Segunda-Feira, 23 de Julho de 2018
Professor ganês que ensina computação no quadro negro vai ganhar PC de presente da Microsoft

Um caso incrível chamou a atenção de todos, inclusive da Microsoft. Em Gana, um professor mais do que fenomenal ensinava informática a seus alunos usando um quadro negro… pera lá… você não entendeu bem, afinal, todo professor usa um quadro, mas ele ensina informática APENAS usando um quadro negro, sem um PC de verdade disponível. O ganês desenhava a interface do sistema operacional e dos aplicativo do Office (como o Word) no quadro negro para que seus alunos aprendesse “na prática” como usar os softwares.

O professor em questão é o ganês Richard Akoto. Sua disciplina se chama “novas tecnologias de informação e comunicação (NTIC)”.

“Ensinar NTIC na escola em Gana é bem divertido”, comentou ele. “Eu tenho feito isso o tempo todo em que estou na sala de aula. Eu amo os meus alunos, então tenho que fazer algo que os faça entender o que estou ensinando”, complementou o professor.

O porquê dele ter de usar o quadro negro e não um PC para demonstrar as teorias e demais informações sobre sua matéria é que nem o professor, nem a Instituição tem um computador. A escola não tem nenhuma máquina desde 2011. O interessante é que mesmo nessa situação, temas relacionados às NTIC são parte obrigatória do currículo escolar por lá.

A imagem viralizou na rede e uma empresária africana chamada Rebecca Enonchong resolveu fazer alguma coisa para ajudar e mandou uma mensagem para a Microsoft África via Twitter. Inacreditavelmente a seção africana da Microsoft se pronunciou e prometeu ajudar o professor.

O primeiro passo será conceder ao professor acesso ao programa de certificação de educadores da empresa, o Microsoft Certified Educator (MCE), mas, não para por ai… a empresa também dará um novo computador ao docente.

“Apoiar os professores para permitir a transformação digital na educação é o cerne do que fazemos….” disse a Microsoft via Twitter. 

Para alguns pode parecer pouco, mas, não podemos esquecer que empresas capitalistas como a Microsoft geralmente não costumam se envolver a fundo em problemas sociais de forma direta, até porque muito das dificuldades do professor ganês tem uma relação direta com questões político-econômicas, então, qualquer ajuda sem dúvida é digna de aplausos. Alguns queriam que a empresa reformasse a escola, criasse um laboratório de informática completo, enfim, entenda que o problema da escola está longe de ser os recursos necessário para correta ministração de aulas de informática. Instituições como essa precisam de tudo, e uma intervenção muito maior que essa poderia acarretar em problema políticos e outros. Não é tão simples como parece…

Se você também deseja ajudar países como Gana, acesse este link e descubra como

Compartilhe