Quão semelhantes são o FaceID do iPhone X e o Windows Hello?

0

Desde o lançamento do iPhone X (se pronuncia iPhone 10), muito tem se falado sobre o novo reconhecimento biométrico introduzido pela Apple em seu dispositivo top de linha, o FaceID, que nada mais é do que o reconhecimento facial do usuário para fazer um login autenticado por biometria em seu iPhone. Mas, não demorou muito até que as comparações com sistemas biométricos semelhantes começasse a tomar conta web. Tais comparativos não poderiam deixar de fora o Windows Hello da Microsoft. Então, quão semelhantes são o FaceID do iPhone X e o Windows Hello da Microsoft para o Windows 10?

De fato, ambos os sistema são bem semelhantes. Começando pelo Windows Hello, ele foi introduzido no mercado junto com o Windows 10, em julho de 2015. Ele suporta três tipo de reconhecimento biométrico em que é feita a leitura e autenticação da íris, das impressões digitais ou da face (facial).

No caso do reconhecimento facial, que é o caso de hoje, o Windows Hello pode ser usado até mesmo em um ambiente escuro, sem praticamente nenhum ponto de luz, já que ele faz uso de uma câmera infravermelha que também faz a leitura da face de seu usuário, ou de sua íris a depender do aparelho, mas vamos focar no reconhecimento facial. Depois de fazer a varredura do rosto da pessoa, o Windows Hello acessa o bando de dados local do dispositivo para comparar a captura em tempo real com a imagem gravada/salva e as compara. Caso os dados coincidam, ele libera o acesso ao dispositivo. Caso contrário, não.

Segundo a Microsoft, os dados biométricos do usuário nunca saem do dispositivo. Isto é, eles não são enviados para nenhum servidor externo ou coisa do tipo. Estes dados também são protegidos por um Módulo de Plataforma Confiável ou Trusted Platform Module (TPM), que é um microchip que permite segurança adicional através de chaves criptografadas. Em geral, você pode considerar que seus dados biométricos estão relativamente seguros. Mesmo que alguém roubasse os dados, seria quase impossível recriar o rosto ou a impressão digital das informações.

A tecnologia do Windows Hello vem de tecnologias aprimoradas do Kinect, aquele bom e velho sensor de movimentos do Xbox. As câmeras RealSense da Intel também ajudaram bastante na evolução dessa ferramentas e são o acessório mais confiável para usar o Windows Hello, tendo em vista que essas câmeras podem lidar com o reconhecimento 3D (embora em um alcance muito mais curto do que o Kinect).

Com elas, um grande quantidade de pontos de de luz infravermelha são projetadas a partir da câmera, e uma “grade” de seu rosto é formada. Em seguida, essa grade é analisada pela câmera. Isso é um pouco diferente da outra forma do Windows Hello faz o reconhecimento facial em dispositivos da linha Surface e outros, onde o que se usa é imagem com gerada por câmeras IR, como falamos acima.

Resultado de imagem para windows hello RealSense

O FaceID da Apple também se apropriou da tecnologia 3D para fazer a biometria facial no iPhone X. Inclusive a a tecnologia que a Apple chamou de TrueDepth em muito se assemelha as das câmeras RealSense da Intel. Isso porque a TrueDepth dispara cerca de 30.000 feixes de luz IR em seu rosto que são capturados pela câmera IR. Tais feixes são disparados pelo que eles chamaram de “projetor”. As luzes (ou pontos) são processadas pelo A11 Bionic Neural Engine da Apple, que é um sistema separado do processador principal, que gera uma grade 3D baseada na forma do seu rosto, e apenas alguém com a mesma grade pode entrar no iPhone. Segundo a Apple, tal imagem também fica gravada apenas na memória local do seu iPhone, tal como acontece com o Windows Hello.

Apple Face ID

Também de forma semelhante ao que é feito por meio do microship TPM no Windows Hello, a Apple faz uso do chamado Secure Enclave, que também armazena seus dados biométricos de forma criptografada, dificultando qualquer invasão.

Maiscaras reais usados ??para teste Identificação da rosto

De uma forma geral, as tecnologias são muito semelhante e isso já esperado, até porque  quem está por trás do FaceID é uma tecnologia desenvolvida por uma pequena empresa chamada PrimeSense, que foi comprada pela Apple em 2013. Essa mesma empresa foi quem ajudou no desenvolvimento das câmeras do Kinect. Então, é basicamente tudo farinha do mesmo saco…

Dificilmente encontraremos uma forma de julgar quem é o melhor sistema, dadas as suas semelhanças. No máximo podemos analisar quem consegue fazer a autenticação mais rapidamente, porém, isso também é muito relativo, pois, usando uma RealSense da Intel, o reconhecimento é quase que instantâneo, mas isso depende do hardware do PC. A Apple parece ter obtido bons resultados com o iPhone X, porém, ainda é difícil mensurar sua eficiência sem que os usuários tenham testado o sistema de forma plena e em condições não controladas como na apresentação da Apple.

A questão é que a Apple e a Microsoft parecem prontas para o reconhecimento biométrico avançado, que já mostrou ser extremamente necessário nos tempos modernos… A Samsung também tem apostado nisso, porém, falho miseravelmente na tentativa quando o S8 pode ser acessado usando uma mera foto do usuário, que enganou o sistema da Samsung. Evoluir é preciso.

Fonte: Windows Central

Share.

About Author

Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP – Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!