Chegou a hora de comparar os serviços de streaming de vídeo e decidir onde colocar o seu rico dinheirinho.

Vivemos tempos estranhos: antigamente para ter internet, TV por assinatura e telefone era preciso contratar três fornecedores diferentes (ou quatro, se a empresa que você contratou para fornecer conexão física à internet não tivesse seu provedor próprio). 

Com o tempo, as empresas diversificaram seu portfólio e veio a era dos combos: você poderia contratar uma única empresa que te prestaria todos os serviços, com um “desconto” no valor.

Na prática o custo não diminuiu, o consumidor só passou a receber um boleto apenas.

Com a evolução tecnológica, surgiram serviços de VoIP que ameaçaram os telefones, os serviços de AOD (audio on demand) que obliterou a compra de músicas e atualmente os serviços de VOD (video on demand) que ameaçaram de vez os planos das distribuidoras de TV por assinatura.

Aqui no site já explicamos o que é esse tipo de serviço. Dá uma lida antes se você ainda tem dúvidas sobre isso.

Eu sempre digo que concorrência é importante. Traz menores preços e produtos de melhor qualidade.

Entretanto também traz um pequeno inconveniente: a chamada “balconização”: com tantos serviços, se assinar tudo sai mais caro do que ter uma assinatura de TV e existem conteúdos interessantes em todos os serviços.

Particularmente eu criei o que chamo de “assinatura por temporada”: a cada período do ano eu assino um dos serviços, faço aquela maratona básica, cancelo e parto para o próximo, repetindo o processo até fechar o ciclo.

Como não são todos que tem paciência de ficar no contrata-cancela-contrata, resolvi fazer uma comparação entre os três serviços que, na humilde opinião do autor, são os mais proeminentes no Brasil.

Critérios da avaliação dos serviços de streaming de vídeo

Como temos muitos pontos a observar, decidi separar em critérios. Em todos eles colocarei pontos que variam de 1 a 3 podendo haver empate entre os competidores. No final vamos somar os pontos em cada critério e escolher o grande campeão.

Preço

Streamings de vídeo: Netflix x Prime Video x Globoplay
Economizar para crescer

Aqui já temos um problema: o Netflix tem precificação diferenciada de acordo com as características desejadas pelo assinante: quantidade de telas e resolução de vídeo. Em outras palavras: está caro.

Como todos tem catálogos disponíveis em UltraHD (4K é resolução de cinema), mas somente o Netflix diferencia preço, tomarei por base o preço dele com essa característica.

Há também o caso do Globoplay que oferece um plano anual com desconto, mas para efeito de comparação, vamos usar o valor sem fidelização.

Nesse quesito o Amazon Prime Video cobra R$ 9,90, o Globoplay R$ 22,90 e o Netflix salgados R$ 45,90, todos valores mensais.

Sendo assim, no preço o Prime Video marca 3 pontos, o Globoplay marca 2 pontos e o Netflix marca 1 ponto.

Placar parcial:

Prime Video3
Globoplay2
Netflix1
Começamos a disputa dos serviços de streaming de vídeo: Prime Video sai na frente.

Serviços agregados

Nesse critério há uma grande disparidade, porém facilmente perceptível: A Amazon não vende o “Prime Video”, ela vende o “Prime”.

Reparem na seta ligando “de A a Z”: a metáfora para fazemos de tudo.

Em resumo, na assinatura Prime você leva o Video, o Music, o Twich, descontos em produtos no site da Amazon, frete grátis em vários outros, enfim, é tanto serviço agregado que a aquisição é, como se diz na gringa, “no-brainer”.

Vale lembrar que o Prime Video oferece reprodução simultânea de até três streams diferentes ou dois iguais.

Por outro lado, o Netflix oferece a reprodução em até quatro telas simultâneas e… só.

Já o Globoplay funciona de forma um pouco diferente: ele não permite a reprodução simultânea em várias telas no mesmo perfil, porém permite que a sua assinatura seja compartilhada com mais quatro pessoas.

Dessa forma serão cinco pessoas assistindo, cada uma com sua credencial, seu perfil, seu histórico, simultaneamente, na mesma assinatura.

Mais uma vez temos o Prime Video com 3 pontos, o Globoplay com 2 pontos e o Netflix com 1 ponto.

