Microsoft pode desistir de rodar apps do Android dentro do Windows 10 Mobile

0

Conhecido como Projeto Astoria, ele é um projeto da MS que tem como principal objetivo acrescentar um subsistema Android dentro do Windows 10 Mobile para que APPs criados para a plataforma da Google rodem dentro do Windows sem basicamente qualquer alteração de seu código nativo (apenas com mudança de APIs da Google para as da Microsoft), mas isso pode nunca se tornar uma realidade. A ideia é muito boa porém, parece que a Microsoft vai engavetar o Projeto.

Video portanto apps do Android para o WIndows Phone

Muitos acham que o Projeto Astoria e o Microsoft Bridge são coisas diferentes, mas não são. Existem quatro projetos dentro do Microsoft Bridge (ou Microsoft Ponte):

  • Project Westminster – Para portar Web apps
  • Project Centennial – Para portas Classic Win32 apps
  • Project Islandwood – Para portar apps do iOS
  • Project Astoria – Para emular apps do Android

Observem que o Projeto Astoria serve para emular apps do Android dentro do Windows 10 Mobile e não para portá-los, e a interferência do desenvolvedor original no código do app é praticamente zero, enquanto nos demais projetos o DEV tem que fazer seu dever de casa. O Visual Studio tem várias ferramentas para auxiliar os DEVs nesse processo de portabilidade e tudo parece ser bem simples (ao menos para quem é da área).

windows bridge project iOS App for windows

Os motivos que podem levar a Microsoft a engavetar o Astoria são inúmeros. Podemos listar ao menos 3:

Os desenvolvedores não gostaram nenhum um pouco da ideia central do projeto, tendo em vista que não haveria motivos para investir no desenvolvimento de apps Universais do Windows, já que os DEVs do Android poderiam facilmente ter suas aplicações na Play Store e na Windows Store sem qualquer esforço. Literalmente matando dois coelhos com uma cajadada só. Isso poderia “matar” a comunidade de DEVs do Windows e sua linguagem de programação.

Outros acreditam que o subsistema do Android rodando dentro do Windows 10 Mobile estaria causando instabilidades, travamentos e lentidão no sistema. Essa hipótese é bem plausível, pois, desde algumas builds atrás que a MS retirou esse subsistema da versão técnica do Windows 10 Mobile. Fontes confiáveis garantem que a build pública do sistema, que pode ser a 10586, já não conta com ele.

Sem falar da questão da legalidade, já que seria muito fácil “copiar” e mascarar um app oficial do Android lançando-o na Windows Store sem o consentimento do desenvolvedor original. Isso poderia estimular a pirataria na Windows Store, podendo levar inclusive a vários processos judiciais em cima da MS.

Informações de várias fontes confirmam que a Microsoft deixou o projeto de lado, inclusive levando membros de sua equipe para outras vertentes do Microsoft Bridge, especialmente para o lado do Project Islandwood, que facilitará a portabilidade de apps do iOS para o Windows 10 Mobile.

A comunidade perderá muito com isso? Nós acreditamos que não. Muito pelo contrário, já que as ferramentas do Bridge possibilitam a desenvolvedores criarem apps UWP a partir de uma programação feita em Objetive-C (também em outras, inclusive a usada no Android), linguagem de programação dos apps do iOS, o que faria com que o DEV pudesse lançar sua app tanto na Windows Store como também na App Store. O mesmo vale para quem quer trazer sua app da App Store para a Windows Store. Poucas mudanças no código irão gerar um UWP. Então, sabendo que a oferta de apps para o iOS é tão vasta quanto para o Android, não há com o que se preocupar. Ao menos não teremos um subsistema problemático rodando por baixo do Windows 10 Mobile.

Além do Project Islandwood, os ouros dois, Project Westminster e o Project Centennial, continuarão na ativa. Então, acreditamos que apps deixarão de ser um problema para usuários do W10M em pouco tempo.

Visual Studio 2015 Android app linguage

Fontes: WC

Share.

About Author

Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP – Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!