Terca-Feira, 23 de Outubro de 2018
Home Destaque

Por que os lançamentos com Windows Phone demoram tanto a chegar no Brasil? Isso realmente é verdade?

24/10/2012 90 0
Por que os lançamentos com Windows Phone demoram tanto a chegar no Brasil? Isso realmente é verdade?

Desde que a Nokia divulgou oficialmente a informação de que seus novos Lumia 820 e 920 só chegariam ao Brasil no primeiro trimestre de 2013, muita gente está reclamando dizendo que é muito tempo, que vai demorar demais, que a Nokia + Microsoft está dando um tiro no pé no Brasil, etc. Mas, realmente o lançamento desses e outros modelos demoram tanto assim para chegar ao Brasil?

A demora na verdade não é um problema que depende simplesmente da vontade da Nokia, ou da Microsoft, muito menos é uma característica dos Windows Phone. Isso vale para todo e qualquer eletrônico que venha legalmente para o Brasil. Mas, por quê? Vamos entender…

Primeiramente só para exemplificar, para quem não sabe o iPhone 5 da Apple foi lançado oficialmente nos EUA no dia 21 de setembro, mas, só deve chegar por aqui (isso ainda é apenas uma especulação publicada por sites especializados) em meados de dezembro, isto é, basicamente 3 meses depois de ser anunciado/lançado no mercado internacional. Isso também aconteceu com o iPad 2 e o New iPad, com o Samsung Galaxy SII, com o Motorola Razr e num intervalo um pouco menor com o Galaxy SIII com Android. Sem contar os aparelhos que sequer chegam por aqui, como o Kindle Fire e muitos outros.

Usamos esses exemplos porque eles não têm nada a ver com a Microsoft, isso no intuito de mostrar que o problema está em outras questões. São elas:

Os fabricantes atendem primeiramente os chamados “mercados preferenciais” que são os EUA, alguns países da Europa e alguns outros países da Ásia e da África. Esses mercados são preferenciais não por serem compostos por pessoas que possuem maior poder aquisitivo, mas sim, por oferecerem condições mais propícias para o lançamento de novos aparelhos. O Brasil não é “preferencial” por possuir uma carga tributária muito alta e complicada, além de muitos outros fatores que estão listados a seguir.

Homologação dos órgãos responsáveis como a ANATEL. A lista de produtos na fila de espera para serem homologados é enorme, portanto, algumas homologações demoram e muito para sair. Sem o selo da ANATEL qualquer eletrônico ficaria sem garantia nacional e poderia não funcionar corretamente. Algumas coisa até dependem dos fabricantes, como é o caso do iPhone 5 que mesmo tendo acesso a redes 4G, no Brasil ele não terá, pois, não foi do interesse da Apple adaptar a frequência do 4G deste iPhone para o nosso país. Já os Lumias 820 e 920 e possivelmente o Ativ S terão (promessa de Elop).

Como muitas vezes as companhias não sabem como será a venda dos aparelhos, por cautela, muitas delas fazem estoques pequenos, daí, quando esses são lançados nos mercados preferenciais e os estoques esgotam rapidamente, eles terão que repor este estoque por lá, o que atrasa o lançamento desses gadgets em outros mercados considerados emergente ou não preferenciais.

Nossa alfândega dá sua contribuição logo depois que os produtos são homologados e quando os estoques são suficientes. Entra agora o problema da tarifação burocrática e complicada. Muitas vezes centenas de containers ficam presos nos portos aguardando a liberação da alfândega que tem procedimentos extremamente burocráticos. Uma vez até o próprio Steve Jobs da Apple disse: “…a carga tributária brasileira é desanimadora para qualquer empresa…”, e isso é verdade.

Além do mais, ainda tem o problema do nosso sistema de distribuição, que é basicamente feito por rodovias, enquanto nos países preferencias que falamos a maior parte da logística do país é feita por ferrovias, que é mais rápido e mais barato. As vezes até por barcos e navios é mais rápido e barato.

Depois de tudo isso… Ufa hein… finalmente o aparelho chega às lojas e às operadoras que ao seu bom gosto colocam os produtos em exposição e a venda. Geralmente com preços acima do que realmente se “deseja” cobrar, com os chamados PREÇOS DE LANÇAMENTO. Geralmente esses preços sempre caem algumas semanas após o lançamento oficial.

Enfim, entendam que se os Lumias, ou o Ativ S, ou qualquer outro produto eletrônico, seja ele com Windows Phone ou não, demora geralmente entre 2 a 5 meses para chegar ao mercado varejista brasileiro depois do seu lançamento nos EUA e Europa. Isso é normal e não é algo inerente a Microsoft. Também não é algum tipo de perseguição ao povo brasileiro.  É uma questão mercadológica.

Obviamente alguma coisa depende deles, como a determinação da segunda leva de lançamentos, que seria os mercados não preferenciais que seriam atendidos logo após os preferencias. Depende deles adaptar os aparelhos a nossa legislação. Também depende deles definir quais modelos lançar nesses mercados ou ainda quais recursos podem ficar de fora ou serem adicionados – Lembram do primeiro Samsung Galaxy que chegou ao Brasil? Ele tinha TV digital e nos EUA não.

Então, como falamos em outro post: ainda é um bom negócio investir num Windows Phone 7.5 (Essa postagem que falamos isso foi publicada em 05/07/2012), pois, como prevíamos que os primeiros Windows Phone 8 só chegariam Ao Brasil em meados de março ou abril de 2013, daqui para lá daria para usar seu smart com WP7.5 durante um bom tempo, especialmente porque todos eles ainda receberão o update para o Windows Phone 7.8.  A grande maioria deles custa o mesmo preço que muitos Androids com um hardware mais fraco, com telas com baixa resolução e pouquíssimos recursos e especialmente fadados a morrer sem serem atualizados. Um exemplo disso é o sucesso de vendas no Brasl, o Samsung Galaxy Ace, que custa hoje cerca de R$ 620,00. Ele irá morrer com o Android 2.3.7, enquanto com esse valor você pode comprar um Nokia Lumia 710 ou por menos que isso um Samsung Omnia W, os quais são bem superiores que o Ace e do que muitos outros no quesito hardware e são perfeitamente atualizáveis. Sabe quando custa um iPhone 3GS no Brasil? Que incrívelmente ainda vende muito? R$ 799,00. Ele até roda o iOS 6.0, mas, com uma infinidade de limitações e com um hardware bem inferior até mesmo do que os primeiros Windows Phone (como o HTC HD7, Samsung Omnia 7, LG Optimus, etc.). E o iPhone 4? Que agora custa R$ 999,00? Seu hardware também é inferior ao do Omnia W (R$ 599,00), do que o Lumia 710 (R$ 699,00) e especialmente do que o Lumia 800 (R$ 899,00).

Vamos criticar o que tem para ser criticado pessoal, como por exemplo: porque a Samsung, a HTC e a LG simplesmente não investem no Windows Phone no Brasil? Por que eles preferem os EUA? Por que eles não lançam mais modelos com o WP? E a Huawei e a Fujitsu… por que não lançam nada por aqui? Cadê os jogos da Live americana no Brasil? Desenvolvedores… acordem. Esses são motivos para reclamar.

Fontes: Gizmodo e Tecmundo

Compartilhe:

Comentários: