HP explica porque optou pelo Windows 10 e não pelo Android no Elite X3

0

Todo mundo sabe que já tem algum tempo desde que a HP lançou seu último aparelho com o Android da Google. Na verdade fazia tempo que a empresa não investia pesado no mercado de smartphones, e quando o fez recentemente optou por usar o Windows 10 Mobile em seu top de linha ao invés do Android, o HP Elite X3. Mas, porque eles fariam isso, se o software da Google é muito mais popular que o da Microsoft?

Não existe apenas um único motivo para eles terem feito tal escolha, mas quatro…

  • Experiência integrada – Como o Windows 10 agora é executado sob um único código fonte, a HP adorou a ideia de oferecer uma “continuidade” dos seus serviços já oferecidos no Windows 10, oferecendo os mesmo via smartphone, especialmente para sua clientela empresarial sem ter que fazer grandes mudanças;
  • Aplicativos primordiais – Mesmo tendo ciência de que a Play Store conta com muito mais APPs do que a Windows Store, a HP acredita que a loja do Windows 10 já conta com todos os APPs primordiais para andar com as próprias pernas;
Foco da HP com o Windows 10 Mobile parece mesmo ser o Modo Continuum

Foco da HP com o Windows 10 Mobile parece mesmo ser o Modo Continuum

  • Possibilidade para rodar aplicações legacy – Essas aplicações são os programas que normalmente rodavam apenas em PCs. A HP sabe que é possível fazê-lo de forma satisfatória por meio da virtualização via Modo Continuum e isso é algo exclusivo;
  • Compatibilidade com sua atual infraestrutura – Quem quer mais custos com infraestrutura? Ninguém, nem a HP, e usando o Windows 10 Mobile ela pôde aproveitar toda sua atual infraestrutura sem precisar mudar praticamente nada.

Além de tudo isso, a HP ainda comentou que outra razão pela qual a empresa optou pela Microsoft foi por conta da questão segurança.

hp-windows-10-mobile-android-800x445

Usando dados da empresa de segurança Kapersky, a HP sabe que entre 2013 e 2014, um em cada cinco aparelhos com Android já foi alvo de ataques de malwares ao menos uma vez durante esse período. Sem falar na enorme fragmentação que o S.O. da Google vem enfrentando, o que a HP também considerou desagradável.

Será que a HP fez uma opção arriscada demais ou foi inteligente demais? Deixe sua opinião.

Fonte: onewindows

Share.

About Author

Funcionário Público Federal, formado em Licenciatura em Química, Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta do Windows Phone. Carpe Diem