Notícias

Lentidão do Windows 10 causada pelo Specter pode melhorar com solução do Google

A Microsoft usará uma solução do Google para resolver problemas de lentidão no Windows 10 causada pela falha de segurança chamada de Spectre. A correção do Google para a falha Specter Variant 2 ajuda a minimizar o impacto no desempenho de máquinas com Windows 10 e a Microsoft não poderia deixar de usar isso a seu favor.

Não poderia deixar de usar por que uma das grandes preocupações ligadas as falhas Meltdown e Specter que atingem CPUs diversas  – além dos invasores que as exploram – é que as mitigações em forma de códigos, lançadas para minimizar os ataques, podem ter um impacto severo no desempenho da máquina que variando entre 5% e 30% de comprometimento.

A Meltdown e a Spectre são as maiores falhas de segurança da história dos processadores da Intel

A Intel e a Microsoft já lançaram várias atualizações que tentam minimizar tais impactos, porém, a maioria delas compromete o desempenho da máquina, por exemplo, as atenuações da Intel alteram diretamente a execução especulativa do hardware. Essas são a Especificação Restrita de Filial Indireta (IBRS) e a Barreira Predictora de Filial Indireta (IBPB), sendo que ambas podem impactar negativamente no desempenho da CPU.

A ideia é usar a solução que o Google desenvolveu que nada mais é do que uma mitigação baseada em software para o Specter Variant 2. Ela é chamada de Retpoline e restringe o comportamento da execução especulativa o suficiente para atenuar um ataque.

Os testes do Google descobriram que sua correção teve um efeito insignificante no desempenho da máquina. O Retpoline foi implementado por distribuições Linux, como Red Hat e SUSE, bem como pelo Oracle para Oracle Linux 6 e 7.

Retpoline é o nome da solução do Google para mitigar a falha Spectre Variante 2 que até o presente momento se mostrou ser a mais eficiente quanto a preservação do desempenho da máquina

Próxima grande atualização para o Windows 10 incluirá essa solução, mas só em 2019

Agora, já é sabido que o Retpoline fará parte da próxima versão do Windows 10, a 19H1, que será lançada no próximo ano

“Sim, habilitamos o Retpoline por padrão em nossas builds 19H1 junto com o que chamamos de ‘otimização de importação’ para reduzir ainda mais o impacto do perf devido a chamadas indiretas no modo kernel. Combinados, reduzem o impacto no desempenho das mitigações do Specter v2 para a maioria dos cenários”, escreveu , que é do time do Kernel do Windows e do Azure na Microsoft. 

Uma pena que tal solução não tenha chegado há tempo do lançamento da Atualização de Outubro de 2018, ainda que alguns engenheiros acreditam que há traços de sua presença nessa versão. Tal informação não foi confirmada pela Microsoft.

De qualquer forma, a Microsoft tem um árduo trabalho pela frente, especialmente porque até o presente momento a distribuição da Atualização de Outubro de 2018 para o Windows 10 continua suspensa em todo o mundo no modo público.

Hoje, apenas insiders tem acesso a tal compilação. A ideia é sanar os problemas que foram descobertos recentemente, como o problema da exclusão involuntárias de arquivos, os problemas de áudio (ao menos esse já foi resolvido por meio de uma atualização no Drive da Intel) e ainda o mais novo deles que trouxe problemas com a descompactação de arquivos.  Ou seja, além de tudo isso, ainda é preciso ajustar as coisas para reduzir o impacto dessas falhas que afetam a GPU.

Fonte: MSPoweruser 

Alexandre Lima
Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP - Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!