Apenas alguns meses desde o lançamento do primeiro Black Shark, a Xiaomi lançou seu sucessor, o poderoso Black Shark 2. Dessa forma, o novo celular da Xiaomi está claramente procurando o seu espaço dentro do mercado. Além disso, a Xiaomi lançou o Black Shark 2 Pro, que é uma versão um pouco mais avançada do 2.

Há muitos rivais do Xiaomi Black Shark 2, desde o excelente Asus ROG Phone até o Razer Phone 2 que é bonito, mas sem brilho. No entanto, os Blacks Sharks tem a vantagem quando se trata de preço.

Conheça também o Xiaomi Mi Band 5!

O Black Shark 2 custa especificamente £ 479, apesar do fato de ser alimentado pelo chipset Qualcomm Snapdragon 855. Além disso, ele melhora as especificações do primeiro, trocando uma combinação de alto-falante e tweeter mono por alto-falantes duplos de disparo frontal e trocando seu painel LCD sem brilho por um AMOLED incrivelmente vibrante.

Uma coisa é certa: é um celular muito melhor do que o original, e provavelmente é o melhor valor para um celular direcionado a jogos. A questão é: é um bom celular para os que não jogam no smartphone?

Xiaomi Black Shark 2: conheça o celular com snap para jogos!
Conheça o Xiaomi Black Shark 2 – Foto: Reprodução/Tech Radar

Preço

  • Custa £ 479.

O celular está disponível em duas versões. Dessa forma, ele inclui 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento ou 12 GB de RAM e 256 GB de armazenamento. O Black Shark 2 de 128 GB custa £ 479, e o modelo de 256 GB custa £ 529.

Se você quiser adquirir o Black Shark 2 Pro, ele custa 539 libras para o modelo de 128 GB e o dispositivo de 256 GB custará £ 629, sendo um pouco mais caro.

Características principais

  • Tela AMOLED grande;
  • Scanner na tela e alto-falantes estéreo;
  • Sem NFC, fone de ouvido ou carregamento sem fio;

Mais uma vez, o Black Shark lançou um telefone de metal com aparência agressiva. Só que desta vez, o logotipo iluminado na parte de trás não brilha apenas em verde, mas apresenta várias outras cores.

A tela sofreu um aumento de tamanho, de 5,99 polegadas para 6,39 polegadas e, embora ainda seja uma resolução Full HD +, dessa vez o Black Shark optou pela tecnologia de tela AMOLED, que quando bem feita é o auge da tecnologia de tela de smartphone.

Xiaomi Black Shark 2: conheça o celular feito para jogos!
Conheça o Xiaomi Black Shark 2 – Foto: Reprodução/Tech Radar

Além disso, há um scanner de impressões digitais na tela, alto-falantes estéreo e uma câmera de lente dupla na parte traseira, com o sensor primário com 48MP. Não há fone de ouvido ou NFC, os quais são omissões notáveis. Também não há carregamento sem fio.

Ainda assim, o chipset Snapdragon 855 dentro do Black Shark 2, emparelhado com um mínimo de 8 GB de RAM e até 12 GB, vai atravessar até os jogos mais difíceis do Android, e também há uma bateria de 4.000 mAh.

Design

  • Pesado, mas é mais fino;
  • Estética sofisticada, mas agressiva;
  • Elementos de iluminação.

Desta vez, as coisas ficaram um pouco maiores e mais pesadas, com o Black Shark 2 pesando 15g a mais e embalando um corpo mais alto que o original. Apesar de ser maior, é um pouco mais fino, com 8,8 mm, por isso não é particularmente robusto, e todo o telefone também parece um pouco mais refinado.

Na parte frontal do Black Shark 2, há a tela Full HD + com uma proporção de 19,5: 9, completa com um scanner de impressão digital na tela.

Com os botões na tela, não há muita folga extra no painel frontal, embora acima e abaixo da tela haja um par de alto-falantes estéreo de acionamento frontal, enquanto na parte superior da frente do telefone há uma câmera selfie de 20MP.

A parte de trás do telefone é dividida em dois, ou seja, vidro e metal fosco. No centro de tudo, está o logotipo Black Shark iluminado, que desta vez ilumina a melodia visual de um espectro completo de cores RGB.

Conheça o Xiaomi Black Shark 2 – Foto: Reprodução/Tech Radar

À esquerda, há um botão de volume e, à direita, um botão liga/desliga. Ele também alterna para transportar usuários para o Shark Space, o centro de jogos do telefone. Além disso, na base, há uma porta USB-C.

Não há porta para fone de ouvido no telefone, mas um adaptador USB-C para 3,5 mm está incluído na caixa. Há um protetor de tela pré-instalado que mantém a frente segura também.

Por fim, o Black Shark 2 foi aprimorado em relação ao seu antecessor, adicionando refinamento, tamanho da tela e mais RGB à mistura.

Tela

Conheça o Xiaomi Black Shark 2 – Foto: Reprodução/Tech Radar

O Black Shark original trazia um display LCD justo e excepcional. Desta vez, porém, é AMOLED o tempo todo, e com um tamanho adicional de tela de 0,4 polegadas, totalizando 6,39 polegadas, é mais imersivo também.

Enquanto o Black Shark 2 não possui as taxas de atualização de tela da competição – 120Hz na série Razer Phone e 90Hz no Asus ROG Phone – ele afirma ser o mais responsivo, com taxa de relatório de toque de 240Hz e 43,5 ms tempo de resposta.

