Microsoft anuncia parceria com a gigante Flipkart que escolheu o Azure como sua nuvem pública exclusiva

0

Satya Nadella acaba de anunciar outra grande vitória para o seu serviço de nuvem Azure. A colaboração, anunciada em conjunto pelo CEO da Microsoft Satya Nadella e o CEO da Flipkart, Binny Bansal em um evento em Bangalore, na Índia, inicialmente irá levar o Flipkart a usar o Azure como sua plataforma de nuvem pública exclusiva. Isto serve como um grande impulso para a Microsoft na batalha para a conquista de clientes na Índia, aquecida entre os grandes players de nuvem incluindo, Amazon (AWS) e Google (Cloud Plataform).

Fundado em 2007, o Flipkart é um portal de compras on-line de bens inumeráveis, incluindo livros, música e eletrônica — é muitas vezes chamada de a “Amazon da Índia”. Flipkart dirigindo seus serviços de nuvem para longe da Amazon e escolhendo o Azure, não é inteiramente surpreendente, devido à concorrência da dupla na região. O anúncio também é notável, dado que a Amazon recentemente abriu seus primeiros centros de dados indiano, dando início em Mumbai, enquanto o Google, sempre o lanterninha nessa área, comprometeu-se a abrir centros de dados locais em 2017.

Há muitos benefícios para os prestadores de serviços de nuvem abrindo a infra-estrutura de servidor local — por exemplo, a transferência de dados é mais rápida para os clientes com base na Índia. Porém, o mais importante, oferecendo centros de dados locais, ajuda a satisfazer crescentes preocupações de “soberania de dados”, como dados armazenados digitalmente são sujeitos às leis do país em que se encontra.

A Microsoft, por sua vez, saiu na frente dos concorrentes e tem sido um fornecedor para empresas indianas com centros de dados locais desde 2015. No entanto, é interessante notar aqui que o Flipkart, além de mover seus centros de dados internos, a escolha do Azure irá além, com a adição de uma “camada avançada de nuvem, tecnologias e analytics” para estes centros de dados, incluindo inteligência artificial (AI) e máquina de aprendizagem inteligente e permitirá que o Flipkart use outros serviços, como a Cortana Intelligent Suite e Power BI.

“Flipkart sempre foi comprometida com sua visão de transformar o comércio na Índia através da tecnologia”, disse Bansal, em um comunicado. “Dada a forte reputação da Microsoft na computação em nuvem, juntamente com escala e confiabilidade, esta parceria nos permite alavancar nossa força combinada e conhecimento de tecnologia, e-commerce e mercados, para fazer compras on-line mais relevante e enriquecedora para os clientes.”

A Índia vem despontando como um local estratégico para grandes empresas de tecnologia dos EUA, caminhando para o “próximo bilhão” de usuários de internet, com Google também investindo em várias iniciativas, e o poderoso Facebook marcando o país como alvo de suas estratégias.

Flipkart tem um app UWP para Windows 10

A Índia tem uma população de aproximadamente 1,3 bilhões de pessoas, a maioria dos quais ainda não está on-line. Menos de 20 por cento da população possui smartphone próprio, porém as coisas estão mudando rápido, com algumas estimativas indicando que a Índia está prestes a ultrapassar os EUA e se tornar o segundo maior mercado de smartphone no mundo em termos de unidades vendidas. A Apple, também espera começar a fabricar o iPhone na Índia logo em abril, enquanto o BlackBerry assinou recentemente um contrato de licenciamento para vender smartphones na região.

Simplificando, a Índia é madura para o crescimento, que é uma boa notícia para empresas centradas no consumidor como o Flipkart, bem como, para os parceiros de serviço em nuvem que eles dependem, como a Microsoft.

“Na Microsoft, nosso objetivo é capacitar todos os indianos e cada organização indiana com tecnologia, e a chave para isto é formar parcerias estratégicas com empresas inovadoras, como o Flipkart,”, acrescentou, Satya Nadella. “Combinando a plataforma de nuvem da Microsoft e recursos AI com os serviços existentes do Flipkart e os ativos de dados, permitirá ao Flipkart acelerar sua transformação digital em e-commerce e proporcionar novas experiências de cliente.”

Fonte: VentuBeat

Share.

About Author