AnálisesDicas

Xiaomi Mi Box S: Será que realmente é bom?

Xiaomi Mi Box S: Será que realmente é bom?
Conheça o Xiaomi Mi Box S - Reprodução
276views

O Xiaomi Mi Box S é um central de mídia da fabricante chinesa, Xiaomi, que roda a Android TV, oferece suporte a filmes em 4K e HDR10 e é compatível com o som Dolby DTS. Além disso, ela rivaliza com o Chromecast e o Amazon Fire TV Stick.

Nesse artigo, vamos fazer uma análise do aparelho da Xiaomi, listando os prós e contras do produto.

Design do Xiaomi Mi Box S

%título
Xiaomi Mi Box S – Divulgação/Xiaomi

A aparência do aparelho da Xiaomi é muito simples. Ele tem formato retangular, possuindo 9,5 cm de lado e 2 cm de altura ou espessura. Além disso, como ele é bem pequeno, apresenta o peso de apenas 147 gramas. Quando você realiza a compra do aparelho, também possui direito a um controle remoto com duas pilhas AAA, uma fonte e um cabo HDMI, com cabos bem curtos. O tamanho do cabo pode ser um fator negativo para quem não possui uma tomada muito próxima da televisão, já que eles são realmente curtos.

Uma vantagem em relação ao cabo HDMI é que a entrada é universal, portanto se você tiver outros cabos desse tipo, vale trocar pelo original do produto, devido ao seu pequeno tamanho.

O material externo é todo feito de plástico fosco, facilitando o seu transporte. Além disso, o fato de ele ser minúsculo, facilita seu posicionamento, já que se encaixa em pequenos lugares. Outro fator que permite você colocar o aparelho em lugares escondidos, é que ele e o controle são conectados por Bluetooth, portanto não precisam ter “contato visual” para funcionar corretamente.

Quanto a suas portas de entrada, não há muito o que falar, pois ele apresenta especificações adequadas, sendo que a entrada de HDMI é 2.0A e a porta USB-A também é 2.0. Além disso, também existe uma saída de áudio para conectar o Xiaomi Mi Box S em algum aparelho sonoro.

Por último, podemos citar a entrada para o cabo de rede Ethernet, tornando possível uma conexão por meio de cabo. Lembrando que se conectar a internet utilizando esse método, torna a rede muito mais estável do que com a conexão Wi-Fi.

Software

%título
Xiaomi Mi Box S – Divulgação/Xiaomi

O Xiaomi Mi Box S é capaz de rodar a Android TV na versão 8.1 Oreo e algumas versões acimas dessa, como o Android 9. A interface é muito próxima as TVs Smarts da Sony e Vizio. Alguns aplicativos já estarão instalados para facilitar a sua experiência. Além disso, é possível baixar mais pela Google Play Store. Lembrando que todos as ferramentas baixadas e instaladas ficarão dispostas na interface inicial.

A navegação pela interface inicial é muito simples e intuitiva. Algumas animações acabam dando algumas “engasgadas”, mas nada que interfere na experiência do usuário. O que realmente peca é o delay para fazer os comando pelo controle, que é explicado pela conexão bluetooth. Nessas horas, era melhor ter disponibilizado um sensor infravermelho.

O produto cumpre bem o papel de TV Android e até se parece com um celular grande, pois é possível instalar aplicativos externos a Google Play Store e também podemos explorar as funções do desenvolvedor.

Hardware e perfomance do Xiaomi Box S

%título
Xiaomi Mi Box S – Divulgação/ Xiaomi

Ao iniciar o aparelho é necessário se conectar a uma rede Wi-Fi e entrar na sua conta do Google. Após isso, a interface inicial da TV Android é carregada. Alguns usuários costumam reclamar que o dispositivo não é capaz de reconhecer a resolução certa da sua televisão. De qualquer forma, caso isso ocorra, é possível ir até o menu de configurações e fazer o ajuste manual.

O Hardware do Xiaomi Mi Box S é um Amlogic S905X, quad-core com clock de 1,5 GHz e GPU Mali-450. Além disso, ele apresenta 2 GB de RAM e 8 GB de espaço armazenamento, que podem ser utilizados com aplicativos e jogos. Inclusive, esse espaço de memória pode ser aumentado com um dispositivo externo, já que a porta USB pode ser configurada para transferir arquivos e executá-los.

A TV suporta a resolução 4K, entretanto, muitos usuários costumam alegar que quando assistem filmes nessa qualidades, existem quedas de resolução frequentes, atrapalhando na experiência. O som do aparelho também não agrada, já que mesmo quando está no 100% não é tão alto assim. No entanto, quando o áudio é compatível com o Dolby DTS, o resultado é satisfatório.

