Sobre o boato de que a Microsoft estaria trabalhando em sua própria versão do Android

0

Começou a circular pela web (em grandes sites inclusive) um boato de que a Microsoft estaria trabalhando em sua própria versão do Android, e essa seria a única saída para angariar mais clientes no atual e concorrido segmento mobile. Tal projeto seria uma segunda opção para caso o Windows 10 Mobile falhasse em sua missão de tirar a Microsoft dos atuais 3% de market share mundial no segmento de smartphones, e leva-la para um patamar de no mínimo 10%. Bem, vamos entender de onde saíram esses rumores e por eles são falsos.

Android da Microsoft

A primeira coisa que fez todos pensarem isso foi uma resposta dada por executiva da empresa, a Sra. Julie Larson-Green. Quando Julie foi questionada sobre a possibilidade da Microsoft criar uma versão modificada do Android, sem os serviços da Google, com tudo substituído pelos seus próprios serviços, ela deu uma resposta evasiva que levantou as suspeitas desse rumor. Ela disse: “iremos onde os consumidores estão”.

Julie não disse hora nenhuma que eles iriam criar uma versão modificada do Android. A frase de Julie inclusive já está em pleno funcionamento porque a Microsoft está indo onde os consumidores estão, e por isso vemos o Outlook, o OneDrive e o Office presente e disponível no Android da Google.

Office apps microsoftEles sabem que a grande massa de usuários de smartphones está no Android, então, como a Microsoft é uma empresa que possui uma infinidade de produtos e serviços, nada mais normal do que seus produtos e serviços serem oferecidos onde há uma grande massa de clientes em potencial. Note também que o mesmo foi feito com relação ao iOS, que é onde está a segunda maior massa de usuários de smartphones do planeta.

Seguindo esse mesmo raciocínio, percebam que não há Office, ou Outlook ou mesmo OneDrive para sistema menores, como Sailfish OS, Blackberry OS, ou Firefox OS ou ainda para o Tizen da Samsung. Por que? Porque nenhum deles tem usuários suficientes ao ponto de merecer o suporte. O engraçado é que é justamente esse um dos motivos pelo qual os desenvolvedores ainda não vêm aos montes para o Windows Phone. O sistema ainda é visto como “pequeno” e sem muitos usuários. Isso nos leva ao segundo ponto do rumor… Cyanogen.

Sim, é verdade que a Microsoft está investindo dinheiro na Cyanogen, ela que é uma empresa que criou uma ROM super customizada do Android, e que faz muito sucesso entre os usuários da plataforma, e que recentemente resolveu criar uma nova versão do Android que, por sinal, não usará os serviços padrão da Google, mas sim, os da Microsoft.

Coincidência? Seria essa a parte do rumor onde a Microsoft criaria um Android sem a Google? Não! É apenas um ponto que foi ligado a outro que não deveria. O CEO da Cyanogen já disse em alto e bom tom que seu plano é tomar o lugar do Android no mercado mobile. Obviamente a Microsoft sabe que para que o seu S.O. tenha mais lugar no mercado, alguém tem que sair e esse alguém precisa ser a Google. Sendo assim, a Microsoft está alimentando o Cyanogen, e ele seria um tipo de patógeno para contaminar o Android de dentro para fora. Ela, a Microsoft, teria um Android com seus serviços, que pertence a uma de suas aliadas e que também tem seu capital embutido. Jogada de mestre. Eles ganharão dinheiro em cima do “novo Android – Cyanogem” e no seu próprio sistema, o Windows 10 Mobile, que possivelmente ganharia mais market share nessa bagunça toda.

Então acabou? Não! O rumor ainda se apoia na compra das empresas responsáveis pelos aplicativos Acompli, de e-mail; Sunrise, de calendários; Wunderlist, de listas; e Double Labs, que substitui a tela de bloqueio do Android. Aqui os redatores forçaram a barra ao dizer que isso pode ser um indício de que a Microsoft estaria criando sua própria versão do Android. A compra de empresas como essas é perfeitamente normal e comum, já que o interesse da compradora está nas patentes ou na tecnologia empregada por essas empresas menores em suas criações. Quem disse que o código-fonte do calendário da Sunrise tem que ser usado no Outlook Calendar? Existem muitos produtos que podem fazer uso desse know-how.

Tem ainda a questão em torno do “Linux da Microsoft”. A Microsoft não criou um Linux próprio, mas sim, uma distribuição própria, que é o Azure Cloud Switch, que é descrito pela empresa como um “sistema operacional modular multiplataforma para redes de data center construído no Linux”. O objetivo é usá-la na infraestrutura de redes de companhias de grande porte, e não como um sistema operativo em PCs, Notebooks ou smartphones. Aqui vemos mais uma vez a ideia de ir até onde os clientes estão para popularizar e vender seus produtos e serviços, que neste caso é o Azure.

linux microsoftOutro contra-argumento é o fato da Microsoft ter descontinuado todos os smartphones da linha X da Nokia. O projeto do Nokia X consistia em distribuir uma plataforma alternativa ao Windows Phone que na verdade era uma versão modificada do Android. A Microsoft não pensou duas vezes antes de pôr fim ao projeto assim que a compra da divisão mobile da Nokia foi concluída. E olha que a plataforma do Nokia X nem acesso a Google Play tinha…

Para fechar com chave de ouro e acabar de vez com essa ideia mal especulada, basta pensar com a mais simples lógica de todas: será que a Microsoft gastaria milhares de dólares, planejaria por vários anos o projeto “One Core”, que tem como centro o Windows 10, para depois jogar tudo por água abaixo colocando um vírus no meio dele? Porque é só ver a estrutura do Windows 10 – PCs, Notebook, Tablets, Consoles, internet das coisas e SMARTPHONES.

Claro que algumas coisas precisam ser ajustadas, como as melhorias na experiência de uso no Windows 10 Mobile do Outlook, do OneDrive, entre outros serviços da Microsoft, já que no iOS e no Android tudo funciona melhor. O programa do Windows Insider é o caminho para conseguir essas melhorias. Mas, vale lembrar que o Windows 10 Mobile ainda está em fase preview e nada parece funcionar 100% ainda. Vale notar também (o retorno), que o Windows 10 tem um grande futuro pela frente e sua jornada mal começou, tanto que ainda não está oficialmente disponível para smartphones e consoles, por exemplo.

Parece que estamos escrevendo isso de novo, mas, pode ter certeza que, assim como Satya Nadella, o CEO da Microsoft, já disse antes, a Microsoft não vai desistir do mercado mobile tão cedo e tão facilmente, e pelo visto nunca desistirá, afinal, o futuro é mobile, e sem dúvida que, assim como a Apple e a Google tem capacidade suficiente para criar algo que as pessoas querem usar, Redmond também tem.

Fontes: Olhar Digital e InfoMoney e Exame

Share.

About Author

Especialista em Ensino das Ciências e Matemática, Microsoft MVP – Windows Insider, músico, marido, pai, servo do Deus vivo e entusiasta dos produtos e serviços Microsoft. Carpe Diem!