Novos relatórios dizem que 92,1% dos aparelhos que rodam o Windows Phone são Nokia

69

De acordo com novos relatórios da AdDuplex para o mês de dezembro de 2013, 92,1% dos aparelhos que rodam o Windows Phone são Nokia.

AdDuplex monopolio Nokia windows phone mundo

Os Lumias da serie 52X continuam disparados na frente com mais de 34,1% de participação geral. Nos EUA essa mesma representação chega a 42,4%. O Lumia 625 também ganhou algum espaço e agora representa 4,5% de todos os aparelhos contra 2,9% apenas um mês atrás. O Lumia 1020 finalmente ultrapassou a cota do Samsung Ativ S e agora é o décimo primeiro aparelho com WP mais usado no mundo.

AdDuplex monopolio Nokia windows phone EUA

O relatório completo deve ser divulgado posteriormente e poderemos observar ainda mais detalhes. Por enquanto podemos perceber que a HTC, Samsung e Huawei realmente perderam muito espaço para a Nokia quando o assunto é o Windows Phone. Mas, isso é bom? Na nossa visão não. Isso porque quanto mais OEM’s usando o sistema operacional mais fácil será de consolida-lo no mercado. Tanto que a maior prova está ai… o Android da Google.

Claro que temos o caso do iPhone da Apple, que fabrica basicamente apenas um aparelho, mas, observem justamente isso, a Apple vende para um público muito específico e seu smartphone não representa uma ameaça direta para o Android e seus OEM’s. O ideal mesmo seria teremos as grandes fabricantes criando e lançando seus modelos de WP também. Obviamente essa é uma visão do WPB Blog e podemos estar equivocados. Vamos ver como a Microsoft vai lidar com esse “monopólio” da sua Nokia no universo Windows Phone. O que você acha de tudo isso?

Aparelhos com windows phone 8

Fontes: WMPoweruser

Share.

About Author

Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP – Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!

  • Murillo Torres

    Claro né! Quem é o idiota que compra um Windows Phone que não é da Nokia ?
    Solamento pros carinhas que tem HTC ou Samsung

  • Danilo Buitoni

    A Nokia, que vinha em queda livre com seu SO Simbian, que por sinal ainda é excelente, criticada por muitos ter aceitado o WP como seu SO, hoje, representa nada menos que 93% do 3 sistema operacional mais representativo, até que não foi mal, pois isso significa 10% da fatia mundial de smartphones…

  • Samuel Pantoja

    Sai do L520 para o moto g, podem negativar chingar e fazer o que quiserem mas eu nao me arrependo. Eu comprei ele por 699 Dualsim 16GB e nao ha no mercado um windowsphone melhor.

  • Gente, a Motorola é da Google e estão fazendo excelentes aparelhos, software e hardware dedicados. A Microsoft não faz nada demais, se quiserem as outras é só investir em WP.

  • Guest

    Concordo em partes com o blog. Muito depende do que a gente observa como consolidar, e qual a perspectiva de rentabilidade da Microsoft com o Windows Phone.

    Dou como exemplo a própria Apple: o iOS representa 14% do mercado atual de
    smartphones, e não há um que duvide que é uma plataforma consolidada. E por
    mais que ele esteja longe da representatividade do Android no mercado, é tanto
    uma plataforma rentável (por causa do Iphone) quanto se torna um grande guia no
    que tange a introdução e manutenção dos consumidores nos produtos e serviços da própria Apple.

    A Google, por sua vez, tem mais interesses por trás dessa popularização do Android: é também popularizar todos seus outros serviços oferecidos, já os trazendo de fábrica em todos os aparelhos e aumentando assim o número de
    usuários – e daí o de clientes e investidores. Para se ter noção, o Android até pouco tempo dava prejuízo para a Google como divisão isolada, mas no contexto da empresa ele sempre foi de enorme importância estratégica e representava, por fim, lucro para outros setores. Só que para isso a Google, além de oferecer uma plataforma aberta (a qual os fabricantes podem personalizá-la), tornou o SO barato – a ponto de fabricantes xing-lings que nunca ouvimos falar, e também falsificadores, o adotarem. Então para a Google essa massificação é importante, embora para quase todos os fabricantes isso não importe em vendas espetaculares como a Samsung faz.

    O Windows Phone, a meu ver, já vem se consolidando. Creio que nesse próximo ano, se continuar com o percentual de crescimento anual, já pode se dizer que é um sistema operacional consolidado (até porque ela alcançará algo entre 6% a 8% do mercado). Agora, não vai ser líder em vendas, e nem tomará o lugar da Apple
    (pelo menos não agora). Isso é ruim? Depende. Numa perspectiva parecida com a
    da Apple, de atrair os consumidores para todos os produtos e serviços da empresa, isso não é ruim, pois é mais gente entrando ou voltando para a marca,
    mesmo que não seja em números estratosféricos. Ela estaria seguindo sua trilha
    de crescimento, e se conseguir reduzir os custos operacionais na fabricação de
    smartphones ela deverá ter lucro neste setor e possibilidade em outros. Por outro
    lado, há em muita gente o péssimo hábito de se deslumbrar pelos números brutos,
    a ponto de muita gente viajar na maionese e achar que da noite para o dia tem
    que surgir uma nova Samsung em vendas. Então por mais que todos os dados apontem crescimento em vendas, essa visão pode dificultar a relação com investidores e desenvolvedores, daí sim prejudicando a plataforma e, principalmente, nós consumidores.

