Microsoft + LinkedIn: Começando a jornada juntos

0

A Microsoft anunciou dias atrás, que obteve todas as aprovações regulatórias necessárias junto à Comissão Europeia e finalmente saiu à autorização e a empresa pôde concluir a aquisição do LinkedIn, que agora é oficialmente, parte da Microsoft.

Satya Nadella

Satya Nadella

Satya Nadella fez um texto otimista sobre o início desta jornada e revelou o primeiro conjunto de cenários de integração do LinkedIn. Veja abaixo:

Hoje é um dia emocionante, que eu estava ansioso desde junho. Ele marca o fim do acordo para a Microsoft adquirir o LinkedIn e o início da nossa jornada em reunir a principal nuvem de profissional do mundo e a rede mundial de líderes profissionais.

Como as equipes de liderança de nossas duas empresas passaram muito tempo juntas nestes últimos meses, eu ganhei uma compreensão mais profunda do apreço pelo foco implacável do LinkedIn sobre os seus membros.

Hoje estou ainda mais entusiasmado com a missão comum e o senso de propósito que partilhamos, as semelhanças em nossas culturas e o valor acrescentado que podemos criar para os membros do LinkedIn, para ajudar profissionais a transformar-se, perceber novas oportunidades de carreira e se conectar de novas maneiras.

Em junho delineamos a nossa visão compartilhada pela oportunidade que se aproximava e desde então, as nossas equipas têm trabalhado duro para construir um plano de integração.

Imediatamente buscaremos um conjunto específico de cenários de integração, por exemplo:

  • Identidade e rede do LinkedIn no Microsoft Outlook e na suíte Office
  • Notificações do LinkedIn dentro da Central de Ações do Windows
  • Permitir aos membros, elaboração de currículos no Word para atualizar seus perfis e descobrir e aplicar aos trabalhos no LinkedIn
  • Estendendo o alcance do conteúdo patrocinado através de propriedades da Microsoft
  • Pesquisa de empresa no LinkedIn ativado por Active Directory e o Office 365
  • LinkedIn Learning disponível em todo o ecossistema do Office 365 e Windows
  • Desenvolvimento de um balcão de negócios de notícias através de nosso ecossistema de conteúdo e MSN.com
  • Redefinindo a venda social através da combinação de Sales Navigator e Dynamics 365

Como nós articulamos há seis meses atrás, nossa prioridade é acelerar o crescimento do LinkedIn, adicionando valor para cada membro do LinkedIn.

No entanto, vemos também uma maior oportunidade para ajudar a garantir que todos podem se beneficiar da tecnologia digital e as novas oportunidades criadas pela economia digital. Como Brad Smith recentemente compartilhou, a Microsoft, inclusive o LinkedIn, pode tomar medidas para ajudar as pessoas a desenvolver novas habilidades on-line, encontrar novos empregos e facilmente conectar-se e colaborar com os colegas. Tecnologia sozinha não vai resolver esses desafios, mas juntos, funcionando no setor privado e público, podemos criar mais uma oportunidade para que todos possam participar e compartilhar do crescimento económico.

Em nome de toda a equipe Microsoft, quero estender as boas vindas a todos os empregados do LinkedIn para a Microsoft.?

Estou energizado e otimista para o que conquistaremos juntos nesta jornada adiante.

A Microsoft anunciou sua intenção de adquirir o LinkedIn por USD $ 26,2 bilhões em junho de 2016. A aprovação regulamentar da UE para o negócio, aconteceu depois que a Microsoft fez uma série de concessões para garantir que outras redes sociais profissionais não poderiam ser prejudicadas pela união da Microsoft com o LinkedIn.

Entre os compromissos que a Microsoft fez para os reguladores europeus, foram promessas que usuários e administradores de TI seria capazes de decidir o que exibir na interface do usuário no perfil do LinkedIn e “informações de atividades que podem ser integradas no futuro.” A Microsoft comprometeu-se também que os usuários poderão desinstalar o aplicativo do LinkedIn e a tile se eles quiserem, e eles não serão incomodados com avisos do Windows levando-os para instalar um aplicativo do LinkedIn.

Salesforce vs Microsoft

Antes da aquisição do LinkedIn, as duas empresas estavam se dando bem. Inúmeras colaborações fizeram muitos esquecer que a Salesforce e Microsoft eram na verdade, rivais no mercado de CRM (Customer Relationship Management ou Gestão de Relacionamento com o Cliente). A Salesforce adotou os serviços da Microsoft para o seu próprio software. Por exemplo, o app SalesForce1 para Windows 10 suporta Continuum e a empresa também adotou o Outlook para a sua gestão de e-mail.

No entanto, desde o acordo, a Microsoft conseguiu usurpar a Salesforce como líder de mercado CRM. Além disso, as duas empresas estavam se rivalizando e a Microsoft apontou que a Salesforce queria comprar o LinkedIn também, apesar da Microsoft ter um desejo antigo de comprar o LinkedIn, a presença do Salesforce no processo, levou a empresa a pagar mais de USD 26,5 bilhões de dólares para a rede social corporativa.

No entanto, a Salesforce continua a exercer pressão sobre o negócio. A empresa de gestão de relacionamento do cliente (CRM) está em desacordo com a Microsoft sobre a compra do LinkedIn. Com a aprovação regulatória e a liberação da União Europeia alcançada, a Salesforce está alertando aos reguladores para vigiar de perto a Microsoft.

A empresa já avisou que com o LinkedIn, a Microsoft tem acesso a um banco de dados exclusivo de 400 milhões de profissionais. Salesforce anteriormente levantou preocupações sobre a forma como a Microsoft usará esses dados.

A Microsoft negou as reivindicações e o chororô da Salesforce e insistiu que os dados permanecerão abertos. Enquanto a União Europeia estava preocupada com a aquisição do LinkedIn, eles não fizeram questão de levantar dúvidas sobre os dados. Em vez disso, os reguladores procuraram concessões da Microsoft antes de permitir que o negócio tivesse a aprovação na Europa. Outras nações como os EUA, Canadá e Brasil já tinham aprovado a compra.

E se a Salesforce tivesse comprado o Linkedin? Poderia a Salesforce, tentar sufocar a concorrência e limitar os dados da mesma forma que acusa Microsoft de querer demais?

A Microsoft tem a sua estratégia e um planejamento com a compra do LinkedIn, como foi bem definida por Satya Nadella, e pagou USD 26,5 bilhões de dólares pela empresa, além da compra ser aprovada pela União Europeia, EUA, Canadá e Brasil, ou seja, fez tudo corretamente; já a Salesforce, sentiu que tempos difíceis estão se aproximando.

Fonte: WinBuzzer

Share.

About Author