Placar parcial:

Prime Video6
Globoplay4
Netflix2

Qualidade técnica

Vídeo

Os três serviços oferecem vídeos em UltraHD com HDR, mas a disponibilidade é limitada. Isso acontece porque muitos conteúdos foram produzidos antes dessa tecnologia estar disponível.

Há também o custo elevado de gravar e editar tudo em altíssima resolução, alta profundidade de cores e alta exposição que acaba restringindo a oferta de conteúdo nesse formato.

Segundo o serviço “NoNetflix”, que se autodenomina como um catálogo não oficial do Netflix, o serviço hoje tem um total de 851 títulos e séries que possuem suporte ao Ultra HD. Vale observar que em caso de séries, muitas começam a produção com um tipo de tecnologia e evoluem para outra, então algumas séries podem não ter todos os episódios disponíveis em UltraHD.

Não encontrei nenhum outro serviço ou dado oficial que informasse o tamanho do catálogo Ultra HD do Globoplay e nem do Prime Video. Apesar disso, tendo a acreditar que nenhuma das duas tem um catálogo tão grande de vídeos nessa resolução.

Áudio

Todos os serviços apresentam conteúdos com áudio estéreo e surround 5.1. Geralmente os conteúdos em HD e Ultra HD tem som surround, entretanto o Globoplay peca nesse quesito, onde conteúdos que são disponibilizados no canal aberto em 5.1 no Globoplay estão com áudio estéreo.

Com essa característica, usamos o áudio como critério de desempate no aspecto técnico, onde o Netflix marca 3 pontos, o Prime Video obtém 2 pontos e o Globoplay fica com apenas 1 ponto.

Placar parcial:

Prime Video8
Globoplay5
Netflix5
Entre os três streamings de vídeo, o Netflix demonstra nesse momento uma recuperação de pontuação.

Disponibilidade de plataformas

Nesse critério não temos muito o que discutir. Para que os serviços de streaming de vídeo façam sucesso é preciso rodar até em geladeira.

Todos os serviços possuem aplicativos oficiais para iOS, Android, SmarTVs das principais marcas e suporte a navegadores, entretanto o Netflix também oferece app para Windows 10 e Xbox One, enquanto o Prime Video oferece app para o Xbox One.

Com uma disponibilidade maior de apps oficiais o Netflix marca 3 pontos, o Prime Video 2 pontos e o Globoplay 1 ponto.

Placar parcial:

Prime Video10
Netflix8
Globoplay6

Recursos dos Apps de streaming de vídeo

Como os serviços de streaming de vídeo analisados tem apps para muitas plataformas, fica difícil comparar todos os apps dos três serviços

Nesse caso, vamos nos focar os recursos básicos como capítulos, pular resumos e aberturas, possibilidade de baixar conteúdo para assistir off-line, marcar onde o usuário parou de assistir e controle de conteúdo assistido.

Nesse cenário, o Netflix tem o app mais consistente: tirando as versões para SmarTV e consoles de jogos que não permitem o download de conteúdo, todas as outras encarnações oferecem todos os recursos.

O Prime Video segue na mesma linha do Netflix, mas em algumas plataformas como SmarTVs não é possível pular as propagandas e o Globoplay falha no controle de episódios assistidos, principalmente nos sistemas da Apple.

Sendo assim, o Netflix apresenta a melhor experiência com apps oficiais, seguido do Prime Video e do Globoplay.

Vale ressaltar aqui que o Globoplay só perde para o Prime Video aqui porque peca no básico. Se não fosse isso, as propagandas obrigatórias do Prime Video em SmarTVs o colocaria na última posição.

Placar parcial:

Prime Video12
Netflix11
Globoplay7

Perfis

Quando comentei sobre os serviços agregados eu entrei um pouco nesse critério. A criação de perfis de usuário permite que expectadores duma família não precisem assistir tudo como se fossem uma pessoa só.

A explicação para a existência dos perfis está no famoso algoritmo de sugestão: ele leva em consideração o que você assiste, favorita, coloca na lista para assistir e classifica para sugerir novos conteúdos.

Perfis do Netflix: não repare no bonitão da esquerda, emprestei meu nome pra ele.

