Segunda-Feira, 25 de Junho de 2018
Porque não existe nenhum aparelho Windows Phone com processador Dual Core?

Essa é uma pergunta bem interessante, pois, como ultimamente temos visto diversos celulares com Android equipados com processadores Dual Core a venda no mercado, os usuário do Windows Phone deveriam sentir uma certa inveja dos fãs do robozinho da Google, certo? Errado!

No futuro, com certeza veremos aparelhos com Windows Phone equipados com processadores Dual Core, contudo, no momento isso não se faz necessário.

Segundo a própria Microsoft, o Windows Phone foi projetado para rodar com processadores mais simples e utilizar o mínimo de memória RAM possível. Inclusive até a Mango roda tranquilamente com as configurações de hardware dos primeiros aparelhos que foram lançados no ano passado. E por que isso? Por que processadores de múltiplos núcleos consomem bem mais bateria do que de núcleo simples (Single Core), então, pensando na compatibilidade funcional do bom desempenho do sistema com a durabilidade da bateria e o custo total, o sistema foi projetado para ser extremamente leve. O Windows 8 também terá esse intuito, rodar em hardwares básicos sem causar qualquer penalidade a “potência” do sistema. Rumores já demonstram o interesse da Microsoft em construir o código fonte do Windows Phone usando o mesmo Kernel do Windows 8. Dessa forma, veremos o quanto é eficiente uma programação de qualidade e inteligente.

Dos concorrentes do WP7, temos apenas o iOS da Apple que segue essa mesma linha de pensamento. O sistema da Apple foi projetado para funcionar em aparelhos novos e antigos, obviamente respeitando as limitações de hardware de cada aparelho, tanto que, o iPhone 3G ainda recebe atualizações de software junto com seus irmãos mais novos, mas, não tem acesso a alguns recursos das novas versões. Todos já devem ter reparado que quando a Apple lança um update para o iOS, todos os aparelhos tem acesso a atualização justamente pelo fato do sistema exibir menos do hardware do aparelho e por possuir uma interface “universal”, isto é, sem modificações extremas. Da mesma forma acontece com o Windows Phone. Diferentemente das demais, o Android da Google sofre e muito com a fragmentação, pois, por ser de código aberto, as empresas o modificam a sua vontade, deixando o sistema com a “sua cara”, contudo, rapidamente o hardware do aparelho fica defasado e é preciso comprar um modelo mais novo com um hardware mais potente, hardware esse que é exigido para rodar versões mais novas da plataforma.

Enfim, no momento termos um aparelho com um processador Single Core equipando nossos Windows Phone’s é mais vantajoso do que pagar mais caro por um processador Dual Core que poderia não fazer tanta diferença no desempenho global do sistema. Tanto que, a HTC lançou dois novos modelos com processadores de núcleo simples, mas, com velocidades maiores, o que proporciona um melhor desempenho de todo o sistema sem abusar da bateria. Lembro que, no mundo da tecnologia, a compatibilidade do hardware com o software é mais importante do à potência dos componentes presentes no dispositivo, estou certo?

Fontes: pocketnow

Compartilhe