Rumor

[Rumor] Analista prevê que Microsoft pode comprar a Netflix

Depois de vermos com olhos esbugalhados a Microsoft comprar a GitHub, que é a maior plataforma de compartilhamento e armazenamento de códigos de softwares Open Source do mundo, já temos um novo grande rumor em torno das compras de final de semana de Redmond…

Um analista muito experiente da Mediatech Capital Partners falava um pouco sobre o espaço do streaming de vídeos e músicas na atualidade e sobre isso ele disse: “as coisas estão se movendo mais rápido do que qualquer um poderia imaginar” e nesse cenário temos grandes corporações envolvidas como a Amazon, com o Amazon Prime Video, a Google/Alphabet com o Youtube, A Apple com o Apple Music e até o Facebook com o recentemente lançado Facebook Watch, porém, note que nesse palco falta um ator importante… a Microsoft. Ela não tem nada nesse concorrido e lucrativo mercado.

Diante de tal análise, Porter Bibb, que é o analista do qual estamos falando, previu que a Microsoft pode comprar a serviço de streaming Netflix nos próximos dois anos. Ela usaria a base de usuários do serviço e sua posição dominante para expandir ainda mais seus serviços em Nuvem, esses que giram em torno do Azure.

Bibb tem 40 anos de experiência trabalhando em mídia e entretenimento, então ele sabe uma coisa ou duas sobre o setor. Ele postulou que a Microsoft gostaria de ser um concorrente em streaming de vídeo, mas atualmente não possui o conteúdo de mídia necessário. Ele acredita que essas deficiências resultarão em um grande negócio entre as duas empresas – um casamento que será anunciado em algum momento nos próximos dois anos.

“Eles não têm nenhum conteúdo direto para a entregar ao consumidor”, disse Bibb à “Squawk Box” da CNBC. “Eu acho que o Netflix será adquirido pela Microsoft, que não tem nenhum conteúdo neste momento”

E como ficam as prioridades da Microsoft com relação a seus serviços em nuvem? Onde a Netflix entraria nisso?

O analista também reconhece que está não seria bem uma prioridade da Microsoft neste momento. Ele também enxerga que hoje, o foco da Microsoft é promover o Azure e seus serviços, o Office, AI, IoT e o Windows 10, no entanto, todos nós sabemos que o Azure, por exemplo, funciona mais como um back-end para outros serviços do que como uma front door. Em resumo, o Azure é muito usado como plataforma de sustentação de outros serviços, como uma porta dos fundos, e não como a faixada dos serviços, como a porta da frente da casa, onde tudo acontece.

Neste aspecto tudo vai depender muito do objetivo supremo da Microsoft, se ela deseja realmente ser como uma IBM da vida, que está por trás de infinitos serviços, porém, quase ninguém sabe disso, ou se ela quer ser como uma Google da vida, que dá a cara pra bater em todo tipo de mercado. Quem sabe Nadella deseje comandar uma empresa que é mais como um híbrido de Apple + IBM.

Só para colocar ainda mais lenha na fogueira, quem sabe… o fim do suporte do serviços Groove Music Pass pode significar algo nesse sentido.

Você ficaria feliz de ver a Microsoft comprando a Netflix? Será que isso seria benéfico para nós consumidores?

Fonte: finance yahoo

Alexandre Lima
Microsoft MVP Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!