DispositivosNotícias

Ex-Microsoft culpa fabricantes e operadoras pelo facrasso do Windows Phone

Esses modelos chegaram a ser amplamente vendidos pelas operadoras brasileiras

Muita gente ainda não aceitou muito bem o fato do Windows Phone/Windows 10 Mobile, ou corretamente falando, o Windows 10 ARM32 ter sido colocado pra escanteio pela Microsoft… os motivos para a chateação dos usuários são vários, porém, o principal deles é que muita gente não gosta do Android, e outra parte não tem dinheiro para comprar um iPhone. Dessa maneira, a alternativa era um smartphone com Windows, que oferecia uma experiência de qualidade mesmo em hardwares de baixo custo. Bem, a questão é que o S.O. não atingiu o sucesso desejado e terminou por ser colocado de lado.

Mas, quais foram os motivos para ele ter sido colocado de lado? Porque ele fracassará na sua missão de ser a terceira opção mobile? Ou porque a lucratividade era baixa frente ao investimento?

Até hoje as respostas para essas perguntas são bem vagas e é bem complicado apontar um culpado para essa questão, mas, o ex-Microsoft Brandon Watson, ponderou no Twitter os motivos que ele acredita terem sido os principais para o fracasso da investida.

Para quem não o conhece, Watson foi um diretor sênior no departamento do Windows Phone entre março de 2010 e fevereiro de 2012. Ele era responsável pela gestão de produtos de plataforma de desenvolvedor.

Ele respondeu a alguns questionamento do Alan Mendelevich, da AdDuplex, e negou que a lacuna de apps com relação ao iOS e ao Android tenha matado o sistema operacional. Durante o reinado do Brandon, ele famosamente havia conseguido chegar a marca de 60.000 apps na marketplace do Windows Phone e parecia ter obtido um sucesso significativo em reduzir o défice de apps, trazendo muitos aplicativos populares para plataforma, incluindo o famoso Angry Birds na época.

Na conversa é possível ver que Brandon não culpa o gap de Apps do Windows Phone com relação ao iOS e Android pelo fracasso da plataforma, mas sim, os principais culpados para ele seriam as fabricantes (OEMs) e operadora de telefonia.

“O Windows Phone morreu porque teria sido quase impossível bater a Google ou a Apple sem as operadoras e fabricantes de aparelhos abraçando-o. Tivemos uma sequência de dispositivos e quase não havia suporte pelas operadoras. Não podíamos ficar queimando dinheiro para agradar Sisyfus. Disse Brandon.

É um pouco de exagero apontar apenas esses dois culpados para uma causa tão complexa, mas Brandon tem razão em algumas coisas. De fato, quando o Windows Phone 7 nasceu em 2010, muitas fabricantes e operadoras apoiaram a iniciativa. Grandes OEMs como Samsung, LG e HTC lançaram logo que imediatamente seus modelos de Windows Phone 7 quando o S.O. foi anunciado. O problema é que ele chegou tarde demais e o iOS e o Android já contavam com milhares de aplicações em suas lojas, enquanto o Windows Phone 7 começou sua loja do zero. Como a linguagem de programação sempre foi diferente para cada S.O., os DEVs demoraram demais para oferecer suas criações no software da Microsoft e esse poderia ser mais um motivo para se incluir na lista de motivos para o fracasso do Windows Phone.

Logo em seguida, na minha opinião, viria o maior erro da Microsoft, que foi a compra da Nokia. Porque? A Nokia e seus Lumias já dominavam o mercado de smartphones com Windows, então, ao comprar a líder das OEMs, a Microsoft meio de afugentou os concorrentes, concorrentes que na verdade eram OEMs do seu sistema operacional móvel. Tanto que depois dos Lumias 620, 720, 820 e 920, quase nenhuma OEM lançou um novo aparelho realmente de destaque rodando o Windows Phone. Só deu Lumia depois deles. Esses quatro aparelho supriam praticamente todo o mercado de usuários de telefones com Windows. Então, de certa forma, a Microsoft afugentou suas parceiras e esse é mais um motivo para a lista de fracassos do Windows.