    Mas também é aquilo: nenhuma outra fabricante apostou no Windows Phone além da Nokia. Não se esforçaram para desenvolver personalizações, aplicativos exclusivos e recursos atrativos nos aparelhos com Windows Phone (como a Nokia fez). Não se moveram nem 1/10 do que movem com o Android. E o que a Microsoft pode fazer se as outras fabricantes queriam melzinho na chupeta? Nada além de se concentrar em quem lhe deu valor, e que agora será dela. E tem mais: em determinado momento a maioria das fabricantes vão ter que encontrar uma alternativa se quiserem continuar acompanhando o crescimento das vendas gerais de smartphones no mundo, pois é nítido que a Samsung vai dominar de vez o Android. Por isso que o crescimento da 2ª que mais vende com Android para baixo começa a ficar lento, apresentando em alguns casos sinais de estagnação. E quem está ali na cola deles, apresentando bom crescimento em vendas em todos os trimestres, e que logo logo estará tomando o posto de algumas delas? Pois é…
    Nokia Lumia (que agora será da Microsoft) com Windows Phone, demonstrando todo seu potencial não reconhecido e desdenhado por elas.

    Por isso que acho que esse domínio da Nokia/Microsoft deve mudar nos próximos anos. Mas de qualquer forma acho que a atual situação não pode ser vista como ruim. Seria melhor com outras fabricantes, mas sem elas também não está sendo um mau negócio.

    • Matheus Felipe

      PS: Para usar os serviços do Google No Android você tem que pagar uma licença, nenhuma empresa “xing-ling” pode colocar o Android nos seus aparelhos. Só se for apenas sem os serviços da Google. O que você chama de ching-lings, são aquelas cópias baratas que usam “Android”(mas na verdade é um sistema todo em java com cara de Android).

      Android é livre, mas para usar o serviços da Google tem taxas.

      • Igor

        Já ouviu falar em Xiaomi? Em Mega? Em Hero? K-Touch? Todos eles xing-ling com Android (feito pela Google) e todos com acesso oficial aos serviços da empresa (de acordo com a limitação da versão, que normalmente é 2.2 ou 2.3). Sabe porque isso? Porque o lucro da Google está justamente no uso dos seus serviços por usuários, seja de forma direta (ganho com as vendas da Google Play, por exemplo), seja indireta por anunciantes em serviços extremamente popularizados (Youtube, buscador do Google, Gmail, Chrome, Google+), que aliás é a que lhe gera a maior receita. Por isso é primordial a Google massificar sua plataforma, inclusive muito interessante que os xing-lings (lembre-se, a China é um dos mercados mais importantes para smartphones no momento) adotem Android, pois esse é um intermediário para suas fontes reais de lucro. Para a Google o que importa é que seus serviços estejam no maior número de dispositivos possíveis, independentemente de marca ou qualidade.

        E para isso tudo ela não cobra nenhuma taxa de licenciamento pelo Android (enquanto no Windows Phone, por exemplo, há taxa para cada aparelho comercializado). E o licenciamento dos demais serviços da Google, quando cobrado, é barato, e ainda por cima é bem flexível. Esse é o grande motivo da maioria das fabricantes de celulares no mundo adotarem o Android: é extremamente barato e altamente customizável. Só que nisso fica barato também para xing-lings e falsificadores…

        • Matheus Felipe

          Já ouvi falar em Xiaomi, fabricam smartphones muito bons com hardwares tops, e ainda tem o preço muito baixo.

          Também em a Meizu, que recentemente fez um smartphone com 2k de resolução.

          As pessoas assimilam “xing ling” com aparelhos de má qualidade, e nem sempre isso é verdade. Só olhar Os Xiaomi e Meizu da vida.

          Falando nisso, olha a quantidade absurda de espaço que o smart tem, se chegasse aqui eu ficaria tentado a comprar.

          http://www.gsmarena.com/meizu_mx3-5679.php

          Internal
          16/32/64/128 GB storage, 2 GB RAM

          Elas ainda pagam taxas para usar os serviços da Google por padrão em seus dispositivos.

          Conhece CyanogenMod? Eles não podem incluir por padrão por isso.

          • Igor

            Mesmo considerando Xiaomi não sendo xing-ling (o que é, a meu ver), continuam valendo os demais exemplos: Mega, Hero e K-Touch. Todos eles usam Android (uns 2.2, outros 2.3) com acesso total aos serviços da Google, e todos xing-ling (a ponto de mentir nas especificações).

