Notícias

Criador do kernel Linux diz: “Talvez devêssemos começar a olhar mais para o ARM64”

“Talvez devêssemos começar a olhar mais para o ARM64”

Essa frase foi dita pelo nada simpático Linus Benedict Torvalds, que é nada mais nada menos que o criador do kernel do Linux, que é usado em sistemas operacionais como Android e Chrome OS; e do Git, sistema de controle de versões para desenvolvimento de software.

Conhecido por tacar o pau em muita gente graúda do mercado de tecnologia, Torvalds soltou duras críticas as mais recentes falhas de segurança Meltdown e Spectre, que afetam mais fortemente os processadores da Intel, mas também os modelos da AMD.

Resultado de imagem para Linus Benedict Torvalds
Linus Benedict Torvalds

Em uma entrevista concedida ao The Register, Torvalds disparou:

Por que tudo isso é feito sem quaisquer opções de configuração?

Um engenheiro de CPU *competente* resolveria isso certificando-se que a especulação não ocorre entre domínios de proteção. Talvez até um L1 I$ que seja codificado pela CPL.

Eu acho que alguém dentro da Intel realmente precisa dar uma longa olhada na CPU deles, e admitir de verdade que eles têm problemas, em vez de escrever notinhas para a imprensa dizendo que tudo está funcionando como projetado.

… isso significa que todos esses patches de mitigação deveriam ser feitos com “nem todas as CPUs são ruins” em mente.

Ou a Intel está basicamente dizendo: “estamos empenhados em vender lixo para todo o sempre, e nunca consertar nada”?

Porque, se for esse o caso, talvez devêssemos começar a olhar mais para o ARM64.

Por favor, fale com a gerência. Porque eu vejo exatamente duas possibilidades:

– a Intel não pretende corrigir nada

OU

– deveria haver uma forma de desativar essas soluções alternativas.

Qual delas está correta?

Pelo visto alguém da Microsoft já estava de olho na sugestão de Torvalds mesmo antes dela ser dada (rsrs), tendo em vista que ainda no final do ano passado vimos o lançamento do Windows 10 ARM64, que vai equipar vários novos dispositivos em 2018, como o ASUS NovaGo e o HP Envy x2. 

Sobre o Windows 10 ARM64, Terry Myerson da Microsoft falou:

“Estamos introduzindo uma nova cultura de trabalho, ofertando computadores sempre conectados”.

Quando falamos computadores sempre conectados é porque o chip da Qualcomm já oferece conexão com redes móveis de forma constante, tal como acontece com um smartphone qualquer, então, seu laptop passará a estar sempre conectado a uma rede móvel ou wi-fi.

O foco desas máquinas são: conexão constante com a internet, menor custo de produção e comercialização do que os PCs tradicionais com processadores tradicionais, maior segurança, nova cultura de trabalho, maior eficiência e velocidade na hora de sair do modo standby e, principalmente, maior autonomia de bateria.

Será que o futuro é mesmo o ARM64?

Alexandre Lima
Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP - Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!