Na realidade, a capacidade de resposta foi ótima, mas não notavelmente melhor do que qualquer outro carro-chefe de primeira linha, pelo menos para nós, jogadores casuais. PUBGers hardcore podem discordar.

Quanto à resolução, em 1080 x 2340, oferece a mesma densidade de pixels que o original (com um pouco mais de pixels, mas uma tela maior), enquanto aumenta a proporção da tela de 18: 9 para 19,5: 9. Embora não seja o telefone de jogos mais nítido do mercado, ele ainda parece ótimo, com clareza semelhante ao iPhone XS e Huawei P30 Pro.

Quanto à precisão das cores, fora da caixa, ela dispara entre os olhos com uma vivacidade incrivelmente vibrante. Essa hiper saturação pode se adequar a alguns e funciona muito bem em jogos, mas saltamos para as configurações e discamos de volta logo depois de receber o telefone.

As opções de tela incluem o modo Cinema padrão, um modo Natural mais silencioso e, finalmente, um modo Eye Comfort, que disca a luz azul de volta e aumenta o calor, fazendo com que tudo pareça beijado pelo sol.

Mais sobre a tela

Além disso, o Black Shark 2 possui um modo de vídeo HDR que aprimora o conteúdo de vídeo de faixa dinâmica padrão, bem como o modo Super Cinema. Isso aumenta as taxas de quadros e otimiza a qualidade de reprodução de vídeo.

Percebemos que definitivamente aumentava bastante a saturação ao assistir a vídeos e jogar, então a mantivemos ligada depois de mudar a configuração padrão da tela para Natural.

Não é perfeito. O sensor de luz ambiente tem o hábito de ficar atrasado. Portanto, em ambientes claros, a tela ficaria muito escura por cerca de 20 segundos, o que nos fez reverter para o brilho manual.

A capacidade de resposta da tela também estava ocasionalmente totalmente desligada, com as impressoras não registrando nada. Um simples toque duplo no botão liga/desliga para desligar e ligar a tela corrige esse problema.

Além disso, ao deslizar pela tela, nossa unidade ocasionalmente interrompia o contato erroneamente, de modo que o teclado deslizante frequentemente interrompia nossa trilha de digitação.

Tudo foi responsável e, mesmo com os problemas de resposta que enfrentamos, a tela é uma área em que o Black Shark 2 é muito melhor que o original. O tamanho extra é muito bem-vindo, e o OLED personalizável é muito bom. Entretanto, não tivemos uma vibração sofisticada ou uma sensibilidade mais precisa ao toque.

Câmera Black Shark 2

Black Shark 2 resenha
Conheça o Xiaomi Black Shark 2 – Foto: Reprodução/Android Central

O Black Shark 2 possui o mesmo sensor Sony IMX586 de 48MP que o Mi 9, acompanhado por uma lente de zoom de 20MP e um “atirador” de 20MP na frente. Além da óptica ser inalterada em relação ao Mi 9, o Black Shark também usa o aplicativo de câmera do MIUI, o que significa que a interface da câmera será imediatamente familiar se você já usou um telefone Xiaomi no passado. Você desliza para a esquerda e para a direita para alternar entre os modos e há alternâncias para flash, HDR, filtros em tempo real e muito mais.

Dito isto, não há modo noturno ou OIS e, ao contrário da maioria dos telefones Xiaomi que possuem o sensor de 48MP, não há como fotografar em resolução máxima. As imagens por padrão são classificadas em 12MP e, quando se trata de gravação de vídeo, você fica limitado a 30fps, mesmo a 720p.

Conheça o Xiaomi Black Shark 2 – Foto: Reprodução/Android Central

As fotos tiradas à luz do dia têm muitos detalhes e ótimo alcance dinâmico, mas às vezes tendem a ser saturadas demais. A qualidade da imagem sofre em cenários de pouca luz, com muito ruído e cores confusas.

Conclusão

Black Shark 2 resenha
Conheça o Xiaomi Black Shark 2 – Foto: Reprodução/Android Central

Por que você precisa de um telefone para jogos quando dispositivos como o Redmi K20 Pro oferecem o Snapdragon 855 por menos de US$ 400? Essa é a pergunta que o Black Shark está tentando resolver. Embora o Black Shark 2 tenha o mesmo chipset que outros dispositivos deste segmento, os recursos extras dão uma vantagem. Além disso, se você estiver no mercado para um telefone para jogos, isso acaba fazendo toda a diferença. Tudo sobre o Xiaomi Black Shark 2 foi projetado para oferecer a melhor experiência de jogo possível.

Conheça o Xiaomi Black Shark 2 – Foto: Reprodução/Android Central

O painel sensível à pressão é um ótimo complemento que torna mais conveniente atribuir ações no jogo a uma parte da tela. A baixa latência de toque significa que você obtém essa vantagem infinitesimal em títulos como PUBG, que podem vir a ser fundamentais. Tudo sobre o dispositivo foi projetado para oferecer a melhor experiência de jogo possível: o gerenciamento térmico garante que o chipset não seja acelerado, a bateria de 4000 mAh é suficiente para um dia inteiro de jogos e os alto-falantes estéreo frontais são ótimos.

Claro, a câmera não é ótima para um dispositivo que custa quase US$ 600, mas você está comprando este telefone para os jogos. E quando se trata disso, o Xiaomi Black Shark 2 entrega tudo perfeitamente.

Fonte: Tech Radar

Gostou? Já tem um Black Shark 2? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar na imagem azul que está abaixo!