            E se procurar tem mais. Os números totais de dispositivos com Android divulgados contam com celulares xing-lings.

            Quanto a pagar taxas para os serviços da Google… quais serviços você se refere e quanto a Google cobra? Pois o Android não é cobrado (está no licenciamento publicado dela), e tem serviço que basta somente autorização (caso, por exemplo, do Youtube)!

          • Matheus Felipe

            AOSP é gratuito(aparelho sem o framework do Google Play Services) Você baixa no site e porta para o seu dispositivo.

            Não sei ao certo quanto é a taxa de licenciamento, mas é algo que tem haver por usarem aplicativos com a marca “Google”.

          • Igor

            Então, um resumo do que já expliquei: a forma de ganho de dinheiro da Google é com o acesso a determinados serviços seus, cujo o número de tráfego de usuários é mostrado para empresas, que, por sua vez, anunciam no Google ou pagam por destaque. E o Android é para ela uma forma de garantir que centenas de milhões de pessoas estejam com seus aplicativos instalados, e assim pode divulgar esses números para seus clientes. Não é à toa que seus aplicativos são gratuítos (em sua maioria) até para outras plataformas.

            Não tem lógica a Google cobrar por algo que ela quer que até uma pessoa numa maquina de escrever o tenha para fazer números brutos. Menos lógica ainda cobrar das fabricantes por algo ela disponibilza gratuitamente para usuários (inclusive o Google Play Services citado por você). Fosse assim as empresas que visam o Android justamente para não gerá-las custo operacional simplesmente não ativariam os serviços, deixando para o usuário. A Google cobraria uma taxa à toa…

            A única coisa que tenho conhecimento que a Google cobra em relação ao Android é pelos aplicativos pagos na Google Play. E isso em forma de rateio com o desenvolvedor.

            A Google, em relação ao Android, só exige autorização à parte para seus serviços. Isso mais para poder incidir sua política de termos de uso.

          • Matheus Felipe

            Google não vende os seus dads, de fato ela coleta suas informações de pesquisa e envia isso para os motores de propaganda. Um exemplo é quando você faz uma pesquisa sobre smartphone do lado e do lado esquerdo aparecem sugestões de sites que vendem esse tipo de produto. Ou você queria que ao pesquisar sobre smartphone a Google e seus parceiros mostrassem anúncios de panela de pressão?

            Pra uma empresa que tem ótimos serviços e entrega a maioria deles gratuitamente não vejo problema em ganhar dinheiro em propaganda usando os clientes como base para vender os seus produtos.

          • Igor

            Em momento algum eu disse ou fiz menção à venda de dados de usuários, pois isso seria proibido por legislações sobre privacidade de diversos países (e não antitruste). Entenda que você quase enxergou a monetização da Google.

            Vou tentar ser didático possível: o que um canal de televisão aberto faz para captar clientes? Ela vai, mede a audiência de acordo com horário e programa, e diante destes dados, eles mostram (não confunda com vender) para anunciantes. Dai falam “olha, em tal horário são X milhões de pessoas assistindo tal programa, então se você colocar seu anúncio no intervalo, serão X milhões de pessoas vendo seu anúncio”. Ou então pode ser melhor, tal empresa paga um valor a mais para que o produto apareça no meio do programa (merchandising). E os clientes, diante desses dados lhe mostrados (novamente, não são vendidos), resolvem anunciar (ou não).

            O que a Google faz? A mesma coisa!!! Ela pega os dados de acesso ao buscador dela, por exemplo, e mostra para seus possíveis clientes que X milhões de pessoas o acessam diariamente, então se o anunciante quiser pode pagar para ter destaque nessa busca, ou aparecer mais vezes. Se for smartphone o termo buscado, então a empresa que vende smartphones (digamos, Americanas) paga para a Google para ser a primeira a aparecer em destaque, e que tenha maior importância sobre as demais pesquisas.

            E o que o Android é em tudo isso? Número! Digamos que tenham sido comercializados em um trimestre 150 milhões de dispositivos com Android, eles chegam para uma empresa com esses números e dizem “olha, nós temos 150 milhões de aparelhos com nosso Android e nosso aplicativo de buscas”. E mais: “olha, 148 milhões desses aparelhos tiveram pelo menos um uso diário no nosso buscador, sendo que 100 milhões foram com o termo smartphone”, e então eles oferecem vender o destaque para uma empresa como a Americanas para ter destaque para essas 100 milhões de pessoas.

            Essa é a forma que eles fazem para lucrar! Só que isso eu dei exemplos de grosso modo, até porque o método deles é muito mais aprimorado tecnológicamente (como você explicou acima).

            E em momento algum eu falei que isso seria um problema. Não é! É tão somente a maneira que eles encontraram para lucrar, mudando seu foco. Mas é justamente por isso que para eles é interessante que até aparelhos xing-lings tenham Android: porque se um aparelho xing-ling venda por trimestre 2 milhões de unidades com Android, são 2 milhões de pessoas por trimestre acessando os serviços da Google! Se ela não deixa essa empresa xing ling botar seu Android, ou então deixa o Android mas não dá acesso aos serviços, são 2 milhões de pessoas a menos por trimestre que ela deixa de mostrar em relatórios para suas empresas clientes, gerando no total 8 milhões de pessoas a menos por ano acessando o que ela tem como fonte de renda!!!!!

