Será este o fim da linha para o Microsoft Office como o conhecemos hoje?

0

Praticamente todo mundo já utilizou ou utiliza em seus computadores o famoso Microsoft Office, com os aplicativos mais famosos ainda: Word, Excel, PowerPoint, Outlook, OneNote, etc. Basta comprar um computador novo e a instalação do pacote Office é indispensável e para a vida toda.

Enterrado em um conjunto um tanto confuso de anúncios na semana passada, a Microsoft revelou que está mudando o suporte a versões tradicionais do Office daqui pra frente. Isto é o fim do Microsoft Office, tal como o conhecemos?

Vamos recapitular, a Microsoft anunciou na semana passada que ele está alinhando as agendas de desenvolvimento para o Windows 10 e o Office 365. Para o Windows 10  ficou bem claro; ele agora, será atualizado com novos recursos duas vezes por ano.

A parte do anúncio do Office 365, se você realmente ler o que estão dizendo lá, ainda não é tão interessante. Afinal de contas, os clientes do Office 365 pagam uma taxa de assinatura mensal ou anual e são mantidos atualizados automaticamente, com correções e novas funcionalidades. O cronograma não importa. Se você parar de pagar, você perde o acesso as funcionalidades.

Mas, a Microsoft também falou sobre o “Office Perpétuo” em um post separado, mas relacionado aos seus Blogs do Office. E como você verá, é uma grande mudança no modo como as coisas vinham funcionando até agora.

Para entender por que isso é assim, precisamos decifrar as terminologias da Microsoft.

Como você provavelmente sabe, a Microsoft oferece vários planos de assinatura do Office 365 para empresas e consumidores. A maioria destes planos incluem acesso a serviços baseados em nuvem, bem como aplicativos do Office instalados localmente. No Windows, a versão mais recente do software localmente instalável é chamada de Office 2016.

A Microsoft realmente quer que todos os seus clientes mudem para ofertas baseadas em assinaturas do Office 365. Mas, estamos em um período de transição, durante o qual, a Microsoft oferece acesso a seu software tradicional, localmente instalável em duas maneiras: na forma standalone (onde você compra alguma versão do Office 2016 ou um aplicativo individual, como o Word 2016) e como um serviço de assinatura.

Essas versões standalone do Office são o que a Microsoft chama de “Office perpétuo.” Eles são limitados, já que só podem ser instalados em um único PC. Mas, eles são “perpétuos”, ou seja, você paga uma vez e pode, essencialmente, usá-los para sempre… só que em um PC. O ciclo de vida do suporte para estes produtos é tecnicamente de 10 anos, sendo que, com 5 anos, a Microsoft chama de “suporte mainstream”, durante o qual podem ser adicionados novos recursos, e mais 5 anos, no  “suporte estendido”, durante o qual a Microsoft somente irá corrigir erros. Mas nada impede você de usar uma versão muito antiga do Office hoje. Ele não é suportado, talvez, mas ainda vai funcionar.

Do lado da assinatura, a Microsoft oferece uma solução chamada: Office 365 ProPlus, que é basicamente o Office 2016 como um serviço. Ou seja, ele não fornece acesso para serviços e aplicativos da suíte Office tradicionais em nuvem. Ele só oferece aqueles aplicativos tradicionais do Office, que hoje é o Office 2016.

Desde o advento do Office 365, o medo em alguns lugares, é a Microsoft simplesmente um dia vai rebaixar o Office perpétuo. Em outras palavras, se você quiser os aplicativos de desktop do Office no Windows (ou um Mac), você precisaria assinar algum plano de Office 365, Office 365 ProPlus, Office 365 Home, Office 365 Business Premium ou o que quer que seja.

O anúncio da semana passada diz que a Microsoft não está se movendo nessa direção. Em vez disso, reforça exatamente como ela apoiará o Office 365 ProPlus e o Office perpétuo daqui pra frente. Então, em muitos aspectos, é mudar o contrato após o fato e fornecer aos seus clientes com alguma clareza em torno de como as coisas vão funcionar daqui para frente.

Dito isto, o única grande impacto aqui, francamente, é para aquelas pessoas que desejam usar o “Office Perpétuo”. Ou seja, se você prefere o “próprio” Office 2016, instalado na máquina, sem assinatura, nem nada (ou alguma versão de passado ou futura área de trabalho de aplicativos do Office) do que pagar uma assinatura mensal ou anualmente, então as coisas vão mudar para você.

“A partir de 13 de outubro de 2020, o suporte mainstream do Office perpétuo deverão se conectar aos serviços do Office 365,” diz o anúncio de Microsoft. “Para os clientes que não estão prontos para esta mudança para a nuvem, até 2020, vamos também suportar conexões do Office perpétuo com o suporte mainstream.”

Mesmo com a remoção de todas as referências ao Office 365 ProPlus, ainda sim é confuso, mas vamos tentar ajudar:

Você pode usar quaisquer produtos “Office Perpétuo” com serviços do Office 365 para os primeiros cinco anos do seu ciclo de vida do produto (durante o suporte  mainstream chamado pela Microsoft). Assim, você poderá usar o Office 2016, a versão atual do “Office perpétuo,” para se conectar aos serviços do Office 365 como OneDrive, até 13 de outubro de 2020. Após essa data, você precisará comprar uma versão mais recente do “Office Perpétuo” (Office 2020 ou seja lá como eles vão chamar) para continuar a utilizar os serviços do Office 365.

Isto não significa que o Office 2016 (ou qualquer outra versão do “Office Perpétuo”) vai parar de funcionar. Você pode continuar usando esses aplicativos com arquivos locais para “sempre” — daí o nome — e a Microsoft suportará explicitamente o produto com correções de software até completar os dez anos de suporte. Então o suporte para o Office 2016 vai acabar em outubro de 2025, como seria de esperar. Mas ainda “funcionará.” Não há nenhum mudança ou algo que sugere a interrupção dos serviços em nuvem..

Mary Jo Foley notou que o ponto principal aqui é empurrar os clientes para o Office 365. Sinto que a Microsoft está usando algumas táticas de medo aqui, francamente. Mas existem razões práticas para escolher o Office 365 sobre o “Office perpétuo,” incluindo o fato de que a maioria das assinaturas do Office 365, permitem usar o Office 2016 em vários PCs e alternar entre eles à vontade.

“Microsoft também está deixando sua base de clientes do Office saber que a partir de 13 de outubro de 2020, o Office 365 ProPlus será o único cliente caracterizado inteiramente, mais atualizado e que irá se conectar aos serviços do Office 365,” explica Foley. “Ninguém, usando os Apps do Office perpétuo e os clientes, não poderão obter todos os recursos no momento que eles estão disponíveis para usuários do Office 365 ProPlus. Esta mudança reflete o que aconteceu com muitos outros produtos da Microsoft; as versões em instalações/locais são atualizadas com menos frequência e podem não incluir todas as funcionalidades que estão nas versões da nuvem.”

Confuso? Certeza. Mas, parece que a Microsoft vai manter a suíte tradicional do Office no futuro previsível, o que deve agradar aos desconfiados por natureza. Mas, não se surpreenda ao ver a empresa resolver isso quando Office 2020, ou o nome que ele tiver, for anunciado. Algo me diz que os dias de “Office Perpétuo” não são assim, tão perpétuos.

Fonte: Thurrot

Share.

About Author