O Netflix permite até 5 perfis diferentes, já o Prime Video permite 6. Aqui é o ponto onde o Globoplay brilha: ele permite até 5 usuários diferentes na mesma assinatura! Mas qual a diferença?

Quando você cria perfis esses estão associados a uma conta. É um login e senha que gerencia os perfis. Já o Globoplay permite que você tenha uma assinatura e “convide” mais quatro pessoas para compartilhar a assinatura. Cada usuário terá o seu login e senha diferente para uso.

De forma resumida, uma pessoa com quem você compartilha a assinatura não tem acesso ao seu histórico, lista de conteúdos a assistir e classificações dadas.

Com esse cenário, o Globoplay marca 3 pontos pela preocupação com a privacidade, o Prime Video marca 2 pontos por oferecer mais perfis e o Netflix marca 1 ponto por ser o que tem menos perfis disponíveis.

Placar parcial:

Prime Video14
Netflix12
Globoplay10

Produções originais

Pelo menos um player aqui é muito diferenciado. O Globoplay é, com certeza, o que tem o maior catálogo de conteúdo original e também o maior de produção nacional.

Já o Netflix e o Prime Video brigam em outra seara: conteúdos originais internacionais. Aqui é uma questão de gosto, tipo a escolha de console de videogame: você escolhe o que tem o conteúdo que você quer assistir.

Uma coisa é certa: os três tem muitos conteúdos originais bons, mas o Netflix com total certeza é o que se destaca no gosto popular. É muito comum que as séries do Netflix sejam motivo de conversas em rodas de amigos.

Fica difícil aqui definir um vencedor dadas as características subjetivas, mas há como afirmar que aqui o Netflix e o Globoplay empatam, o primeiro por causa da popularidade de suas produções originais, o segundo pelo vasto catálogo de produções originais nacionais.

Como Netflix e Globoplay empatam, eles ficam na liderança e marcam 3 pontos e o Prime Video marca 2 pontos.

Placar parcial:

Prime Video16
Netflix15
Globoplay13

Conteúdos licenciados: Netflix e Globoplay se destacam, por motivos diferentes.

O Netflix se destaca na quantidade de conteúdos licenciados dentre os demais concorrentes. Apesar disso, o Prime Video tem um acordo (temporário) com a Disney que disponibiliza lançamentos da casa do Mickey primeiro no serviço da Amazon, mas o seu catálogo é menor que o concorrente.

O Globoplay é o mais fraco nesse sentido, sendo o serviço que tem o menor catálogo de produções licenciadas.

Assim sendo, Netflix com 3 pontos, Prime Video com 2 pontos e Globoplay com 1 ponto, terminamos a disputa com essa pontuação:

Placar final:

Prime Video18
Netflix18
Globoplay14

Streaming de Vídeo: conclusão desse comparativo

Seja qual for o streaming de vídeo que interesse ao leitor, os três apresentam prós e contras. Entretanto, para fazer a assinatura simultânea deles, é preciso desembolsar um valor alto para os padrões brasileiros.

Há também de se observar que, apesar de ser muito bom, o Ultra HD com HDR é um diferencial pouco aproveitável pelo público geral. O consumo de banda desses conteúdos é muito grande, então se você tem internet lenta ou instável, considere ficar no HD, no caso do Netflix.

Enquanto o Prime Video é, na opinião do autor aqui, uma compra obrigatória, o Netflix está beirando o dispensável, não pelo conteúdo, mas pelo preço. O valor está elevado demais para oferecer uma vantagem presente nos concorrentes no tíquete de entrada.

Já o Globoplay tem apresentado algumas vantagens como séries, que aprece ser o foco da plataforma para conteúdo estrangeiro. Assistir o conteúdo nacional é muito bom, mas é preciso um esmero maior, principalmente com o áudio que é apenas estéreo nas produções compartilhadas com a TV aberta.

Por fim, repito aqui uma dica dada no começo do texto: não tenha preconceitos e assine e cancele conforme a sua disponibilidade. Seu bolso agradece.

Gostou do comparativo entre o Prime Video, o Netflix e o Globoplay? Deixe seu comentário abaixo. Não esqueça de adicionar nosso grupo do Telegram, é super fácil: basta clicar no ícone azul no canto inferior da tela!