            Veja que a gente acaba falando a mesma coisa, só que a forma de lucrar da Google vai de encontro com seu primeiro comentário referente ao meu!

          • Matheus Felipe

            O acordo antitrust não permite que a Google venda os dados dos usuários.

      • Guest

        Por isso é ruim .

  • Igor

    Concordo em partes com o blog. Muito depende do que a gente observa como consolidar, e qual a perspectiva de rentabilidade da Microsoft com o Windows Phone.

    Dou como exemplo a própria Apple: o iOS representa 14% do mercado atual de
    smartphones, e não há um que duvide que é uma plataforma consolidada. E por
    mais que ele esteja longe da representatividade do Android no mercado, é tanto
    uma plataforma rentável (por causa do Iphone) quanto se torna um grande guia no
    que tange a introdução e manutenção dos consumidores nos produtos e serviços da própria Apple.

    A Google, por sua vez, tem mais interesses por trás dessa popularização do Android: é também popularizar todos seus outros serviços oferecidos, já os trazendo de fábrica em todos os aparelhos e aumentando assim o número de
    usuários – e daí o de clientes e investidores. Para se ter noção, o Android até pouco tempo dava prejuízo para a Google como divisão isolada, mas no contexto da empresa ele sempre foi de enorme importância estratégica e representava, por fim, lucro para outros setores. Só que para isso a Google, além de oferecer uma plataforma aberta (a qual os fabricantes podem personalizá-la), tornou o SO barato – a ponto de fabricantes xing-lings que nunca ouvimos falar, e também falsificadores, o adotarem. Então para a Google essa massificação é importante, embora para quase todos os fabricantes isso não importe em vendas espetaculares como a Samsung faz.

    O Windows Phone, a meu ver, já vem se consolidando. Creio que nesse próximo ano, se continuar com o percentual de crescimento anual, já pode se dizer que é um sistema operacional consolidado (até porque ela alcançará algo entre 6% a 8% do mercado). Agora, não vai ser líder em vendas, e nem tomará o lugar da Apple
    (pelo menos não agora). Isso é ruim? Depende. Numa perspectiva parecida com a
    da Apple, de atrair os consumidores para todos os produtos e serviços da empresa, isso não é ruim, pois é mais gente entrando ou voltando para a marca,
    mesmo que não seja em números estratosféricos. Ela estaria seguindo sua trilha
    de crescimento, e se conseguir reduzir os custos operacionais na fabricação de
    smartphones ela deverá ter lucro neste setor e possibilidade em outros. Por outro
    lado, há em muita gente o péssimo hábito de se deslumbrar pelos números brutos,
    a ponto de muita gente viajar na maionese e achar que da noite para o dia tem
    que surgir uma nova Samsung em vendas. Então por mais que todos os dados apontem crescimento em vendas, essa visão pode dificultar a relação com investidores e desenvolvedores, daí sim prejudicando a plataforma e, principalmente, nós consumidores.

    Mas também é aquilo: nenhuma outra fabricante apostou no Windows Phone além da Nokia. Não se esforçaram para desenvolver personalizações, aplicativos exclusivos e recursos atrativos nos aparelhos com Windows Phone (como a Nokia fez). Não se moveram nem 1/10 do que movem com o Android. E o que a Microsoft pode fazer se as outras fabricantes queriam melzinho na chupeta? Nada além de se concentrar em quem lhe deu valor, e que agora será dela. E tem mais: em determinado momento a maioria das fabricantes vão ter que encontrar uma alternativa se quiserem continuar acompanhando o crescimento das vendas gerais de smartphones no mundo, pois é nítido que a Samsung vai dominar de vez o Android. Por isso que o crescimento da 2ª que mais vende com Android para baixo começa a ficar lento, apresentando em alguns casos sinais de estagnação. E quem está ali na cola deles, apresentando bom crescimento em vendas em todos os trimestres, e que logo logo estará tomando o posto de algumas delas? Pois é…
    Nokia Lumia (que agora será da Microsoft) com Windows Phone, demonstrando todo seu potencial não reconhecido e desdenhado por elas.

    Por isso que acho que esse domínio da Nokia/Microsoft deve mudar nos próximos anos. Mas de qualquer forma acho que a atual situação não pode ser vista como ruim. Seria melhor com outras fabricantes, mas sem elas também não está sendo um mau negócio.

    • Babaca

      Excelente comentário, uma pena que 99% dos que aqui frequentam não se darão ao trabalho de ler.

    • Diego Menezes

      Ótimo visão, estou nesse pensamento.

