Notícias

Memorando interno da Microsoft proíbe brincadeiras de 1 de abril

A Microsoft não está pra brincadeiras… essa clássica frase será aplicada de fato e verdade no dia 1 de abril. Conhecido por muitos como o dia da mentira, em um memorando interno a empresa pede que seus funcionários não se envolvam nas tradicionais brincadeiras desse dia.

O responsável pela advertência antecipada é Chris Capossela, que é Diretor de marketing da Microsoft e Vice-presidente executivo de negócios de consumo. Foi ele quem enviou um memorando pedindo que as equipes “não fizessem nenhuma manobra do dia da mentira”. Na carta obtida pelo pessoal do The Verge, Capossela observa que “essas acrobacias têm impacto positivo limitado e podem resultar em ciclos de notícias indesejados.”

Por mais bem-humoradas que sejam as brincadeiras, elas podem ter repercussões problemáticas na era da mídia social, na qual leitores e repórteres têm problemas suficientes para filtrar as besteiras, mesmo quando não vêm de fontes confiáveis ??e oficiais como a Microsoft.

Agora mesmo já tem gigantes com problemas por conta de “brincadeiras”, como o Twitter. A brincadeira envolve o aniversário do usuário que é convidado a mudar o ano do seu nascimento para 2007. Mas, o problema é que ao fazer isso sua conta muito provavelmente será bloqueada, pois, ao contrário do que muitos pensam, redes sociais como o Twitter e outras são proibidas para menores de 13 anos, então, ao mudar sua data de nascimento para algo em 2007, é o mesmo que dizer ao Twitter que sua idade é 12 anos, ou seja, não pode usar a rede social ainda. Daí vem o bloqueio.

Captura de tela.

O Twitter correu logo atrás do prejuízo e pediu a todos que evitem a pegadinha, pois, isso lhes tratá muitos problemas.

Acredito que a ideia por trás do Memorando interno da Microsoft sobre o dia da mentira tem exatamente esse mesmo propósito do tweet do Twitter, que é evitar constrangimentos e danos colaterais causados por um boato ou brincadeira.

Aqui está o memorando interno completo de Capossela:

Ei pessoal,

É aquela época do ano em que as empresas de tecnologia tentam mostrar sua criatividade com as manobras do Dia da mentira. Às vezes os resultados são divertidos e às vezes não. De qualquer maneira, os dados nos dizem que essas acrobacias têm impacto positivo limitado e podem resultar em ciclos de notícias indesejados.

Considerando os ventos contrários que a indústria de tecnologia enfrenta hoje, peço a todas as equipes da Microsoft que não façam nenhuma ação publicitária do Dia da Mentira. Eu aprecio que as pessoas podem ter dedicado tempo e recursos para essas atividades, mas acredito que temos mais a perder do que ganhar tentando ser engraçado neste dia.

Encaminhe este para suas equipes e parceiros internos para garantir que as pessoas estejam cientes do pedido de suspensão das atividades do Dia da Mentira.

Fonte > The Verge

Alexandre Lima
Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP - Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!