%título
Xiaomi Mi Box S – Reprodução/Aptoide

O controle, por sua vez, é muito simples e possui a mesma cor que o dispositivo principal. No entanto, ele é muito frágil e está sujeito a sofrer possíveis danos. Além disso, o acessório possui algumas particularidades interessantes, como o botão Live, que serve para controlar gravadores digitais, o botão Google Assistente, que aciona as funções da ferramenta do Google, e o Botão Netflix, que vai direto para o serviço de streaming.

Conteúdos, aplicativos e Chromecast

Os aplicativos de streaming, como Netflix e Globoplay funcionam perfeitamente. Além disso, programas de som, como Spotify e Deezer também tiveram ótimos desempenhos. No geral, os apps funcionam corretamente no Xiaomi Mi Box S, com algumas raras ocasiões em que ocorrem os famosos “travamentos”.

A possibilidade de aplicativos que podem ser baixados e instalados é enorme, agradando muito os usuários. Quando falamos de games, precisamos alertar que é necessário um controle para poder jogar a maioria deles.

O Chromecast é embutido no aparelho e habilita o compartilhamento de imagens e reprodução do conteúdo que está em seu celular. Inclusive, é possível acessar pelo seu celular alguns aplicativos que o Xiaomi Mi Box S ainda não possui e depois transmiti-los para a televisão através do Chromecast.

Especificações

  • Processador: SoC Amlogic S905X, quad-core Cortex-A53 de 1,5 GHz;
  • GPU: Mali-450;
  • Memória RAM: 2 GB;
  • Armazenamento interno: 8 GB;
  • Armazenamento externo: Suporte via porta USB;
  • Decodificador de vídeo: 4K a 60 fps, VP9, H.264, MPEG1/2/4, VC-1, Real8/9/10;
  • Formatos de vídeo compatíveis: RM, MOV, VOB, AVI, MKV, TS, MP4, 3D;
  • Formato de HDR compatível: HDR10;
  • Extras: Tecnologia Chromecast integrada;
  • Decodificador de áudio: Dolby DTS;
  • Formatos de áudio compatíveis: MP3, APE, FLAC;
  • Decodificador de imagens: JPG, BMP, GIF, PNG, TIF;
  • Conectividade: Wi-Fi 802.11a/b/g/n/ac, Bluetooth 4.1;
  • Portas: Uma USB-A 2.0, uma saída HDMI 2.0A e uma saída de áudio;
  • Sistema operacional: Android TV (8.1 Oreo);
  • Dimensões: 95,3 x 95,3 x 16,8 mm;
  • Peso: 147 g.

O produto é bom?

%título
Xiaomi Mi Box S – Divulgação/Xiaomi

Essa é uma pergunta difícil de ser respondida. Podemos afirmar que o produto não é ruim e é bem melhor que o seu antecessor. No entanto, fica abaixo dos seus principais concorrentes.

A quantidade de erros e travamentos pode incomodar o usuário e impedir uma boa experiência. Além disso, vale lembrar que ele é mais caro que o Chromecast e o Amazon Fire TV Stick. Enquanto eles custam em torno de R$ 200 e R$ 300, respectivamente, o Xiaomi Mi Box S sai pelo preço de R$ 400. Caso levarmos em consideração o fato de que ele suporta 4K e os outros concorrentes não, o preço poderia ser justificado. Entretanto, a quantidade de travamentos, até mesmo quando está rodando filmes nessa qualidade, colocam o seu preço em dúvida.

Esse erros são explicados pelo hardware, que é considerado de nível intermediário, principalmente quando se trata de exibir vídeos em 4K.

Entre suas principais vantagens estão a possibilidade de ter conexão a cabo e suporte a armazenamento externo. Além disso, o Google Assistente e o Chromecast funcionam muito bem. Dessa forma, resta a você colocar os prós e contras na balança e decidir se vale o investimento.

Gostou? Já utilizou o Xiaomi Mi Box S? Deixe seu comentário. Não se esqueça de entrar para o nosso grupo do Telegram. É só clicar na imagem azul que está abaixo!

1 Comment

  1. Qual o modelo mesmo desse? Você citou “Por último, podemos citar a entrada para o cabo de rede Ethernet, tornando possível uma conexão por meio de cabo.” Todos os modelos que pesquisei, não vi nenhum com entrada de cabo de rede.

Leave a Response