    • Adriano Neres Rodrigues

      Excelente comentário. E apenas para complementar, um dado que acho importante é que o Windows Phone não foi pensado para se espalhar por vários fabricantes. Explico. Hoje em dia, em matéria de hardware, todos os aparelhos são praticamente a mesma coisa, pois a maioria dos fabricantes usam processador Qualcomm ou coisa parecida, a memória deve vir de uma meia dúzia de fabricantes diferentes, imagino que devemos ter no máximo 3 ou 4 fabricantes grandes de tela para celular e por ai vai. Então, uma Nokia, por exemplo, e uma HTC só podem diferenciar seus aparelhos entre si de 3 formas: acabamento (uma faz a carcaça de aço e outra faz a carcaça de plástico – igual o Galaxy da Samsung…); o desenho do aparelho (tamanho, cor, cantos arredondados ou quadrados, etc) e por fim a interface do usuário. Neste ponto, a meu ver, a Microsoft usa uma estratégia que afasta os fabricantes, pois se você pega um celular Android da Motorola você vê diferenças na interface perceptíveis em relação a um Galaxy Samasung, por exemplo. Mas no caso do Windows Phone não há diferenças grandes entre um Nokia e um HTC, ou mesmo de recursos nativos do SO (discador, gerenciamento de contatos, agenda, etc). Digo isto porque tenho um HTC Ultimate com Windows Phone 7.8 e quando vou a uma loja de celulares mexer nos modelos da Nokia não vejo nada de diferentes nestes recursos específicos. Há aplicativos exclusivos entre os fabricantes, mas ao menos para mim, nada que justifique dizer que o WP da Nokia é melhor que o da HTC ou vice versa. Ganhei um aparelho Motorlo com Android recentemente por trocar de operadora e minha esposa tem um Galaxy S3. O discador é diferente, o aplicativo de agenda também entre outras diferenças no uso do sistema que é possível dizer que o Motorla é melhor nisto ou naquilo e o Samsung em outros pontos. Entendo que a Microsoft queira unificar a experiência do usuário com o Windows Phone. Para o SO, isto é fantástico, mas para o OEM isto é péssimo. No meu caso específico, minha esposa não se sentiu muito confortável com o Motorola no primeiro uso, mesmo tendo o S3 a um ano. Então, eu vejo como uma escolha entre duas estratégias que não são necessaciamente ruins ou boas, são diferentes: ou a Microsoft aposta na quantidade de OEM e neste caso tem de abrir a API do sistema para dar mais poder de customização à OEMs ou a Microsoft aposta na experiência unificada do SO, e neste caso vira um iPhone da vida com um único fabricante de aparelhos, no caso a Nokia. E o fato da Microsoft ter comprado a divisão de celulares da Nokia a meu ver mostra a escolha da Microsoft. E o fato de os aparelhos WP estarem se concentrando na Nokia mostra que a escolha da Microsoft está dando certo. Então não vejo como ruim o domínio da Nokia sobre os demais OEMs, vejo como uma estratégia escolhida pela MS. Claro que como consumidor eu prefiro ir a uma loja e ter vários modelos de diferentes fabricantes para escolher. Mas tudo indica que esta não foi a escolha da Microsoft.

      Um outro ponto de diferenciação entre os fabricantes, que esqueci de comentar acima, é a marca. A marca explica porque a Samsung faz mais sucesso do que as outras no mundo Android,.

      • Igor

        Adriano, gostei muito do seu comentário, embora discorde de pouquíssimas coisas.

        Não acho que o domínio da Nokia em cima do Windows Phone tenha sido estratégia escolhida pela Microsoft. Acho sim que a Nokia foi a única a investir com seriedade no Windows Phone, e também a única com visão em relação à inviabilidade do Android para a marca. As demais preferiram o barato e os números fantásticos do Android, muito embora a responsável pelo destaque tenha sido a Samsung. A HTC até fez bons aparelhos, mas investia bem mais no Android. E agora, para piorar, está com problemas financeiros…

        Essa coisa sobre a customização do Android é verdade pura. Eu já li tanto elogios quantos críticas em relação a isso. No que tange a plataforma em si, essa customização excessiva acaba por desfazer uma identidade rígida do Android: vira um SO de experiências diferentes. Só que a Google na verdade está mais focada em ter o Android de qualquer forma em mais aparelhos possíveis, pois o que lhe interessa são seus serviços nativos nestes dispositivos. Elogio, a meu ver, é porque acho que quanto mais diferenças nos sistemas operacionais, melhor para nós consumidores para ter opções em smartphones.

        O Windows Phone até pode sofrer customização, embora muito limitada: fica somente no plano dos aplicativos. Mas a essência dele, a meu ver, é resgatar a utilidade dos aparelhos para o dia-a-dia, de uso mais maduro (profissional e pessoal), fugindo um pouco da superficialidade — e até futilidade — que os sistemas operacionais passaram a apresentar. Ficaria algo do tipo “não pode colocar um papel de parede, mas você acessa a internet muito mais rápido que os demais “! Então isso atrai mais o consumidor que trabalha, tem sua autonomia financeira e quer um instrumento útil e usual do que o garoto que quer ficar trocando de papel de parede a cada dois dias. Isso apesar do Windows Phone ser voltado para jogos e coisas mais…

        E o que acho interessante é que, em meio a elogios e à críticas, o Windows Phone foi o único que apresentou um diferencial perceptível. Isso com um duopólio entre iOS e Android, que estava “emburrecendo” o mercado. Torço sinceramente para que mais plataformas façam o mesmo, pois é bom para a gente.

