Novo relatório da Gartner mostra um aterrorizante domínio de 99,6% do Android e iOS em Q4 de 2016

0

De acordo com o novo relatório da Gartner, o Android da Google e o iOS da Apple, juntos, dominaram as vendas no quarto trimestre de 2016 com aterrorizantes 99,6% do total de vendas de smartphones no período.

Esse duopólio vem ganhando ainda mais força desde o final de 2015, que foi quando o Windows Phone da Microsoft começou a regredir no mercado e a Blackberry se afundou ainda mais em sua já minúscula cota.

O termo aterrorizante tem como fundamento o fato de estarmos nas mãos de apenas duas empresas quando o assunto são smartphones, o que beira o absurdo, já que a quantidade de usuários VS oferta deveria ser bem maior.

O principal S.O., que é o Android Google, tem dominado quase tudo, já que quando falamos de iOS estamos falando de um sistema que não tem entre suas prioridade minar o crescimento do Android, mas sim, continuar firme e forte frente a seu público alvo. Então, o iOS não é bem um competidor direto do Android, até porque o iOS da Apple roda apenas nos aparelhos da Apple, o que significa dizer que ele nunca conseguirá superar o Android em termos sales share ou market share, justamente pela pouca oferta de modelos, e também pelo custo de aquisição de cada um deles, que é alto.

Além disso, o tal duopólio é mera formalidade, isso porque quem domina tudo mesmo é o Android, que foi responsável por 81,7% de todas as vendas de smartphones em Q4 de 2016, contra 17,9% do iOS da Apple.

Dentro do relatório vemos que smartphones com Windows representaram apenas 0,3% das vendas em Q4 de 2016, enquanto a Blackberry chegou ao fundo do poço com 0,0% de cota. Mesmo que tenha sido um erro de arredondamento para baixo, isso já era esperado, e tudo parece estar cooperando para que tal cota também represente as vendas de modelos com Windows Mobile muito em breve.

Os motivos da Blackberry chegar nesse ponto são vários: a pouca oferta de aparelhos, pouquíssima inovação, pouco investimento em marketing e a enorme mudança de foco da empresa que abandonou seu S.O. proprietário (Blackberry OS) para virar mais uma OEM do Android, o que pelo visto não deu nenhum resultado positivo.

Do lado da Microsoft já conhecemos bem os motivos, mas vamos relembrar: baixíssima oferta de novos aparelho, baixa oferta de Apps com relação ao Android e iOS, falta de investimento em marketing e podemos incluir também a desconfiança dos consumidores na marca, já que houve muita frustração no upgrade do Windows Phone 8.1 para o Windows 10 Mobile, onde metade dos usuários da plataforma não puderam atualizar seus aparelhos para a versão mais recente do S.O.

Nem a Blackberry muito menos a Microsoft desistiram de investir no mercado mobile. No caso Blackberry, eles poderiam continua insistindo na mesma fórmula de sempre, que é lançar aparelhos mais novos com um hardware melhorado, mas que ainda rodassem o Android, porém, meses atrás eles anunciaram que não construirão mais aparelhos com hardware próprio. Enquanto isso a Microsoft parece ter alguma carta na manga, já que mesmo com cotas de sales share e market share extremamente baixas, a empresa continua investindo no desenvolvimento da versão mobile do seu software e já reafirmou diversas vezes seu comprometimento com esta tela do Windows 10.

O que esperar dessas duas empresa nesse setor para 2017? Mais perdas de cota ou alguma novidade que pode mudar tudo?

Fonte: The Verge

Share.

About Author

Funcionário Público Federal, formado em Licenciatura em Química, Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta do Windows Phone. Carpe Diem