Satya Nadella fala sobre o fracasso da Microsoft no mercado de smartphones

0

Satya Nadella, atual CEO da Microsoft, concedeu uma nova entrevista ao pessoal do Business Insider e falou sobre várias coisas, inclusive sobre a nova maneira como que a Microsoft tem lidado com suas falhas e fracassos. Eles meio que aprenderam a “guardar ou a cuidar melhor de suas falhas” para aprimorar seus produtos e serviços.

“Se você vai trabalhar em uma cultura de risco, você realmente não pode olhar para cada falha como um fracasso, você tem que ser capaz de olhar para o fracasso como uma oportunidade de aprendizagem.”

Depois dele completou:

“Algumas pessoas podem chamá-la de experimentação rápida, mas o que é mais importante é a chamarmos de “teste de hipóteses”. Em vez de dizer: “eu tenho uma ideia”, você poderia dizer: “eu tenho uma nova hipótese, vamos testá-la, ver se ela é válida e perguntar com que rapidez podemos validá-la. “E se não for válida, passe para a próxima.”

Ele continuou:

“Não há mal em reclamar de uma falha, caso a hipótese não funcione. Para mim, ser capaz de chegar a novas formas de fazer as coisas, novas formas de enquadrar o que é um fracasso e que é um sucesso, como se consegue o sucesso – é através de uma série de falhas, uma série de testes de hipóteses. Isso é, em certo sentido, uma verdadeira perseguição ao sucesso”.

Deu para perceber que Nadella e sua equipe aprenderam a realmente cuidar de tudo que eles fazem de errado e o intuito não é apenas fazer com que essa mesma falha não se repita, mas sim, transformá-la em algo que ajude na evolução de uma determinada meta ou objetivo.

Seguindo esse raciocínio, o pessoal do Business Insider perguntou ao CEO da Microsoft justamente sobre o recente “fracasso” da empresa no seguimento mobile (entenda-se mercado de smartphones). Veja a resposta do CEO a seguir:

“O que nos entusiasma é esta nova categoria de computação pessoal. Hoje pensamos que o fator de forma mais usado por nós é o dispositivo móvel. É o caso hoje, assim como o PC foi por um longo tempo. A questão é: o que acontece depois? Quais são as novas categorias?

Estávamos empolgados em criar a categoria 2-em-1, que é o que mais cresce entre os PCs atualmente. Estamos muito entusiasmados com o Surface Studio e o que significa re-imaginar o que é o computador de mesa. Também estamos muito entusiasmados com Surface Hub enquanto computador para salas de reuniões, claro, também sobre HoloLens e todo o mundo de realidade mista. Então, para mim, as novas formas de computação é o que queremos construir para os consumidores. Mas, é importante que, em vez de pensar que cada uma dessas coisas funciona como um computador independente, pensamos que elas têm que formar um tecido de dispositivos para você.

Trata-se de sua mobilidade, sua capacidade de fazer o trabalho como um indivíduo ou como uma equipe, quando você tem lotes e lotes de telas e computadores ao seu redor. Então, quando falamos sobre o Windows 10, não é mais sobre um sistema operacional de um dispositivo, mas sim, sobre um sistema operacional para todos os seus dispositivos. É assim que estamos tentando não apenas enfrentar o desafio inovador de trazer coisas novas à vida, mas também a lidar com a complexidade social de muitos dispositivos em sua vida.”

Com essa declaração ficou mais do que claro que Nadella não tem a intenção de lançar um concorrente para o iPhone ou para os infinitos Galaxys da vida, mas sim, um novo dispositivos que inaugure uma nova categoria, tal como aconteceu com todos os produtos da linha Surface, que por sinal, são um sucesso.

Sem dúvida Nadella e sua equipe estão planejando lançar um novo tipo smartphone, um que vá além de ser apenas um dispositivo que precisa ser equipado e aprimorado por meio de uma loja de aplicativos. Eles querem ir mais além, criando uma nova necessidade e quem sabe uma nova tendência. Quem está imaginando um celular/PC pode estar certo.

Conceito de Surface Phone

O Samsung Dex está ai para provar isso, tendo em vista que os mais informados sabem que o Dex nada mais é do que uma cópia do Modo Continuum do Windows 10, que por sua vez, também já uma cópia de um projeto ainda mais antigo, porém, que estava muito a frente de sua época quando foi lançado. Se este é o momento certo para introduzir um celular/PC, isso só o teste das hipóteses proposto pelo próprio Nadella irá determinar.

O bom é saber que a Microsoft não é daquelas que corre do páreo. Também não é daquelas que desiste, então, tem coisa boa e inovadora vindo por ai e testes serão feitos, pequisas serão realizadas e tudo mais que for necessário. A esperança é que o aprendizado com os Lumias e todas demais tentativas passadas tenham sido realmente destrinchadas e estudadas.

Vale lembrar que a Qualcomm já confirmou que até o final do ano veremos os primeiros celular/PC equipados com seu novo chipset, o Snapdragon 835, que suporta o Windows 10 ARM, então, tudo começa a se encaixar.

Fonte: MSPoweruser

Share.

About Author

Funcionário Público Federal, formado em Licenciatura em Química, Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta do Windows Phone. Carpe Diem