        No que tange ao Android, concordo contigo: é a marca que faz o destaque! Cada vez mais as pessoas querem um Samsung do que o Android em si. As demais marcas tendem a estagnar em vendas, e até mesmo apresentar quedas. Não é à toa que a Samsung vende mais do que as quatro atrás delas (com Android) somadas…

  • Jefferson Augusto

    Não consigo baixar nenhum app no meu lumia 520 (Chegou hoje), Diz que eles estão com problemas para entrar no serviço. Alguém me ajuda?

    • Carlos Roberto Elias

      Pode ser um problema temporário na rede.
      como já aconteceu e minutos depois reestabeleceu a conexao

  • simon.bellmont

    A Nokia apostou no wp porque também o symbiam não funcionava mais. E apostou certo agora se é para as outras marcas fabricarem wp de mà qualidade é melhor ficar só a Nokia mesmo.

  • Renato

    Se for pra OEMs lançarem um monte de aparelhos de ma qualidade como a Samsung, LG , e outras fazem melhor ficar só com a Nokia assim vamos sempre ter mais qualidade, acho que a HTC deveria lançar mais um modelo com WP pois sempre tive aparelhos HTC e são ótimos.

  • Firmo

    Eu acho que isso é ruim, quer dizer que só o pessoal que era fiel a NOKIA é que esta apostando no WP….

  • Jefferson Augusto

    Depois de 1 mês que comprei meu Lumia 520 pela Casas Bahia pela net, ele chegou hoje ‘-‘. Jaja lança o 525 e eu vou ter que trocar o meu. –‘

    • Firmo

      Acho que não vai aparecer ninguém na porta da sua casa obrigando você a trocar de aparelho… kkkkk

      • Jefferson Augusto

        Não entendi. Porém oque eu quis dizer é que eu se eu soubesse que ia demorar tanto pra chegar, eu poderia esperar o 525 com 1 de ram!

        • Firmo

          Nesse sentido a gente sempre vai dançar, a não ser que compre logo no lançamento, e pague por isso. Eu só comprei o lumia 920 sabendo que tinha saído de linha, mas economizei quase 900 reais com isso. E não me arrependo. No seu caso a memoria inferior realmente pode atrapalhar em alguns aplicativos.

          • Jefferson Augusto

            Poise, mas comprei por 399, acho que não têm prejuízo afinal o celular não deixou de ser bom por causa da memoria ram.

          • Firmo

            Ha sim realmente não deixou de ser bom…

    • Francisco Henry

      Jeferson o lumia 520 muito bom o lançamento do 525 não implica você trocar de aparelho pois as configurações são muito parecidas.

  • rodrigo_Seven

    Acredito que esse movimento em relação a Nokia é estratégico. Acho que veremos mais OEM’s aderindo ao Windows Phone quando chegar na sua versão 9 e for integrado ao OS Desktop. Por enquanto parece ser uma estratégia de marketing para agregar valor a marca.

  • Acredito eu que a Microsoft ira fazer igual a Apple, porem seu diferencial é ter modelos diferente para cada publico, coisa que a Apple vem fracassando (5C) Aquino Brasil (Impostos)

    • Babaca

      Ta aí um bom comentário. Penso da mesma forma, a Microsoft vai garantir a exclusividade do sistema operacional, produzindo para aparelhos próprios mas em diversas camadas de consumo.

      Esse é o caminho.

  • Os dados é fruto do valor que a nokia deu no início ao wp, o resultado esclarece q a HTC e Samsung abandonaram o wp então é o resultado. Eu penso da msm forma que o blogue postou sobre a necessidade de mais empresas apostarem no wp como forma de consolidar

  • Rodrigo O’neal

    Acho que a Microsoft deveria fazer igual a Apple e fazer o sistema somente para a Nokia, assim poderia algo mais otimizado com linguagem de baixo nível e certeza que o sistema teria maior fluidez.

    • Ia ser bem pior.

    • Também acho… E parar de lançar um Lumia a cada cinco dias… Lançar poucos, mais todos eles bem segmentados e completos no que propõe.

  • O problema que as outras empresas que pegam a plataforma do Windows Phone só o usam como plano B ou até mesmo C (no caso da Samsung) para caso dê algum problema com a linha principal delas. A Nokia era (e ainda é) a única que tem o Windows Phone como linha principal e investe pesado na sua divulgação, mais até que a própria Microsoft.

    Não sei se faria muita diferença para a Microsoft se as outras empresas tivessem uma boa adesão com o Windows Phone, pois as outras até agora não criaram nenhum diferencial da versão do Windows Phone delas em relação aos da Nokia que me fizesse ficar interessado em adquirir seus aparelhos.

