[RUMOR] Windows 10 Cloud e Microsoft Azure: agora tudo faz sentido!

0

windows-10

Na semana passada, revelamos que a Microsoft está unificando o Shell do Windows e com isto, o Projeto OneCore estará concluído e o “Windows Anywhere” será uma realidade. Conhecido como ‘Composable Shell’ ou CSHELL, a Microsoft está focada na criação de uma versão universal do Windows 10, com uma estrutura padronizada para dimensionar e adaptar o sistema operacional para qualquer tipo de dispositivo e tamanho da tela, mas, sem comprometer a experiência do usuário, incluindo smartphones, PCs, tablets, consoles, grandes telas sensíveis ao toque e a cereja no bolo, o dispositivo definitivo, que eu gosto de chamar de: Surface Mobile.

Windows_Cloud

A Microsoft está trabalhando em um novo shell para o Windows, conhecido como ‘Cloud Shell’. De acordo com a documentação interna, o Cloud Shell é descrito como:

“Uma versão leve do Windows projetado para o mundo da computação moderna.”

Pois bem, foi descoberto que a Microsoft está trabalhando em uma versão leve do Windows 10, que teria o nome de Windows 10 Cloud. Referências para este sistema operacional estão dentro da recente compilação 15019 para PCs. Veja abaixo a imagem revelada por WalkingCat, já apontada na Build 15003:

Mas o que é o Windows 10 Cloud?

Segundo a competente Mary Jo Foley do ZDNet, ao que parece, o Windows 10 Cloud é praticamente uma versão mais recente do Windows RT. De acordo com suas fontes, o sistema operacional só executará apps Universal Windows Plataform (UWP) instalados da loja.

Isso gera algumas dúvidas. Por um lado, a ideia que apps UWP só podem ser instalados da loja, é contrária as instruções que a Microsoft fez, sobre ele ser uma plataforma aberta. Atualmente, o Windows 10 permite aos usuários a opção de instalar apps fora da loja, se desejarem.

A outra questão é que o Windows 10 Cloud, presumivelmente, não suportará apps do Windows 8.1, tornando-se o primeiro SKU do sistema operacional que não terá, digamos, a “retrocompatibilidade”. Isto não deve ser um grande problema, já que os apps para o Windows 8.1 estão praticamente abandonados ou foram devidamente adaptados/atualizados para a versão UWP.

E o Microsoft Azure?

Bem, aqui começa a grande jogada da Microsoft e talvez, uma luz no que será a estratégia mobile da empresa.

O Windows 10 Cloud irá rodar diretamente da plataforma Azure da Microsoft, para qualquer dispositivo com uma conexão de internet, enquanto seus servidores de nuvem remotamente irão lidar com todos os requisitos de armazenamento e processamento de tarefas de cada usuário. Todos os apps UWP serão instalados apenas da Windows Store, garantido segurança para todos os usuários e desenvolvedores.

Isso é definitivamente muito animador e abrem-se novas opções para os usuários mobile da Microsoft.

Paula Bellizia presidente MS Brasil

Paula Belizia, presidente da Microsoft Brasil, disse recentemente:

“Só existe uma tendência: a nuvem. Todos os caminhos levam à nuvem. Ela é o motor que move a transformação digital de organizações de todos os tipos e tamanhos.”

Ou seja, com o Windows 10 Cloud, e aqui vou dar o crédito ao nosso querido André H Buss, que sempre repetiu isso; todos os dispositivos serão apenas mais uma tela do Windows 10! Isso engloba até dispositivos sem tela. Os dispositivos serão terminais, apenas.

Não importa qual dispositivo você usa, plataforma ou sistema, com o Windows 10 Cloud, tudo o que você necessita, estará lá! É o Windows 10 disponível para todos, na Nuvem, seguro, com apps e o Azure por trás, cuidando de tudo.

Isso é gigante, enorme e mostra como Nadella deu uma tacada certeira no mercado. Paula Belizia, reafirmou:

“Se hoje falamos de um mercado que é cloud first, em breve falaremos de um cenário cloud only.”

Pense agora no Windows 10 completo rodando em ARM?

Será ótimo rodar todo o mar de aplicativos Win32 e UWP na palma da sua mão, usar todo o poder do Continuum e ter um Surface Mobile completo. Mas, e o preço?

Não será barato, de fato, e isso já é um fator determinante para o aparelho não atingir as massas e todos os mercados. Mas, uma tela rodando o Windows 10 Cloud com os mesmos apps UWP, com segurança, fluidez e rapidez, além do preço baixo, será melhor posicionado em todos os mercados, inclusive os emergentes (Brasil, Índia, China) abrindo o leque de opções.

As aplicações são enormes, em todas as áreas e agora muitas coisas fazem sentido, como por exemplo:

Instagram (Facebook) exclusivo para Windows 10, antes de outras plataformas.

Microsoft Authenticator disponível para todas as plataformas (aqui é outra dica do André H Buss sobre autenticação em duas etapas), ou seja, sua conta da Microsoft será ainda mais importante.

Pode existir também uma versão tipo o NexDock da Intel, com o Windows 10, isso é possível, e imagine que poderá ser utilizado em vários tipos de tela e dispositivos.

Direto do seu Android ou iOS, você poderá acessar o Windows 10 Cloud, como uma VM (Virtual Machine) e rodar todos os apps UWP que precisar, em qualquer tela, em qualquer lugar.

Quer ter uma experiência verticalizada e usar tudo Windows? Simples, só escolher o dispositivo definitivo, o Surface Mobile ou qualquer outro da linha Surface e também das OEMs, e assim desfrutar de tudo que o Windows pode oferecer nativamente.

Continuum é uma função exclusiva do Windows 10 e agora, terá ainda mais valor.

