Qualcomm se defende das acusações de políticas anti-competitivas

0

Apenas há alguns dias a Intel emitiu uma nota acusando a Qualcomm de promover políticas “anti-competitivas” envolvendo modens LTE usados no iPhone da Apple.

O caso…

A Qualcomm acusou a Apple de infringir sua patente e acionou a Comissão de Comércio Internacional para que eles proibissem completamente as vendas de iPhone que usassem o modem LTE da Intel, que supostamente infringe os direitos da empresa. Grandes gigantes da tecnologia, boa parte delas que fazerm parte de um grupo de lobby, reclamaram à Comissão de Comércio Internacional afim de minar os pedidos da Qualcomm contra a Apple, pois, a proibição levaria a “choques significativos para suprir” o iPhone e isso afetaria os consumidores. O grupo representa os maiores gigantes tecnológicos do mundo, incluindo a Microsoft, Google, Facebook e Amazon.

Entre as práticas anticompetitivas apontadas pela Intel, podemos destacar o esquema “sem licença, sem chips”, da Qualcomm, problema também indicado pela Apple no final de junho. Essa prática exige contratualmente o pagamento de royalties tanto para liberar o uso de uma tecnologia quanto, posteriormente, a cada unidade vendida do iPhone.

Do outro lado a Qualcomm se defendeu dizendo que a Apple tomou decisões unilaterais sobre esse aspecto e desrespeitou um contrato que vigora há anos. A companhia se posicionou publicamente sobre o tema, afirmando que seus royalties são mais baratos do que um adaptador de tomada oficial para produtos Apple. Para a Intel, esse mesmo preço baixo é apenas mais uma prática anticompetitiva, tendo em vista que prejudica o avanço de competidoras no setor ao oferecer preços mais baixos com exclusividade para a Apple em troca de exclusividade na aquisição de seus chips de comunicação LTE.

Agora, além desse comunicado, a Qualcomm disse:

“A Apple pode comprar e utilizar qualquer modem LTE que escolher, desde que não infrinja as patentes pertencentes a Qualcomm”.

Algum tempo depois a Qualcomm acusou o grupo de reguladores de comércio de agirem de forma enganosa, afirmando que é “um esforço coordenado voltado para o mal direcionamento”.

A briga é das grandes, mas, as vendas de iPhone continuam firme e forte. Onde isso vai parar… não sabemos.

Fontes: MSPoweruser

Share.

About Author

Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP – Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!