Notícias

Google dá resposta sobre denúncias de sabotagem do Microsoft Edge

Alguns dias atrás, postamos aqui que um engenheiro que supostamente havia trabalhado na Microsoft, teria confirmado que o Google estaria “sabotando” o navegador padrão do Windows 10, o Microsoft Edge, de modo que sites como o Youtube funcionassem de maneira precária no browser, em comparação com o desempenho do mesmo em seu próprio navegador, o Chrome.

Claro que sempre dizemos supostamente, porque o engenheiro em questão e todos os outros que deram suporte a sua declaração, não apresentaram provas concretas de tal sabotagem, então, isso continua dentro do âmbito de um rumor.

Tudo bem que no caso do engenheiro retrocitado faltavam provas mais contundentes e poderíamos der dado pouca ênfase ao caso, isso se não fosse o fato de tal tese já ter sido defendida por ninguém menos que Cris Peterson o gerente de produto da Mozilla, desenvolvedora do navegador Firefox, que também teria confirmado que vídeos do Youtube carregavam até 5X mais lentos do que no Microsoft Edge, como também o Firefox se comparado ao desempenho dos mesmos vídeos vistos no Google Chrome. Então, algum fundo de verdade havia neste caso.

Diante de tamanho repercussão o Google resolveu falar sobre o assunto e terminou confirmando que a denúncia de fato procede, no entanto, eles afirmam que tudo não passava de um bug e que o mesmo já foi corrigido.

A informação chegou por meio de uma nota do Youtube enviada ao site americano The Verge, por meio da qual a empresa nega que seus desenvolvedores tenham feito algo do tipo. Veja um trecho do informe a seguir:

“O YouTube não adiciona código criado para afetar otimizações em outros navegadores. Nós trabalhamos rapidamente para corrigir bugs quando eles são descobertos”

“Nós conversamos com desenvolvedores de outros navegadores regularmente por canais oficiais, pelo projeto Web Platform Tests, pelo projeto aberto Chromium e outros para melhorar a interoperacionalidade entre os navegadores”, completou o representante do YouTube.

Não podemos chegar aqui e dizer que a nota mente sobre o assunto ou coisa do tipo. Isso não nos cabe. O que nos cabe é continuar fazendo testes para comprovar se era mesmo um bug e se ele foi corrigido. As primeiras impressões é que o tempo de carregamento melhorou significativamente desde nosso último teste.

Testamos por aqui carregando vários vídeos de forma simultânea no Microsoft Edge, no Google Chrome e no Firefox no mesmo cenário e com todos em suas versões mais atuais. A diferença foi mínima, mas isso a olho nu. Será preciso testes mais profundos e também uma nova análise no código para poder confirmar tudo o que o Google falou.

Teste você mesmo e veja se parece Ok. Deixe seu comentário opinando sobre o resultado.

Alexandre Lima
Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP - Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!