  • david

    A Nokia foi a Unica que acreditou e investiu grandemente na platforms ta Ai que a Nokia tem os melhores aparelhos tenho um lumia 1020 e não troco por nenhum galaxy lixo 4 ou ibosta 5s

    • Tenho um 808 pureview Symbian. Realmente é lindo, mas pouco funcional, Nokia é excelente. O Windows Phone é o sistema do atrasado, tudo vem depois. Rádio, travar a tela… E app entao? nada se desenvolve para WP ao mesmo tempo que ios ou Android. É tudo depois, um dia, vamos implorar. Isto enche, acho que já era pra ter pego. O crescimento ta muito lento.tenho um 820. Não sei pra qual evoluo. N gosto peso 920, armazenamento 925 e preço do 1020.

      • Joao Paulo

        Acho que o sistema vai evoluir muito depois que a microsoft comprar a Nokia.A finlandesa sabe das necessidades das pessoas ,afinal foram 14 anos de liderança .Acho que os aparelhos ganharão as tais funções básicas que deveria ter ,a microsoft parece que não tem noção da importancia dessas coisas básicas como radio fm por exemplo .

        • Igor

          Acho que o erro da Nokia e Microsoft foi superestimar muitos mercados do mundo, pois o foco deles era o rádio via web (streaming). No mundo inteiro (principalmente nos países ditos desenvolvidos) esse tipo de rádio vem crescendo muito, tanto em estações quanto em usuários. Só que alguns países como o Brasil, além de não possuir a qualidade necessária de internet para isso, tem pacotes de dados extremamente limitados e caros. Então a pessoa que tem um pacote de 100, 200 MB não pode usufruir deste tipo de serviço, e o rádio via FM torna-se importante. Mas pelo menos eles estão corrigindo essa aposta errada…

          • Joao Paulo

            Foi que eu disse a Nokia conhece o mercado ,a microsoft tem muito que aprender .Os mercados emergentes sa~ode vital importancia para qualquer empresa e a microsoft nunca se importou muito.

          • Igor

            Eu acho que neste caso não foi questão de — falta de — importância, mas de erro. E a Nokia tem sua parcela nisto, pois apesar de colocar os receptores FM em alguns aparelhos, não fez nada para que o SO viesse com a função desbloqueada.

          • Foi pensado, queriam que o lixo do XboxMusic duplicador de fotos, fosse enfiado goela abaixo sem termos internet pra isto, na maioria.

          • Igor

            Seu comentário é mais destilação de raiva do que qualquer outra coisa! Enfim…

            A visão deles era numa coisa mais avançada, numa tecnologia cuja deficiência no Brasil não é a regra na maioria dos países que eles comercializam. Foi um erro por superestimar, e não por subestimar. E nem intencional.

          • Qual o sentido de deixar o receptor fm? Inativo? Se os cobaias reclamarem muito, ou se não aderirem ao XboxMusic$$$, a gente devolve este radinho pra eles. Rádio na net tem delay de uns 3 segundos, até mais. É todo mundo no bar gritando gol e você sabendo pela gritaria dos outros. Aqui não rola. Celular barato tem que ter rádio, tem que bloquear o giro, tem que ter Facebook funcional.

          • Igor

            Volte mais atrás e releia o erro que falei: a Nokia podia ter feito algo para que o Windows Phone já viesse com a função do rádio FM. Como disse, o WP foi pensado para para o streaming, que é algo que funciona muito bem e cresce em quase todo o mundo.

            E te digo mais: o atraso das rádios via net é graças a transmissão, e não do aparelho. Faz um teste colocando uma televisão com antena comum, outra com tv a cabo e outra com receptor via satélite (igual Sky): você vai ter o mesmo delay que está falando no cabo e mais ainda no via satélite!

            Agora, as vantagens do streaming são maiores que ouvir um gol atrasado: você tem acesso às radios do mundo inteiro, em tempo quase real, e se a internet for boa a qualidade de audio é superior ao rádio FM. E é bem mais fácil para quem quiser transmitir, pois não tem toda a burocracia de se conseguir uma permissão para operar em determinada frequencia. Além de ser mais barato!

            Fora que é uma forma encontrada para contornar o problema da pirataria, pois pode se fazer um conteúdo (pago ou gratuíto) de música sem download.

            Só que alguns países como o Brasil a internet de má qualidade nos faz ser atrasados em relação aos países ditos desenvolvidos!

            Quanto ao demais, nos meus dois Lumias o Xbox nunca duplicou nada, o Facebook tem todas as principais funções úteis e o bloqueio de tela virá com a atualização (embora isso seja algo tão vil que não altera em quase nada a utilidade do aparelho). E o Radio FM já está desbloqueado, portanto……………

          • É, tão mandando desovar o Surface Rt aqui, foi um fracasso, aí mandam pra gente o lixo a preço alto. #boicote é bonito, mas vão matar ele rapidão.

