Microsoft solta o verbo e fala a verdade sobre o bloqueio do app do Youtube

140

A Microsoft parece finalmente ter se irritado completamente com as atitudes da Google com relação ao seu aplicativo oficial do Youtube, que foi relançado e bloqueado novamente recentemente. Em um de seus blogs oficiais a Microsoft publicou a seguinte nota já traduzida:

Você pode estar se perguntando o que aconteceu com o aplicativo do YouTube para Windows Phone. Em maio passado, depois de lançarmos um aplicativo muito melhor para a nossa plataforma, o Google opôs uma série de impedimentos. Nós retiramos o nosso aplicativo da loja e concordamos em trabalhar com o Google para resolver os problemas citados por eles. E esta semana, depois de termos abordado cada um dos pontos do Google, nós relançamos o aplicativo, só que o Google tecnicamente o bloqueou.

Sabemos que isso tem sido no mínimo frustrante para os nossos clientes. Nós sempre tivemos um objetivo: oferecer aos nossos usuários uma experiência com YouTube no Windows Phone em pé de igualdade com a experiência do YouTube disponível para o Android e para  o iPhone. As objeções do Google contra a nossa aplicação não só são incompatíveis com o próprio compromisso do Google de abertura, mas também envolvem requisitos para um aplicativo para Windows Phone que não são válidos para a sua própria plataforma ou para a da Apple (ambos usam o Google como mecanismo de busca padrão, é claro).

Quando construímos um aplicativo do YouTube para Windows Phone, fizemos isso com o entendimento de que o Google pretendia ampliar seus negócios com base em acesso aberto a suas plataformas e conteúdo, ponto esse que foi enfatizado no ano passado. Como alguns executivos lançaram investigações antitruste contra o Google – alguns dos quais ainda estão em curso – a empresa reiterou seu compromisso com a transparência e sua capacidade de manter seus compromissos de abertura de forma voluntária.

Com este pano de fundo, que temporariamente tirou nosso aplicativo do ar porque o Google se opôs a ele em maio passado, temos trabalhado duro para atender aos pedidos do Google.  Ativamos os anúncios do Google e a capacidade de downloads de vídeos foi eliminada assim como a capacidade para ver vídeos privados também. Fizemos tudo isso sem nenhum custo para o Google, que poderia pensar em ter um aplicativo do YouTube para o Windows Phone, que serviria não apenas para trazer novos usuários para o Google, mas também para gerar uma receita adicional.

Há um ponto de discórdia nessa colaboração, foi que o Google nos pediu para fazer a transição de nosso aplicativo para uma nova linguagem de codificação – o HTML5. Este foi um pedido estranho tendo em vista que esse aplicativo nem para o iPhone nem mesmo para o seu para o seu Android são construídos em HTML5. No entanto, dedicamos recursos significativos de engenharia para analisar a possibilidade. No final do dia, os peritos de ambas as empresas reconheceram que a construção de um aplicativo do YouTube com base em HTML5 seria tecnicamente difícil e demorado, e isso explicaria o fato do app do YouTube para o iPhone e para o Android ainda não terem sido convertidos para o HTML5.

Por esta razão, nós tomamos uma decisão esta semana e publicamos a nossa aplicação não construída em HTML5, mas, nos comprometemos em trabalhar com o Google a longo prazo em um aplicativo baseado em HTML5. Acreditamos que esta abordagem oferece aos nossos clientes uma experiência em curto prazo em pé de igualdade com as outras plataformas, enquanto nos colocando na mesma posição, como Android e iOS para permitir uma eventual transição para a nova tecnologia. No entanto, mesmo assim a Google decidiu bloquear nossos clientes mútuos de acessar nosso novo aplicativo.

Parece-nos que as razões do Google para bloquear nosso aplicativo são fabricados de modo a que não possamos dar a nossos usuários a mesma experiência dos usuários do Android e do iPhone. Os bloqueios estabelecidos pelo Google são impossíveis de superar, e eles sabem disso.

O Google afirma que um dos problemas com o nosso novo aplicativo é que ele nem sempre veicula anúncios com base nas condições impostas pelos criadores de conteúdo. Nosso aplicativo suporta anúncios do Google usando todos os metadados que foram disponibilizados para nós. Já pedimos ao Google para fornecer qualquer informação usada no iPhone ou no Android que possa refletir a forma com que os anúncios são exibidos nessas plataformas com mais precisão. Até agora, pelo menos, o Google se recusou a dar essa informação para nós. Estamos muito confiantes de que podemos resolver este problema se o Google cooperar, mas deixemos claro aqui que a nossa preocupação é de o Google é quem está no controle da situação. Se o Google parar de bloquear nosso aplicativo, ficaremos felizes em trabalhar com eles sobre isso, inteiramente às custas da Microsoft.

O Google também diz que não estamos cumprindo com seus “termos e condições”. Na verdade isso significa que a nossa aplicação não é baseada em HTML5. O problema com este argumento é claro, é que o Google não está cumprindo com esta condição nem no Android nem no iPhone. Mais uma vez, ficaremos felizes em colaborar com o Google em um aplicativo baseado em HTML5, mas não deveria ser obrigatório fazê-lo já, tendo em vista que aparentemente, nem iPhone, nem Android tem tido sucesso com a construção desse código.

O Google também parecer ter preocupações com a nossa marca. A coisa engraçada sobre esse ponto é que estamos usando a mesma marca continuamente desde 2010 para um aplicativo YouTube inferior. Agora que temos um aplicativo que oferece aos usuários uma experiência mais completa YouTube, o Google faz uso de objeções contra a marca (apesar de que tomamos medidas adicionais para esclarecer que somos o autor da app). Vai entender.

Finalmente, o Google cita uma experiência degradada do app. Desde 2010 o Google permitiu que publicássemos um aplicativo para Windows Phone que era muito inferior aos do iPhone e Android. Avaliações do nosso novo aplicativo são unânimes em afirmar que a experiência é muito melhor, e estamos empenhados em fazer ajustes para melhorar ainda mais. Se o Google estivesse realmente preocupado com a experiência degradada, permitiria que nossos usuários acessassem ao novo aplicativo YouTube que tanto amam.

Achamos que é claro que o Google simplesmente não quer que os usuários do Windows Phone tenham a mesma experiência que os usuários da Apple e Android, e que suas objeções são nada mais que desculpas. No entanto, estamos empenhados em oferecer aos nossos usuários a experiência que eles merecem, e ficaremos felizes em trabalhar com o Google para resolver quaisquer preocupações legítimas que possam ter. Entretanto, mais uma vez solicitamos que o Google pare de bloquear nosso novo aplicativo YouTube.

Precisa dizer mais alguma coisa?

Youtube aplicativo novo windows phone microsoft bloqueio

Fontes: Microsoft

Share.

About Author

Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP - Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!