Kantar: Windows Phone já registra menos de 1% de market share

0

Como já era esperado, o mais recente relatório da Kantar WorldPanel revelou dados que mostram que o Windows Phone/Windows Mobile já tem menos de 1% de market share em diversos países onde smartphones com o sistema operacional são comercializado ou eram…

Em países como a Austrália, Espanha, Japan, França  e China a participação do S.O. é quase que insignificante, já que o índice está perto dos 0%. No Japão, por incrível que pareça, já que por lá houveram muito mais aparelhos lançados, o índice já alcançou o 0%.

O mais interessante mesmo desse gráfico for ver um pequeno crescimento do sistema nos EUA, seu mercado natal. Possivelmente as promoções de compre um Lumia 950 XL e leve um Lumia 950 impactaram nesses números, assim como a alta adesão a linha Surface, o que consequentemente leva os consumidores a procurar por aparelhos completamente compatíveis com tudo o que o Windows tem a oferecer. Acrescido a isso, acreditamos que o HP Elite X3 deve ter abocanhado uma parcela do mercado corporativo o que também pode ter ajudado na cota. Porém, estamos falando de apenas 0,3% de crescimento se compararmos com o mesmo mês do ano passado com o de 2017.

É muito triste ler tudo isso, mas, sem novidades expressivas em hardware e a enorme incerteza que ainda permeia todo o universo Windows Mobile, as pessoas optam por não comprar qualquer smartphone com Windows Mobile, exceto os fãs, que são basicamente os responsáveis pelos poucos % de market share restantes. Não será estranho daqui há alguns meses o Windows Phone/Windows Mobile ser realocado na categoria “Other” ou “Outros” dos relatórios da Kantar.

Ainda segundo dados da Kantar, o Android continua dominando tudo, inclusive no gigantesco mercado chinês, porém, nos EUA, o S.O. da Google tem perdido espaço. A queda de 5,9 pontos percentuais é algo que pode preocupar a Google e suas OEMs.

Por falar em OEMs do Android, marcas parceiras do Android, como Samsung, LG e Moto/Lenovo, tem sofrido com quedas ano após ano nos EUA. O Samsung Galaxy S8, por exemplo, lançado nas últimas duas semanas do mês de abril, não mostrou um impacto significativo nas vendas da Samsung no período contabilizado até o final de abril, nem o G6 da LG. Nenhum desses figura na lista dos 10 melhores celulares vendidos.

Em contrapartida, a Apple é só alegria nos EUA, tendo em vista que a empresa de Jobs viu sua cota sair de 30,7% em abril do ano passado para 36,5% em abril deste ano. Interessante notar que enquanto a Apple cresce nos EUA, ela perde espaço na China. É uma balança difícil de equilibrar…

De uma forma geral, as pessoas estão se acomodando na hora de trocar de smartphone e a falta de uma grande novidade tem criado o hábito de demorar mais para trocar de aparelho, ou ainda, evitar comprar modelos mais caros, já que pelo visto as pessoas já começaram a perceber que muitas dessas empresas optam por lançar um smartphone quase toda semana, sem novidades, e abandonam a versão anterior com uma versão desatualizado do S.O. Capitalismos ou descaso com o consumidor?

Será que a Microsoft vai conseguir trazer algo mais “disruptivo” capaz de cativar o consumidor? Poderia o lançamento da Microsoft impactar nessas cotas? Nessa balança? Nesse duopólio?

Fonte: Kantar

Share.

About Author

Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP - Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!