pode dar a volta por cima e quem sabe ser novamente “A empresa”, contudo, Google, Apple, Amazon, Oracle e muitas outras não vão ficar só olhando e a briga vai ser das boas.

Quem será “A empresa” que vai liderar o novo Boom tecnológico chamado nuvem? Faça suas apostas!

Alexandre Lima
Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP - Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!