Cientistas desenvolvem bateria que dura 1 semana e recarrega em minutos

0

Hoje, um dos maiores problemas no mundo da tecnologia móvel é a duração da bateria dos aparelhos. Seja um smartphone, tablete, Notebook ou qualquer werable da vida, todo mundo sabe que se a bateria aguenta pelo menos 2 dias sem precisar ir para tomada já estamos falando de algo bom. Agora imagine se você só precisasse recarregar seu gadget uma vez por semana e essa recarga levasse apenas alguns minutos para ser completada?

Um grupo de cientistas da University of Central Florida (UCF), nos Estados Unidos, desenvolveu uma bateria supercapacitora capaz entregar tal façanha, e mesmo ainda sendo apenas um protótipo, o futuro desse produto é mais do que promissor.

A “super bateria” que eles desenvolveram vai muito além do que apenas entregar maior duração de carga e velocidade de carregamento. Em vez de usar reações químicas como as das baterias comuns, as supercapacitora armazenam eletricidade em forma estática na superfície de um material, permitindo a recarga mais rápida. Para isso, no entanto, elas precisam de placas feitas de materiais “bidimensionais” com amplas áreas de superfície que permitam o armazenamento de muitos elétrons. Essa característica dá a essas baterias a capacidade de serem recarregadas mais de 30 mil vezes, durando até 20 vezes mais do que as células de íon-lítio atuais. Isto é, além de recarregarem muito mais rapidamente e de oferecer uma autonomia muito maior, ainda duram até 20 vezes mais que as atuais baterias usadas no mercado.

Recorte virtual microscópico da superfície da super bateria

As aplicações dessa bateria sem dúvida podem ir muito além dos dispositivos móveis, alcançando facilmente os carros elétricos e até aparelhos domésticos.

Atualmente seus criadores tentam patentear o processo de produção da “super bateria”, que em tese é relativamente simples. O problema está no custo do produto, já que um dos insumos bidimensionais usados no processo é o grafeno, que é bem caro se comparado aos materiais usados nas atuais bateria de íon-lítio. Nada que não possa ser contornado com investimentos e produção em massa.

Fonte: tecmundo

Share.

About Author

Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP - Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!