Enfim, querido leitor, são tantas opções e cenários, que fica difícil descrever tudo.

Mas, e os Apps UWP? Os desenvolvedores irão fazer?

Já estão fazendo e com mais de 400 milhões de usuários do Windows 10 e contando, ninguém poderá ignorar o tamanho desta plataforma.

Já é sabido que do total de Apps instalado, as pessoas não usam mais do que 6. Veja abaixo a relação dos Top 10 aplicativos mais populares de 2016, segundo dados da Nielsen:

top_10_apps_2016_nielsenTemos oficialmente, 4 aplicativos dos Top 10 na Windows Store: Facebook, Facebook Messenger, Instagram e Amazon. Os outros 5 apps são do Google; e sabemos que grande parte desse sucesso de downloads é porque eles já vem pré-instalado ou integrado em cada Android vendido, e o Google Play não conta, já que é a loja. Todos esses apps do Google podem ser acessados pelo Edge (vamos excluir o Google Play, porque mesmo podendo acessar, não faz muito sentido). O único que não tem solução, é o Apple Music.

Google precisa e sobrevive de anúncios, ela irá continuar a excluir esta base de usuários do Windows? O tempo responderá.

Por que a Microsoft venceu novamente?

O Windows é um sucesso, e não é incomodado pela maioria das empresas no planeta. Com mais de 90% dos desktops executando o sistema operacional da Microsoft, não é sempre que eles encontram um rival que é capaz de construir, distribuir e apoiar um sistema operacional da forma que eles conseguem.

A Apple conquistou um bom nicho de clientes para seus desktops, os usuários prós e entusiastas, mas está abandonando esse mercado atualmente, focando na sua maior fonte de renda e sucesso, o iPhone. O Google aproveitou o momento e está relativamente bem com o seu sistema operacional móvel, o Android, e estão tentando o mercado low-end de PC com seus Chromebooks, mas, até agora, vem tendo apenas um modesto sucesso nesse segmento, restando ainda à publicidade, sua maior fonte de renda. A morte dos smartphones acendeu todas as luzes lá em Mountain View, e a empresa agora está correndo atrás do prejuízo com o lançamento do Pixel, mas, esse mercado não é mais interessante, é preciso inovar.

Cada ano que chega, é o ano do Linux, e o MacOS tem uma grande base de usuários, porém, nenhum dos dois combinados, conseguiram chegar perto das décadas de sucesso do Windows. Com o Windows sendo um produto de uma geração diferente, a Microsoft tinha duas opções com o seu sistema operacional. Eles poderiam sentar em cima do sucesso e ficar no Windows 7, ou quem sabe o Windows XP, amado ainda por muitos, e construir novas versões do seu sistema e esperar a morte dos PCs lentamente. Ou então, construir uma plataforma do zero, com um OneCore, feita para ambientes de computação moderna (PCs, telefones, tablets, consoles, híbridos, muitos dispositivos, etc).

É claro que a Microsoft escolheu a opção 2 para a sua plataforma: o  One Windows e aplicações UWP. Aqui, não poderia deixar de recordar a grande análise feita pelo ótimo Márcio Vianna e publicada no Windows Team, compreendendo e revelando esta visão há 1 ano e 3 meses. Parabéns Márcio!

As mudanças da Microsoft no Windows estão longe de acabar e ela acelerou ainda mais essa modernização. Graças ao trabalho da Microsoft em rodar o Windows 10 completo em ARM e a descoberta do Windows Cloud, o Windows está passando por outra transição maciça, arrisco a dizer, histórica; se preparando para o futuro que não se parece em nada com o seu passado.

Windows no ARM está trazendo o Windows que nós conhecemos, com aplicações x86, para um novo estilo de processadores. Sim, esta não é a primeira tentativa da empresa em fazer isso, todos nós conhecemos a história do Surface RT, mas veja como eles descobriram como corrigir a maior fraqueza do seu esforço anterior. Windows no ARM tem uma chance muito melhor de sucesso desta vez.

Windows10-Qualcomm-Snapdragon-1024x576

Agora, com PCs ARM voltando para o centro das atenções, a Microsoft já afirmou que eles estão dispostos a trabalhar com outros fornecedores além da Qualcomm, que significa eventualmente, que veremos vários fornecedores além da Intel, AMD e Qualcomm, construindo uma classe de PCs desktops rodando na arquitetura moderna, quem sabe a MediaTek, que tem grande penetração na China. Com mais jogadores em campo dando aos consumidores novas opções para os PCs que estão comprando, isto ajudará a reduzir os custos de funcionamento do Windows.

Mas, a grande mudança é o Windows 10 Cloud, que permitirá a Microsoft modernizar o Windows; o novo SKU poderá executar aplicativos UWP. Novamente, está bastante semelhante ao Windows RT, mas uma coisa é diferente no Windows Cloud, ele rodará em ambos os chips, ARM e x86, e o preço será ótimo!

Como estas referências ao Windows 10 Cloud estão aparecendo agora nas builds para insiders, Windows 10 Creators Update, podemos esperar que a Microsoft irá estrear esta nova edição do Windows 10 por volta de abril de 2017, quando fontes dizem que a empresa irá começar a implantar a “Creators Update” para seus usuários.

One Windows (Windows 10 Cloud), Azure, Cortana IoT, um elegante dispositivo 2-em-1 acessível e o Surface Mobile, poderão fazer de 2017 um grande ano no mercado mobile para a Microsoft.

E ainda vem muito mais por aí! Fique ligado.

Para encerrar, vejam o vídeo com a visão de futuro da Microsoft e como tudo ficou mais nítido:

Fonte: Zdnet e Thurrot

Share.

About Author