Esses modelos chegaram a ser amplamente comercializados pelas operadoras brasileiras

Ao mesmo tempo que as OEMs se foram, as operadoras foram junto, haja vista que muitas deles tem parcerias com as fabricantes, que por vezes lançam modelos exclusivos e ou bloqueados para uma determinadas operadoras. A dominação da Nokia quanto a smartphones com Windows, também pode ter prejudicado as relações com as operadoras também.

Vejamos que foram vários motivos para o fracasso do Windows Phone, mas os que Brandon falou são perfeitamente plausíveis também. Lembra do nosso caso aqui mesmo no Brasil? Era raro encontrar um Lumia em lojas de operadoras vendidos junto com planos pré e pós pagos. Mais difícil ainda encontrar modelos não-Nokia com Windows Phone à venda…

Enfim, é uma pena o sistema ter sido colocado de lado… eu, assim como outros milhares, ainda amamos o Windows Phone/Windows 10 Mobile e esperamos, quem sabe, um dia voltar a usar o Windows em um smartphone ou dispositivo móvel que atenda nossas necessidades de produtividade diárias. Ter apenas duas opções é lastimável.

Outros diversos motivos que já listamos por aqui para o fracasso do Windows Phone

  1. Adoção do modelo de negócio semelhante ao usado pela Apple com seu iPhone na época, pois, no começo, o Windows Phone 7 era um sistema muito fechado, tanto que nem o Bluetooth servia para compartilhar arquivos e ainda era preciso usar um software proproetário para estabelecer uma comunicação entre o smartphone e o PC
  2. Demora da chegada do S.O. no mercado, já que o Windows Phone 7 chegou mais de 2 anos depois do nascimento do Android, que por sua vez nasceu depois do iOS
  3. Falta de interesse dos desenvolvedores na plataforma, pois, por muito tempo os apps eram lançados apenas para o Android e iOS
  4. Falta de apoio de grandes fabricantes chinesas e americanas, empresas essas que eram essenciais para o sucesso do S.O.
  5. A Google também ajudou a minar o crescimento do sistema ao não lançar seus aplicativos para o Windows Phone (Gmail, YouTube, Gtalk na época, Drive e muitos outro). Até hoje quase não existem apps oficiais da Google na Microsoft Store
  6. Excesso de confiança da Microsoft no seu S.O., o que levou a empresa a investir pouco em marketing
  7. Falta de apoio de operadoras menores em países em desenvolvimento
  8. A reinicialização do sistema na migração do Windows Phone 7.X para o 8.X, que deixou milhares de usuários a ver navios… pois, não era possível fazer o upgrade, também ajudou na degradação do S.O. Algo semelhante aconteceu novamente mais pra frente na migração do Windows Phone 8 para o 10, mas em uma escala bem menor.
  9. O crescimento absurdo do Android em todo o mundo ajudou a minar os sistemas concorrentes, como o Windows Phone, o Blackberry OS, o Tizen, o WebOS, o Symbian, o Sailfish, e outros. Só o iOS sobreviveu a tal dominação. Já o Windows Phone foi o último a sucumbir. Os demais partiram logo cedo.
  10. Erro em decisões estratégicas também contribuíram para o fracasso do S.O, como por exemplo, a demora para liberar inovações básicas no sistema.
  11. Vamos adicionar a lista o fato da Microsoft ter cobrado uma licença de uso do Windows Phone 7 quando o mesmo foi lançado. Só anos depois é que o software começou a ser distribuído gratuitamente. Isso pode ter levado muitas OEMs para o Android, já que além da licença de uso do S.O., ainda tinha os diversos royalties que elas precisam pagar a própria Microsoft pelo uso de suas inúmeras patentes em dispositivos móveis, e tudo isso poderia deixar os telefones muito onerosos, logo, caros.

Fonte: Twitter

Alexandre Lima
Microsoft MVP Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!