          • E o pior, que o mercado do Windows Phone maior, é na America Latina…

          • Igor

            Na verdade a Europa ainda é o maior mercado, com o Windows Phone correspondendo a 10,2% lá (segundo a Kantar). Mas a América Latina é de uma importância enorme, e o WP já tem 5,8% desse mercado. Mas esse cenário deve se alterar, pois a entrada dos aparelhos de baixo custo (low-end, que aqui são tidos como mid-range) com Windows Phone entraram muito recentemente no mercado latino americano.

          • Mas acontece que aqui na America Latina, o WP já passou o iOS.
            Não sei se na Europa já passou…

          • Igor

            SIm, sua informação é verdadeira, mas o maior número de vendas ainda está na Europa. Lá se vende mais aparelhos com Windows Phone como se vende mais Iphones do que na América Latina.

            E todos concordamos que a America Latina é um mercado super importante!

          • Aqui? Não é não, aqui mesmo ja saiu pesquisa, cresceu uma merreca.

          • Americana Latina não é só Brasil…

          • Igor

            A informação dele está correta: o Windows Phone já tem maior participação do que o iOS na América Latina, o que inclui o Brasil. E tá crescendo bem a cada trimestre! E creio que este ano o Windows Phone deve fechar entre 6 a 8 porcento de participação mundial se continuar na situação que está, com uma só fabricante dominando a plataforma.

          • GUTO

            ela deveria entrar nos mercados emergentes e depois seguir para os maiores porém ela cagou a estratégia..

          • Igor

            Então, isso depende. Para a Nokia, no que tange os smartphones, mesmo com a entrada em países emergentes a Europa continua sendo seu mercado com maior retorno. Basta ver o percentual de participação lá! E havia pouco tempo atrás a dificuldade de produzir aparelhos com Windows Phone de baixo custo (como o Lumia 520), o que agora parece que não será mais problema. Os países emergentes (com algumas exceções) ainda compram mais aparelhos low-end, feature phones ou até mesmo dumbphone, e nisso a Nokia teve boas vendas.

          • Foi péssimo. Mas bastava uma pesquisinha, vai?

      • Leonardo

        O Windows Phone foi lançado a um ano. Android e iOS já tem mais de 4 anos no mercado.

        • O iOS da lucro, desde o começo foi feito para um público top. O Windows Phone deve estar longe disto, ser lucrativo para a Microsoft. Vamos torcer pra isto mudar, senão… Se ninguém nunca comprar app, e 80% do publico ficar em aparelho low end, logo as melhorias ficam cada vez mais lentas.

        • GUTO

          1 ano? vc veio de marte recentemente?

        • Igor

          Leonardo, o Windows Phone foi lançado ao público ao final de 2010. O Android em 2008 e o iOS em 2007.

  • Babaca

    Isso é mais do que óbvio, a Nokia foi a única a “apostar” na plataforma …

  • Filipe

    Para o bem do Windows Phone, a Microsoft teria que convencer mais fabricantes a apostar na plataforma e de certa forma dá mais suporte e incentivos a Samsung e HTC. Porém, acredito que se ela desse a louca e só distribuisse seu sistema para a Nokia também teria sucesso na estratégia.

    Na verdade ela precisa determinar o que ela quer, se é popularizar o seu sistema ou fortalece-lo junto com os seus aparelhos e garantir aos seus usuarios uma experiencia positiva. A Google já tá fazendo isso, lançando o Moto X e o Moto G, além do próprio Nexus. Quem gosta do Android, compra esses aparelhos, já quem não liga pra isso, compra um Galaxy.

    • Babaca

      Para convencer outros fabricantes a apostarem na plataforma, é necessário primeiro que a própria Microsoft aposte.

    • Carlos Roberto Elias

      Será que a Microsoft está realmente interessada em promover a distribuição de seu so móvel. De repente já esta ate fechando somente na Nokia, prova disso pode ser o fato da maioria esmagadora já ser lumias, enquanto que nas demais fabricantes so diminui o wp8. Também vemos que Samsung, nem divulga o ativ s, que é um belo aparelho, afinal nem sabemos porque o fabrica. Falta de interesse das outras pode até ser pelo fato de a Microsoft ter comprado a Nokia com isso ela seria imbatível contra a concorrência, mas aí vêm uma difícil de entender. Consideremos que seja isso, então veremos agora: a Google alem de fornecer o Android, também compete em vendas de aparelhos como é o caso de Motorola por exemplo. Se cada fabricante de celular criassem vergonha na cara de seu próprio so então o mundo seria mais competitivo. Vai chegar um ponto em que os que não souberem se virar vão dançar. Ninguém investe em aplicativos como a Nokia, a maioria(ou quase todas as fabricantes) só sabem montar smartphones . Já é possível sim imaginar que Microsoft não tem interesse em distribuir o wp8, como faz a Apple, com certeza não há prejuízos, pode sim ser o bom caminho, aposto na Nokia, tenho um lumia 820 e tem atendido perfeitamente.